Diferenças entre edições de "Caso Mariana Ferrer"

801 bytes adicionados ,  19h35min de 4 de novembro de 2020
(Adição de data mais precisa/ correção do nome da vítima)
 
A sentença proporcionou diversas reações no meio popular, jurídico e artístico do Brasil. O juiz do caso foi denunciado ao Conselho Nacional de Justiça.<ref>{{Citar web |ultimo=Pernambuco |primeiro=Diario de |ultimo2=Pernambuco |primeiro2=Diario de |url=https://www.diariodepernambuco.com.br/noticia/brasil/2020/11/juiz-do-caso-mariana-ferrer-e-denunciado-ao-cnj-por-omissao-em-audienc.html |titulo=Juiz do caso Mariana Ferrer é denunciado ao CNJ por omissão em audiência |data=2020-11-03 |acessodata=2020-11-04 |publicado= |lingua=pt-br}}</ref><ref>{{Citar web |ultimo=Sena |primeiro=Marília |url=https://congressoemfoco.uol.com.br/midia/estarrecedoras-diz-gilmar-sobre-cenas-de-julgamento-de-estupro-veja-reacoes/ |titulo=“Estarrecedoras”, diz Gilmar sobre cenas de julgamento de estupro. Veja reações |data=2020-11-03 |acessodata=2020-11-04 |publicado=Congresso em Foco |lingua=pt-BR}}</ref>
 
*Associação dos Magistrados Catarinenses (AMC) - em nota defendeu a sentença do juiz:<ref>{{Citar web |ultimo=Parisotto |primeiro=Author Maria Luiza |url=http://www.amc.org.br/novo/amc-se-manifesta-sobre-decisao-da-3a-vara-criminal-de-florianopolis/ |titulo=AMC se manifesta sobre decisão da 3ª Vara Criminal de Florianópolis |data=2020-09-10 |acessodata=2020-11-04 |website=AMC |lingua=pt-BR}}</ref> {{quote|(...) A sentença em questão, amplamente fundamentada pelo magistrado, dá conta da absolvição de réu denunciado pela suposta prática de estupro de vulnerável... com base nas provas produzidas nos autos e, também, em razão da manifestação do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), que considerou as provas do processo insuficientes para amparar condenação. (...)}}
 
*[[Flávio Dino]] - então Governador do Maranhão e ex-juiz federal, afirmou: {{quote|Em 30 anos de atuação profissional na área jurídica - como juiz, professor e advogado - já ouvi muitos absurdos. Mas “estupro culposo” é a primeira vez. Que essa violência contra o Direito não prospere}}
6 520

edições