Ensino superior: diferenças entre revisões

3 441 bytes removidos ,  9 de novembro de 2020
Conteúdo específico demais para um artigo genérico como esse. Movido para Ensino superior no Brasil
(Conteúdo específico demais para um artigo genérico como esse. Movido para Ensino superior no Brasil)
 
O ingresso no ensino superior é feito por exame [[vestibular]]. Com a expansão do ensino superior na década de noventa, a concorrência (relação candidatos por vagas) dos exames vestibulares tem sido menor. Para alguns cursos, em algumas instituições, ainda se requer um preparo anterior em [[curso pré-vestibular|cursos pré-vestibular]]. O vestibular mais concorrido hoje no Brasil é o da [[Universidade de São Paulo]], aplicado pela [[Fundação Universitária para o Vestibular]] (FUVEST). Isso ocorre não apenas pelo fato de o exame ser de extrema dificuldade para qualquer aluno (nacional ou estrangeiro), mas em razão da quantidade de pessoas que disputam as vagas nesta Universidade: por exemplo, no ano de 2008, houve em torno de 140 000 inscritos para 10 707 vagas.<ref>{{citar web |url=http://www1.folha.uol.com.br/folha/educacao/ult305u470528.shtml |título=''Mais de 130 mil estudantes fazem vestibular da Fuvest neste domingo'' |data=22/11/2008 |acessodata=14/04/2017 |publicado=''[[Folha de S. Paulo|Folha Online]]''}}</ref>
 
=== Modalidades de Oferta: Presencial, Educação a Distância (EaD) e Semipresencial (híbrido ou blended) ===
No Brasil, a educação superior é ofertada nas modalidades: a) Presencial, na qual todas as disciplinas são atendidas em sala de aula; b) [[Educação a distância|EaD]], na qual todas as disciplinas são cursadas de modo online, exceto as atividades obrigatoriamente exercidas presencialmente, por força da legislação; c) Semipresencial (híbrido, blended), na qual parte das disciplinas são cursadas de modo presencial e as demais a distância.
 
A EaD no ensino superior começou a ser ofertada em torno de 2003, obtendo expressivo crescimento de 1.120% sobre as matrículas de 2005 e atingindo, em 2015, a 1,4 milhão de alunos, o equivalente a 21% da presencial. Neste mesmo período, a modalidade presencial cresceu 46%, obtendo 6,6 milhões de matrículas em 2015.<ref>{{citar web|url=http://www.gazetadopovo.com.br/opiniao/artigos/aeducacao-a-distancia-nao-e-mais-o-patinho-feio-do-ensino-superior-bl32h1pjsaddrjtwj75sst9vq|titulo=A educação a distância não é mais o patinho feio do ensino superior|data=15/03/2017|acessodata=17/03/2017|publicado=Jornal Gazeta do Povo|ultimo=Venturi|primeiro=Jacir}}</ref><ref>{{citar web|url=http://download.inep.gov.br/informacoes_estatisticas/sinopses_estatisticas/sinopses_educacao_superior/sinopse_educacao_superior_2015.zip|titulo=Sinopses Estatísticas da Educação Superior – Graduação - 2015|data=|acessodata=17/03/2017|publicado=Ministério da Educação (MEC) / Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP|ultimo=|primeiro=}}</ref><ref>{{citar web|url=http://download.inep.gov.br/download/superior/2005/Sinopse_2005a.zip|titulo=Sinopses Estatísticas da Educação Superior – Graduação - 2005|data=|acessodata=17/03/2017|publicado=Ministério da Educação (MEC) / Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP)|ultimo=|primeiro=}}</ref>
 
=== Exame Nacional de Desempenho de Estudantes ===
O [[Exame Nacional de Desempenho de Estudantes]] (Enade) avalia o rendimento dos alunos dos cursos de graduação, ingressantes e concluentes, em relação aos conteúdos programáticos dos cursos em que estão matriculados. O exame é obrigatório para os alunos selecionados e condição indispensável para a emissão do [[histórico escolar]]. A primeira aplicação ocorreu em 2004 e a periodicidade máxima com que cada área do conhecimento é avaliada é trienal.
 
=== Perspectivas ===
A discussão sobre as perspectivas futuras do ensino superior pode ser concentrada no exame de duas questões centrais: a possibilidade de transformar a estratificação que hoje existe em uma diferenciação real e a de traduzir o [[corporativismo]] que hoje paralisa o sistema em formas autênticas e adequadas de autonomia. Estas duas questões dependem de uma terceira, que é a da eventual tendência à substituição da lógica do controle institucional e formal, que até hoje predominou, por mecanismos semelhantes ao [[Economia de mercado|de mercado]]. Estas questões estarão condicionadas à expansão que o ensino superior deverá ter e que, ainda que não repita as altas taxas de crescimento das décadas anteriores devidas à incorporação do contingente feminino e dos estudantes noturnos, deverá, sem dúvida, reagir de forma vigorosa ao represamento ocorrido nos últimos 10 anos.
 
== Ensino superior em Portugal ==
43 450

edições