Diferenças entre edições de "História da Literatura Ocidental"

89 bytes removidos ,  02h34min de 13 de novembro de 2020
m
corrigindo ortografia, ajuste(s)
m (→‎Capítulos: Ajustes na formatação dos capítulos.)
m (corrigindo ortografia, ajuste(s))
 
== Crítica e premiações ==
No final do [[século XX]], o jornal ''[[Folha de S.Paulo]]'' reuniu especialistas para escolher as cem melhores obras de não-ficção do [[século XX]] e a ''História da Literatura Ocidental'' de Carpeaux alcançou o 18.º lugar, sendo o único livro escrito por um brasileiro, além de [[Os Sertões]], de [[Euclides da Cunha]], a fazer parte da lista.<ref>{{citar web|url=http://www.uol.com.br/fsp/mais/fs11049909.htm|título=Os Cem Mais|publicado=Folha de São S.Paulo|acessodata=16-5-2017}}{{Ligação inativa|1={{subst:DATA}} }}</ref> A obra recebeu o [[prêmio Jabuti]] de melhor livro de crítica literária.<ref>{{Citar livro|título=Prêmio Jabuti |subtítulo=50 anos |local=São Paulo | editora=Câmara Brasileira do Livro e Imprensa Oficial do Estado de São Paulo |ano=2008 |isbn=978-85-7060-647-1}}</ref>
 
== Edições ==
 
== Conteúdo ==
Tomando como referência e edição lançada pelo Senado Federal em 4 tomos, na primeira parte de sua ''História da Literatura Ocidental'', Carpeaux parte da [[Antiguidade clássica|Antiguidade greco-latina]], passando pela [[Idade Média]] e analisando o [[Renascimento]] e a [[Reforma]].<ref name=’hdlo’"hdlo">{{citar livro |ultimo=Carpeaux |primeiro=Otto Maria |página=22 |titulo=História da Literatura Ocidental |local=São Paulo |editora=Senado |isbn=9788544101179}}</ref>
 
A segunda parte foi chamada, pelo poeta [[Carlos Drummond de Andrade]], “livro-chave essencial", e abrange [[barroco]], [[classicismo]], [[neobarroco]], classicismo [[racionalista]] e o [[pré-romantismo]] ocidentais. Carpeaux analisa a poesia, o teatro, a epopeia e o romance picaresco de autores como [[Cervantes]], [[Góngora]], [[Shakespeare]] e [[Molière]].<ref name=’hdlo’"hdlo"/>
 
A terceira parte refere-se ao [[romantismo]] e segue até os tempos atuais. Nele Carpeaux analisa também os brasileiros como [[José de Alencar]], [[Castro Alves]], [[Álvares de Azevedo]] e [[Machado de Assis]], além do [[realismo]] e o [[naturalismo]]. Aqui Carpeaux ainda abrange Balzac, Machado, Eça, Tolstoi, Zola, Dostoievski, Melville, Baudelaire, e mais Aluísio Azevedo, Augusto dos Anjos, Graça Aranha e Mário de Andrade, entre tantos autores; bem como a transformação social com o aparecimento do marxismo.<ref name=’hdlo’"hdlo"/>
 
O último e quarto volume traz uma densa análise sobre a atmosfera intelectual, social e literária do fim do [[século XX]] com o surgimento do [[simbolismo]], além de um esboço das tendências contemporâneas. Carpeaux encerra dessa forma sua ''magnum opus'', com uma extensa analise em profundidade dos demais diversos autores.<ref name=’hdlo’"hdlo"/>
 
== Capítulos ==
Capítulo I - A literatura grega<br>
Capítulo II - O mundo romano<br>
Capítulo III - O cristianismo e o mundo (os Padres da Igreja e a liturgia)<br><br>
 
'''PARTE II - O Mundo Cristão'''<br>
Capítulo I - A fundação da Europa (Literatura anglo-saxônica. A literatura edda. Epopeias e “matières”. Literatura monacal)<br>
Capítulo II - O universalismo cristão (Literatura latina medieval)<br>
Capítulo III - A literatura dos castelos e das aldeias (Canções e baladas populares. Poesias das cortes. O mundo dos “romances”)<br>
Capítulo IV - Oposição, burguesa e eclesiástica (Literatura satírica. Os franciscanos)<br><br>
 
'''PARTE III - A Transição'''<br>
Capítulo I - O “Trecento” (Dante, Petrarca, Boccaccio)<br>
Capítulo II - Realismo e misticismo (“Roman de la rose”. Chaucer. Crônicas. Místicos. O teatro medieval)<br>
Capítulo III - O outono da Idade Média (Literatura “flamboyant”)<br><br>
 
'''PARTE IV - Renascença e Reforma'''<br>
Capítulo I - O “Quattrocento” (Os humanistas italianos)<br>
Capítulo II - O “Cinquecento” (A literatura italiana do século XVI)<br>
Capítulo III - Renascença internacional (Renascença na França, Espanha, Inglaterra e outros países)<br>
Capítulo IV - Renascença cristã (Erasmo e os humanistas cristãos. A reforma. Literatura protestante e anglicana)<br><br>
 
'''PARTE V - Barroco e Classicismo'''<br>
Capítulo I - O problema da literatura barroca<br>
Capítulo IV - O barroco protestante (Teatro elisabetano e jacobeu. Barroco luterano. Poesia metafísica. Literatura puritana)<br>
Capítulo V - Misticismo e moralismo (Místicos espanhóis e franceses. Classicismo francês)<br>
Capítulo VI - Antibarroco (Literatura oposicionista na Espanha e na França: de Cervantes até Molière)<br><br>
 
'''PARTE VI - Ilustração e Revolução'''<br>
Capítulo I - Origens neobarrocas (A arcádia e a poesia anacreôntica. Teatro da restauração. A ópera. Libertinismo literário. Livres-pensadores e racionalismo)<br>
Capítulo II - Classicismo racionalista (Época augustiana. O século de Voltaire)<br>
Capítulo III - O pré-romantismo (Nova poesia pastoril. Poesia da noite e dos túmulos. Metodismo. Romance epistolar e “gótico”. Ossian. Sentimentalismo e anti-sentimentalismo. Os enciclopedistas. Rousseau.)<br>
Capítulo IV - O último classicismo (Classicismo alemão. Alfieri, Chénier, Jane Austen)<br><br>
 
'''PARTE VII - O Romantismo'''<br>
Capítulo I - Origens do romantismo (Primeiro romantismo alemão. Chateaubriand. Os poetas ingleses dos “lagos”. Lamartine)<br>
Capítulo II - Romantismo e evasão (Scott e o romance histórico. Medievalismo e folclore. Poesia “pura”. Romantismo nórdico e russo)<br>
Capítulo III - Romantismo em oposição (Byronismo. Radicais e utopistas. Transcendentalismo americano. (o século de Hugo. A época de Dickens)<br>
Capítulo IV - O fim do romantismo (O movimento de Oxford. Os radicais franceses. Heine. Os começos do marxismo)<br><br>
 
'''PARTE VIII - A Época da Classe Média'''<br>
Capítulo I - Literatura burguesa (Balzac e o romance burguês. Literatura vitoriana. Os parnasianos)<br>
Capítulo II - O naturalismo (A época de Zola. Darwinismo e fatalismo. Baudelaire e poesia de desespero)<br>
Capítulo III - A conversão do naturalismo (Teatro escandinavo e romance russo. Movimento misticista. Romance psicológico)<br><br>
 
'''PARTE IX - “Fin de Siècle” e depois'''<br>
Capítulo I - O simbolismo (Esteticismo. Poesia simbolista. Modernismo espanhol. Nietzsche)<br>
Capítulo II - A época do equilíbrio europeu (Epigonismo literário entre 1900 e 1914)<br><br>
 
'''PARTE X - Literatura e Realidade'''<br>
Capítulo I - As revoltas modernistas (Boêmia internacional. Cubismo e modernismo francês. Imagismo. Futurismo. Expressionismo alemão. A Guerra Mundial. Freud, Joyce, Proust e O’Neil. Radicalismo espanhol. Dadaísmo e surrealismo).<br>
Capítulo II - Tendências contemporâneas (Renascença do romance histórico. O movimento católico. Poesia pura. Existencialismo. Literatura proletária. Os russos soviéticos. A II Guerra Mundial e suas consequências).<ref name=’hdlo’"hdlo"/><br>
 
{{referências}}
* [http://www2.senado.gov.br/bdsf/item/id/528992 Versão digital de ''História da Literatura Ocidental'', disponível no site do Senado Federal]
{{Controle de autoridade}}
{{DEFAULTSORT:História da Literatura Ocidental}}
 
{{Portal3|História|Literatura}}
 
{{DEFAULTSORT:História da Literatura Ocidental}}
[[Categoria:História da literatura]]
[[Categoria:Livros de 1959]]