Ibne Tufail: diferenças entre revisões

1 599 bytes adicionados ,  30 de novembro de 2020
incluída a *tradução da obra*
(correções, nome correto +Ref.)
(incluída a *tradução da obra*)
'''Abacar''', '''Abu Baquir''' ou '''Abu Becre Maomé ibne Abdal Malique ibne Tufail Alcaici''' ({{langx|ar|أبو بكر محمد بن عبد الملك بن محمد بن طفيل القيسي الأندلسي||''Abu Bakr Muhammad ibn Abd al-Malik ibn Tufail al-Qaisi''}}; [[Guadix]], Espanha, ca. década 1100 — [[Marraquexe]], Marrocos, ca. 1185), melhor conhecido como '''ibne Tufail''', '''Abubácer''' ou '''Abentofail''', foi um médico, matemático, astrônomo, filósofo e poeta [[Islão|muçulmano]] do [[Alandalus]].<ref>{{Citar periódico|data=1900|titulo=A filosofia de ibn Tufail e seu tratado sobre o filósofo autodidata|url=https://www.wdl.org/pt/item/7443/|lingua=pt}}</ref><ref>{{Citar livro|url=https://books.google.com.br/books?id=ZmABAwAAQBAJ&pg=PA324&lpg=PA324&dq=Ibn+Tufail+:+1105+-+1185&source=bl&ots=OxisJOj0EG&sig=mfsD1i_0dd7wTTKi-Nhvr3fY-RE&hl=pt-BR&sa=X&ved=0ahUKEwjwnryUmpDcAhVEQZAKHbrpAoQQ6AEIcTAO#v=onepage&q=Ibn%20Tufail%20:%201105%20-%201185&f=true|título=New Voices of Arabia - the Short Stories: An Anthology from Saudi Arabia|ultimo=Al-Sebail|primeiro=Abdulaziz|ultimo2=Calderbank|primeiro2=Anthony|data=2012-02-01|editora=I.B.Tauris|lingua=en|isbn=9780857721372}}</ref><ref>{{Citar web|url=http://www.treccani.it/enciclopedia/abubacer_(Dizionario-di-filosofia)/|titulo=Abubacer in "Dizionario di filosofia"|acessodata=2018-07-08|obra=www.treccani.it|lingua=it-IT}}</ref><ref>{{Citar periódico|ultimo=B.|primeiro=Carra de Vaux,|titulo=Ibn Ṭufayl|url=http://referenceworks.brillonline.com/entries/encyclopaedia-of-islam-2/ibn-tufayl-SIM_3394|lingua=en}}</ref><ref>{{Citar periódico|titulo=Ibn Tufail (Abubacer) {{!}} Simply Philosophy|url=https://simplyphilosophy.org/philosophers/ibn-tufail-abubacer/|jornal=Simply Philosophy|lingua=en-US}}</ref><ref>{{Citar web|url=http://www.muslimphilosophy.com/ip/rep/H030.htm|titulo=Ibn Tufayl, Abu Bakr Muhammad (before 1110-85)|acessodata=2018-07-08|obra=www.muslimphilosophy.com}}</ref>
 
Nasceu em Guadix (Cádiz), [[Andaluzia]], [[Espanha]], exerceu a medicina em Granada e faleceu em Marrocos. Pouco se sabe sobre sua juventude, mas é provável que tenha estudado em [[Sevilha]] e em [[Córdoba (Espanha)|Córdoba]], dois grandes centros de ensino, dedicando-se às ciências e as letras. Participou da vida cultural, política e religiosa na corte de [[Granada (Espanha)|Granada]], onde foi médico e, depois, secretário e [[vizir]]. Realizou muitas viagens diplomáticas. Tornou-se secretário do governador de [[Ceuta]] e [[Tânger]], [[Side Abuçaíde]]. Transferiu-se, mais tarde, para Marraquexe, onde exerceu o cargo de médico do [[califa almóada|califa]] [[Abu Iacube Iúçufe]]. Atraiu outros sábios para a corte de Marraquexe, entre eles [[Averróis]], do qual tornou-se protetor. Incentivou Averróis a escrever seus comentários sobre Aristóteles e deixou-lhe, posteriormente, as atribuições de médico da corte.
 
Foi um [[neoplatonismo|neoplatônico]].{{Carece de fontes|data=Dezembro de 2008}} Dos muitos escritos deste sábio, restou somente o romance filosófico ''Hayy ibn Yaqzan'' (Vivente, filho do Vigilante), traduzido e publicado em latim por Edward Pococke em 1671, em [[Oxford]], com o título de ''Philosophus autodidacticus'' ([[O Filósofo Autodidata|O filósofo autodidata]]).
 
Ibn Tufail acompanhou a corte do sultão por suas várias capitais, passando muito tempo em Sevilha. Em 1182 ele se aposentou devido à sua idade avançada e morreu em Marraquexe quatro anos depois.
 
==Tradução da obra==
A versão latina veio a público no ano de 1671, editada em Oxford, traduzida por Edward Pococke. Interessou imediatamente o público inglês, a tal ponto que duas outras traduções se sucederam: uma de Ashwell e outra de Georges Keith, esta, mais popular e que serviu como instrumento de devoção para os adeptos da doutrina, que se tomara de aspectos de seita, inclinada ao misticismo. Como as traduções eram ainda tidas como imperfeitas e deficitárias, o professor de árabe de Cambridge, Simon Ockley, em 1708, publicou outra mais sofisticada, com o nome inglês de ''The improvement of human reason exhibited in the life of Hai ebn Yokdhan'', com uma segunda edição em 1731.<ref>VALVERDE, Antônio José. (2002): '''Ibn Tufail e o filósofo autodidata'''. PUC/SP, Margem, São Paulo, No 16, P. 119-128, Dez. [https://www.pucsp.br/margem/pdf/m16av.pdf text]</ref>
 
Fora da Inglaterra, a edição de Pococke foi vertida para o holandês por um desconhecido. Pococke serviu de inspiração, menos servil e mais fiel, para as traduções dos alemães J. Georg Pritius, ''Der von sich selbst gelehrte Weltweise'', publicada em Frankfurt, em 1726.
Na Espanha, o texto só apareceu em 1900, traduzido sob a pena de d. Francisco Boigues Pons, diretamente do árabe, com o nome de ''El filósofo autodidacto de Abentofáil'', apresentado como novela psicológica. A edição espanhola traz um prólogo de Menéndez y Pelayo, editado pela Comas, de Zaragoza, é o
quinto tomo da Colección de Estudios Árabes.
 
==Funcionamento filosófico==
518

edições