Diferenças entre edições de "Adriaen van Ostade"

48 bytes adicionados ,  02h01min de 23 de dezembro de 2020
m
sem resumo de edição
m
[[Ficheiro:Adriaen_van_Ostade_-_Peasants_in_a_Tavern.jpg|miniaturadaimagem|''Camponeses em uma taverna'' (c. 1635), na [[Alte Pinakothek]], Munich]]
[[Ficheiro:Schouburg_I_Plate_Q_Adriaenvan_Ostade.jpg|esquerda|miniaturadaimagem|Retrato gravado de Adriaen van Ostade, mostrado com algumas de suas obras mais famosas, por [[Arnold Houbraken]] em seu "Schouburg", volume I, 1718.]]
De acordo com Arnold Houbraken, ele e seu irmão foram alunos de Frans Hals e, como ele, passaram a maior parte de suas vidas em [[Haarlem]]. Ele pensava que eles eram "Lubekkers" de nascimento, embora isso tenha se revelado falso.<ref name=":0">[http://www.dbnl.org/tekst/houb005groo01_01/houb005groo01_01_0162.htm Adriaan & Izaak van Ostade] biography in ''De groote schouburgh der Nederlantsche konstschilders en schilderessen'' (1718) by Arnold Houbraken, courtesy of the Digital library for Dutch literature</ref> Ele era o filho mais velho de Jan Hendricx Ostade, um tecelão da aldeia de Ostade, perto de [[Eindhoven]].<ref>Century Magazine by Timothy Cole Volume 48, Issue 2 (June, 1894) Old Dutch Masters. Adriaan Van Ostade</ref> Embora Adriaen e seu irmão Isaack tenham nascido em [[Haarlem]], eles adotaram o nome "van Ostade" como pintores. Segundo o RKD, foi aluno em 1627 do retratista Frans Hals, então mestre de [[Jan Miense Molenaer]].<ref name=":1">{{Citar web |url=https://web.archive.org/web/20160303230944/https://rkd.nl/en/explore/artists/61082 |titulo=Explore Adriaen van Ostade |data=2016-03-03 |acessodata=2020-12-10 |website=web.archive.org}}</ref> Em 1632 ele foi registrado em [[Utrecht]] (onde, como Jacob Duck, ele provavelmente foi influenciado pelas cenas da aldeia de Joost Cornelisz Droochsloot, que eram populares em sua época), mas em 1634 ele estava de volta a Haarlem, onde se juntou ao Guilda Haarlem de São Lucas.<ref name=":1" /> Aos vinte e seis anos ele se juntou a uma companhia da guarda cívica em Haarlem, e aos vinte e oito ele se casou. Sua esposa morreu dois anos depois, em 1640. Em 1657, viúvo, ele se casou com Anna Ingels. Ele novamente ficou viúvo em 1666.  Ele abriu uma oficina e recebeu alunos. Seus alunos notáveis ​​foram Cornelis Pietersz Bega, Cornelis Dusart, Jan de Groot (1650-1726), Frans de Jongh, Michiel van Musscher, Isaac van Ostade, Evert Oudendijck e [[Jan Steen]].<ref name=":1" />
 
Em 1662 e novamente em 1663, ele é registrado como diácono da guilda de São Lucas em Haarlem.<ref>De archiefbescheiden van het St. Lukasgilde te Haarlem 1497–1798, Hessel Miedema, 1980, ISBN 90-6469-584-9</ref> No rampjaar (1672), ele empacotou suas mercadorias com a intenção de fugir para Lübeck, razão pela qual Houbraken sentiu que tinha família lá.<ref name=":0" /> Ele foi até [[Amsterdã ]], no entanto, quando foi convencido a ficar pelo colecionador de arte "Konstantyn Sennepart", em cuja casa ele ficou, e onde fez uma série de desenhos coloridos, que mais tarde foram comprados por 1 300 florins (junto com alguns desenhos de Gerrit Battem) de Jonas Witsen  [ nl ], onde Houbraken os viu e se apaixonou por seus retratos da vida na aldeia.<ref name=":0" /> Jonas Witsen (1676–1715) foi o homem que convenceu Houbraken a se mudar de Dordrecht para Amsterdã. Ele tinha sido o secretário da cidade e provavelmente era seu patrono.
 
== Trabalho ==
 
Era natural, dada a tendência para o efeito que marcou Ostade desde o início, que ele fosse despedido pela emulação para rivalizar com as obras-primas de Rembrandt . Suas primeiras fotos não são tão raras, mas podemos traçar como ele deslizou de um período para o outro. Antes da dispersão da coleção Jakob Gsell  [ de ] em Viena em 1872, era fácil estudar as harmonias cinza-aço, a caricatura exagerada de suas
[[Ficheiro:Adriaen_van_Ostade_003.jpg|miniaturadaimagem|"Cortando a Pena" c. 1660, no [[Museu de Belas Artes de Budapeste]]]]
primeiras obras entre 1632 e 1638. Há um quadro na Galeria de um ''Countryman de'' Viena ''Tendo seu dente desenhado'' , não assinado e pintado por volta de 1632; um "gaiteiro" de 1635 na Galeria de Liechtensteinem [[Viena]]; cenas de chalés de 1635 e 1636 nos museus de [[Karlsruhe ]], [[Darmstadt]] e [[Dresden ]]; e os ''jogadores'' de ''cartas'' de 1637 no palácio de Liechtenstein em Viena, compensando a perda da coleção Gsell. O mesmo estilo marca a maioria dessas peças.<ref name=":2" />
[[Ficheiro:Adriaen_van_Ostade_Goyer_en_Questiers_1650.jpg|esquerda|miniaturadaimagem|O pintor com a família De Goyer (por volta de 1652), no Museu Bredius , em [[Haia]]]]
Por volta de 1638 ou 1640, a influência de Rembrandt mudou repentinamente seu estilo. Ele pintou a ''Anunciação'' do Museu de Brunswick: anjos, aparecendo no céu para rudes holandeses meio adormecidos em meio a seu gado, ovelhas e cães em frente a uma cabana, relembram imediatamente o assunto semelhante de [[Rembrandt]], que efetivamente iluminou os principais grupos por raios impulsionados para a terra de um céu escuro. Ostade, no entanto, não conseguiu dar aqui força e expressão dramáticas; seus pastores não tinham muita emoção, paixão ou surpresa. Sua imagem era um efeito de luz, e como tal magistral, em suas pinceladas esboçadas de tom marrom escuro aliviado por luzes fortemente impensadas, mas sem as mesmas qualidades que tornavam seus temas habituais atraentes.
 
Em 1642, ele pintou o belo interior do Louvre:  uma mãe cuidando de seu filho embalado, seu marido sentado perto, ao lado de uma grande chaminé; a escuridão de um loft campestre vagamente iluminado por um raio de sol brilhando na janela. Pode-se pensar que o pintor pretendia retratar a Natividade; mas não há nada sagrado nos arredores, nada atraente, de fato, exceto a maravilhosa transparência rembrandtesca, o tom acastanhado e a admirável manutenção das menores partes. Ostade sentia-se mais à vontade em um efeito semelhante aplicado ao incidente comum do ''massacre de um porco'', uma das obras-primas de 1643, e uma vez na coleção Gsell. Neste e em assuntos semelhantes dos anos anteriores e seguintes, ele voltou aos temas caseiros nos quais seu poder e observação maravilhosa o fizeram um mestre. Ele não parece ter voltado às ilustrações do evangelho até 1667, quando produziu um ''presépio'' admirável que só é superado em arranjo e cor pela ''família do carpinteiro'' de Rembrandt no [[Museu do Louvre|Louvre]], ou pelo
[[Ficheiro:Adriaen_van_Ostade_006.jpg|esquerda|miniaturadaimagem|''O pintor em sua oficina (autorretrato)'' (1663), na Galeria Semper , em Dresden]]
''lenhador e crianças'' na galeria de Cassel. Quase inúmeros são os temas mais familiares aos quais ele devotou seu pincel durante este intervalo: desde pequenas figuras isoladas, representando fumantes ou bebedores, até alegorias dos cinco sentidos (Galerias Hermitage e Brunswick), peixarias e padeiros de metade do comprimento, brigas em casas de campo, cenas de jogos de azar, jogadores e charlatães itinerantes e jogadores de nove pinos ao ar livre.<ref name=":2" />