Kamov Ka-50: diferenças entre revisões

3 569 bytes removidos ,  13h09min de 28 de dezembro de 2020
conteúdo majoritariamente sem fontes e mal escrito
(conteúdo majoritariamente sem fontes e mal escrito)
{{expandir2|artigo|en|Kamov Ka-50|data=julho de 2019}}
{{Info/Aeronave
|nome = Ka-50 "Black Shark"<br/>Ka-52 "Alligator"
 
Cerca de 32 Ka-50 e 65 Ka-52s foram construídos até os dias atuais. A Rússia segue como única utilizadora desta aeronave, contudo o Iraque anunciou, em 2012, que encomendaria algumas unidades deste helicóptero.<ref>{{citar web|url= http://www.flightglobal.com/airspace/media/reports_pdf/emptys/101015/world-air-forces-2013.pdf |título= World Air Forces 2013 |publicado= flightglobal.com |acessodata=26 de fevereiro de 2014}}</ref><ref>{{citar web|url= http://vestnikkavkaza.net/news/politics/41539.html |título= Russia to supply Ka-52 helicopters to Iraq |publicado= vestnikkavkaza.net |acessodata= 18 de junho de 2013}}</ref>
 
== Características ==
O Ka-50 é a versão de produção do protótipo V-80Sh-1. A produção do helicóptero de ataque foi encomendada pela União Soviética o em 14 de dezembro de 1987. O desenvolvimento do helicóptero foi relatado pela primeira vez no Ocidente em 1984, enquanto a primeira fotografia apareceu em 1989. Durante os testes operacionais de 1985 a 1986, a carga de trabalho do piloto foi considerada semelhante à de um piloto de caça-bombardeiro, de modo que o piloto poderia executar funções de vôo e navegação, sem a necessidade de um copiloto.
 
 
Como outros helicópteros Kamov, ele apresenta o sistema de rotor coaxial contra-rotativo característico, que elimina a necessidade de todo o conjunto do rotor de cauda e melhora as qualidades acrobáticas da aeronave, pode realizar loops, giros e "funil" , onde a aeronave mantém uma linha de visão para o alvo enquanto voa em círculos de altitude, elevação e velocidade variada ao seu redor. A omissão do rotor de cauda é uma vantagem qualitativa, porque o rotor de cauda com contador de torque pode usar até 30% da potência do motor.
 
O Ka-50 é equipado com um assento ejetável NPP Zvezda (trad. Star) K-37-800, <ref>{{Citar periódico |titulo=Molecular Diagnostics |url=http://dx.doi.org/10.1385/1-59259-763-7:167 |publicado=Humana Press |data=2004 |local=Totowa, NJ |isbn=978-1-58829-218-6 |paginas=167–189 |acessodata=2020-12-28 |primeiro=Peter |ultimo=Marsh |primeiro2=Donald L. N. |ultimo2=Cardy}}</ref>que é uma característica rara para um helicóptero. Antes do foguete no assento de ejeção ser lançado, as pás do rotor são arremessadas por cargas explosivas no disco do rotor e a cobertura é lançada.
 
== Versões ==
'''Ka-50N e Ka-50Sh'''Desde o momento em que o Ka-50 foi encomendado em 1987, sabia-se que a capacidade noturna limitada da versão original teria que ser atualizada para atender aos requisitos de ataque noturno.<ref>{{Citar periódico |titulo=Protein Digestion and Absorption |url=http://dx.doi.org/10.1016/b978-0-12-801238-3.65647-7 |publicado=Elsevier |data=2020 |isbn=978-0-12-818728-9 |paginas=311–314 |acessodata=2020-12-28 |primeiro=Donald |ultimo=Duerksen}}</ref> Inicialmente, o Ka-50N foi projetado para ser equipado com o sistema Merkury Low-Light TV (LLTV). Devido à falta de financiamento, o sistema atrasou e apresentou problemas de confiabilidade e capacidade. Como resultado, o foco mudou para sistemas infravermelhos de visão direta (FLIR). A Kamov elaborou um projeto em 1993 que incluía o sistema de mira Shkval-N com um sensor infravermelho. Muitas variantes foram tentadas. Em alguns, o Shkval original foi complementado por um sistema de imagem térmica, enquanto outros viram uma substituição completa pelo sistema diurno e noturno Samshit (também usado no Ka-52). Alguns dos dispositivos incluídos nos testes foram fabricados pelas empresas francesas SAGEM e Thomson.
 
Os testes levaram a duas versões "finais": Ka-50N "Night Shark" (russo: Ночная акула, "velvet belly lanternshark") e Ka-50Sh (russo: Шар, romanizado: Shar, "bola"; por causa de a torre esférica FLIR). O primeiro Ka-50Sh, que era a 8ª aeronave em pré-produção, Bort 018, voou pela primeira vez em 4 de março de 1997. Apresentava o sistema Samshit-50 instalado dentro de uma esfera de 640 mm (25 pol.) De diâmetro sob o nariz. O sistema Shkval foi movido para a área do cone do nariz. Nenhuma das versões de ataque noturno Ka-50 entrou em produção total.
 
==Ver também==