Diferenças entre edições de "José Padilha"

m
+correções semiautomáticas (v0.57/3.1.56/0.1)
m (+correções semiautomáticas (v0.57/3.1.56/0.1))
{{Info/Ator
| nome = José Padilha
| ocupação = [[Diretor de cinema|Cineasta]], [[roteirista]], [[Produtor cinematográfico|produtor]] e [[documentarista]]
| imagem = Jose Padilha by Gage Skidmore.jpg
| tamanho_imagemimagem_tamanho = 225px
| descrição = José Padilha em 2013
| data_nascimentonascimento_data = {{dnibrdni|lang=br|1|08|1967}}
| localidadennascimento_local = [[Rio de Janeiro (estado)|Rio de Janeiro]], [[Rio de Janeiro (estado)|RJ]], {{BRA}}
| atividade = 2000-presente
| urso = '''[[Urso de Ouro]]'''<br />[[Urso de Ouro|Melhor Filme]]<br />2008 - [[Tropa de Elite]]
| site_oficial =
| IMDB_id = 0655683
| emmy = '''[[Emmy|Melhor Documentário]]'''<br />2005 - [[Ônibus 174]]
}}
'''José Bastos Padilha Neto<ref>{{Citar web |url=http://brasileiros.com.br/2009/06/padilha-cenas-da-vida-real-no-sertao/# |titulo=Padilha, cenas da vida real no sertão |acessodata=19 de junho de 2016 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20160614224021/http://brasileiros.com.br/2009/06/padilha-cenas-da-vida-real-no-sertao/# |arquivodata=14 de junho de 2016 |urlmorta=yes }}</ref>''' ([[Rio de Janeiro (cidade)|Rio de Janeiro]], [[1º de agosto]] de [[1967]]) é um [[cineasta]], [[roteirista]], [[documentarista]] e [[produtor cinematográfico]] [[brasil]]eiro. Graduado em [[Administração de Empresas]] pela [[Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro]], estudou [[Economia Política]], [[Literatura Inglesa]] e [[Política Internacional]] em [[Oxford]], [[Inglaterra]].
 
Fundou em [[1997]], com o fotógrafo e diretor [[Marcos Prado (cineasta)|Marcos Prado]], a [[Zazen Produções]]. Seu primeiro [[roteiro]] produzido foi o [[documentário]] para a televisão Os carvoeiros, em [[1999]]. Sua estreia como diretor de cinema foi no premiado documentário [[Ônibus 174]], de [[2002]]. Seu primeiro longa de ficção foi o sucesso [[Tropa de Elite (2007)|Tropa de Elite]], em [[2007]].
 
Em [[2008]], Padilha foi incluído na lista 10 Directors to Watch da revista [[Variety]].<ref> [http://www.variety.com/article/VR1117979136 10 Directors to Watch 2008]. [[Variety]], 16 de janeiro de 2008, por Marcelo Cajueiro.</ref>
 
Ao lado de [[Fernando Meirelles]], foi o primeiro diretor anunciado no projeto [[Rio, Eu Te Amo]], da franquia [[Cities of Love]].
José Padilha nasceu em 1º de agosto de 1967, na cidade do [[Rio de Janeiro (cidade)|Rio de Janeiro]]. Formou-se em Administração de Empresas pela [[Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro]],<ref>{{citar web |url=http://www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrad/fq0912201016.htm |título=José Padilha |acessodata= |autor= |coautores= |data= |ano= |mes= |formato= |obra=UOL |publicado=Folha |páginas= |língua= |língua2=pt |língua3= |lang= |citação= }}</ref><ref>{{citar web |url=http://www.adorocinema.com/personalidades/personalidade-94070/ |título=José Padilha |acessodata=25 de setembro de 2014 |autor= |coautores= |data= |ano= |mes= |formato= |obra= |publicado=AdoroCinema |páginas= |língua= |língua2=pt |língua3= |lang= |citação= }}</ref> é neto de [[José Bastos Padilha]], presidente do [[Clube de Regatas do Flamengo]] entre 1933 e 1937, falecido durante a construção do estádio que leva o seu nome o [[Estádio da Gávea]].
 
== Carreira ==
=== Produtor e roteirista (1987-2000) ===
Esteve envolvido na produção do filme Tanga: Deu no New York Times ([[1987]]), dirigido por [[Henfil]], e trabalhou na viabilização financeira de [[Boca de Ouro (1990)|Boca de Ouro]], de [[Walter Avancini]]. Escreveu e produziu o documentário Os Carvoeiros ([[1999]]), dirigido por Nigel Noble. Dirigiu e produziu ainda o documentário para TV, Os Pantaneiros.
 
Esteve envolvido na produção do filme Tanga: Deu no New York Times ([[1987]]), dirigido por [[Henfil]], e trabalhou na viabilização financeira de [[Boca de Ouro (1990)|Boca de Ouro]], de [[Walter Avancini]]. Escreveu e produziu o documentário Os Carvoeiros ([[1999]]), dirigido por Nigel Noble. Dirigiu e produziu ainda o documentário para TV, Os Pantaneiros.
 
Produziu [[Estamira]], documentário dirigido por [[Marcos Prado (cineasta)|Marcos Prado]], sobre uma mulher [[esquizofrenia|esquizofrênica]] que, por mais de duas décadas, trabalhou e viveu no [[lixão]] do [[Jardim Gramacho]], em [[Duque de Caxias]], [[Rio de Janeiro (estado)|Rio de Janeiro]].
 
=== Documentarista (2002-2005) ===
Seu primeiro longa-metragem como diretor, [[Ônibus 174]] ([[2002]]) tenta reconstituir um episódio violento do [[Rio de Janeiro (estado)|Rio de Janeiro]], o sequestro de um ônibus que terminou em tragédia. <ref name="FOLHA">{{citar web|url=http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u57734.shtml|titulo=Folha Uol - Após "Ônibus 174", Padilha filma roteiro de PM|acessodata=02/05/2009}}</ref>
 
Em [[2005]], iniciou a preparação de Fome, documentário sobre a trajetória de uma família mineira que mostra de que forma os indivíduos lidam com a fome no cotidiano.
 
=== Tropa de Elite (2006-2010) ===
{{Artigo principal|[[Tropa de Elite]]}}
 
Em [[2007]], foi lançado [[Tropa de Elite]], sua primeira ficção.<ref name="FOLHA"/> O filme, que foi pirateado quase dois meses antes da estreia, ganhou grande repercussão e estima-se que 11 milhões de pessoas tenham assistido ao DVD pirata. Nos cinemas, o filme conquistou o maior número de espectadores no Ranking Nacional de 2007. Em [[15 de fevereiro]] de [[2008]] ganhou o [[Urso de Ouro]], em [[Berlim]], por Tropa de Elite.<ref>{{citar web|último=Folha Online|título="Tropa de Elite" conquista o Urso de Ouro do Festival de Berlim|url=http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u373056.shtml|obra=[[Folha de S. Paulo]]|acessodata=20 de junho de 2013|data=16 de fevereiro de 2008}}</ref>
 
Em [[2009]], filmou [[Segredos da Tribo]], em inglês [[Secrets of the Tribe]], aonde Padilha expõe a guerra entre antropólogos por causa dos [[ianomâmi]]. O documentário apresenta um debate interessante sobre a comunidade científica e seus efeitos sobre os grupos que estuda ou uma visão superficial e reducionista da produção desses cientistas. O filme teve sua premiere no [[Festival Sundance de Cinema|Sundance Festival]] de 2010.<ref name="IG">{{citar web|url=http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/jose+padilha+mostra+antropologos+como+viloes+no+documentario+quotquotsegredos+da+triboquotquot/n1237588760627.html|titulo=José Padilha mostra antropólogos como vilões no documentário Segredos da Tribo}}</ref>
Em [[2010]], lançou [[Tropa de Elite 2: O Inimigo Agora é Outro]]. O filme teve o maior público da história do cinema brasileiro para um filme nacional, com mais de 11 milhões de espectadores, batendo [[Dona Flor e Seus Dois Maridos (filme)|Dona Flor e Seus Dois Maridos]].<ref>{{citar web|último=Francisco Russo|título=Curiosidades, bastidores, novidades, e até segredos escondidos de "Dona Flor e Seus Dois Maridos" e das filmagens!|url=http://www.adorocinema.com/filmes/filme-4280/curiosidades/|obra=[[AdoroCinema]]|acessodata=20 de junho de 2013}}</ref>
 
=== Atualidade (2011-{{CURRENTYEAR}}2021) ===
 
Em [[2014]], Padilha dirigiu [[RoboCop (2014)|RoboCop]], remake do [[RoboCop|filme homônimo de 1987]].<ref>{{citar web|url=http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/890696-jose-padilha-confirma-que-vai-dirigir-novo-robocop.shtml|titulo=Folha Ilustrada - José Padilha confirma que vai dirigir novo "Robocop"|acessodata=18/03/2011}}</ref> No ano de [[2012]], José desmentiu afirmações feitas por seu amigo e também diretor [[Fernando Meirelles]], que disse que as filmagens do remake de RoboCop estariam sendo a pior experiência de sua vida, porque o estúdio estaria lhe dando pouca liberdade criativa.<ref>{{citar web|último=|título=Meirelles diz que Padilha definiu como "um inferno" trabalhar em "RoboCop"|url=http://cinema.uol.com.br/noticias/redacao/2012/08/27/meirelles-diz-que-padilha-definiu-como-um-inferno-trabalhar-em-robocop.htm|obra=[[UOL]]|acessodata=27 de agosto de 2012}}</ref>
 
Em [[2015]], Padilha dirigiu a série [[Narcos]] da [[Netflix]], que conta sobre a ascensão de [[Pablo Escobar]], o maior traficante da Colômbia, e dos esforços das [[Drug Enforcement Administration|DEA]] para derrubar seu cartel. Em 2018, preparou também para o serviço online uma série sobre a [[Operação Lava Jato]], denominada "[[O Mecanismo]]", em parceria com Elena Soares, roteirista de [[Xingu (filme)|Xingu]], baseado no livro "Lava Jato: O Juiz [[Sérgio Moro]] e os Bastidores da Operação que Abalou o Brasil", do jornalista [[Vladimir Netto]]<ref>[http://oglobo.globo.com/cultura/revista-da-tv/netflix-exibira-serie-sobre-lava-jato-de-jose-padilha-19093624 José Padilha vai filmar série inspirada na Lava-Jato]</ref>, publicado em 21 de junho de 2016<ref>{{Citar periódico|titulo=Repórter da Globo, Vladimir Netto revela bastidores da Lava Jato em livro|jornal=Terra|url=https://diversao.terra.com.br/tv/blog-sala-de-tv/reporter-da-globo-vladimir-netto-revela-bastidores-da-lava-jato-em-livro,106d599c10e44e5f74408da74c8d0aecol0o59y9.html|idioma=pt-BR}}</ref>. A série foi alvo de críticas por setores de esquerda, ligados, na opinião de Padilha, ao Partido dos Trabalhadores, incluindo mídias outrora supostamente financiadas pelo governo Dilma e denunciados em delação premiada<ref>{{Citar periódico|titulo=Dilma e site de esquerda citado na Lava Jato acusam Netflix e Padilha de deturparem fatos em série - Notícias - Política|url=https://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2018/03/25/site-de-esquerda-citado-na-lava-jato-acusa-netflix-de-deturpar-fatos-na-serie-o-mecanismo.htm|jornal=Política|lingua=pt-BR}}</ref>. Entre outras acusações, está a de atribuir ao personagem Higino, baseado no ex-presidente [[Luiz Inácio Lula da Silva|Lula]], a uma fala do senador Romero Jucá, numa conversa gravada onde planejava os detalhes do [[impeachment de Dilma Rousseff]], "é preciso estancar essa sangria", que na série é posta como se fosse contra a operação Lava-Jato. Embora o próprio ex-presidente já tenha falado contra a operação, reclamando de tribunais e políticos acovardados diante da "[[República de Curitiba]]".<ref>{{Citar periódico|titulo=Em série da Lava Jato, ‘Lula’ diz frase de Jucá|url=http://br18.com.br/em-serie-da-lava-jato-lula-diz-frase-de-juca/|jornal=BR 18|lingua=pt-br}}</ref> Padilha afirma que Lula também já insinuou que a [[Operação Lava Jato]] é danosa ao país, inclusive dizendo que a mesma ajudou a quebrar o [[Rio de Janeiro (estado)|Estado do Rio de Janeiro]]. Padilha também rebateu as criticas afirmando, primeiramente "'O Mecanismo' é uma obra-comentário. Na abertura de cada capítulo está escrito que os fatos estão dramatizados, se a [[Dilma Rousseff|Dilma]] soubesse ler, não estaríamos com esse problema", em segundo lugar disse que não dirigiu nem roteirizou o episódio especifico da fala em questão, além de a frase polêmica não ser propriedade de Jucá e portanto os roteiristas são livres para usa-la. Por último, chamou o debate de "boboca", afirmando que "se a principal reclamação é o uso desta expressão, pode-se imaginar que o público petista está achando difícil negar todo o resto. Nada a dizer quanto aos roubos e desvios de verba públicas praticados por Higino e Tames com os empreiteiros?" Também disse que "...bandidos entram na sua casa, estupram sua esposa, matam seu filho, e roubam tudo o que você tem. Na saída surrupiam um isqueiro. A esquerda quer debater a cor do isqueiro."<ref>{{Citar web|url=http://www.infomoney.com.br/mercados/politica/noticia/7347429/dilma-critica-serie-mecanismo-padilha-responde-soubesse-ler-nao-estariamos|titulo=Dilma critica série "O Mecanismo" e Padilha responde: "se soubesse ler, não estaríamos com esse problema"|acessodata=2018-03-29|obra=www.infomoney.com.br|ultimo=Umpieres|primeiro=Rodrigo Tolotti|lingua=pt-br}}</ref>.
 
O mais recente trabalho audiovisual de José Padilha, aborda romance, crime organizado e esquemas ilícitos. O cineasta brasileiro assinou o clipe da faixa "Let Me" do [[Zayn]], da boyband britânica [[One Direction]].
 
Em artigo publicado em 14 de abril de 2019 no jornal Folha de S. Paulo, o cineasta mostra-se arrependido e decepcionado consigo mesmo e com a figura de Sérgio Moro, que ele diz estar "favorecendo as milícias". <ref>{{Citar web|titulo=José Padilha: O ministro antiFalcone|url=https://www1.folha.uol.com.br/opiniao/2019/04/o-ministro-antifalcone.shtml|obra=Folha de S.Paulo|data=2019-04-16|acessodata=2019-04-16|lingua=pt-BR}}</ref>Tempos depois, assumiu que julgou mal o Ministro Sergio Moro.
 
=== Cinema ===
{| class="wikitable"
|-
| 2004 ||[[Estamira]]|| Produtor
|-
| 2007 ||[[Tropa de Elite (2007)|Tropa de Elite]]||Diretor e produtor||
|-
| 2009 ||[[Garapa (filme)|Garapa]]|| Diretor || Documentário
|[[Segredos da Tribo]]|| Diretor || Documentário de televisão
|-
| 2011 ||[[Paraísos Artificiais (filme)|Paraísos Artificiais]]|| Produtor ||
|-
| rowspan="2"| 2014 ||[[RoboCop (2014)|RoboCop]]|| rowspan="2" | Diretor ||
|-
|[[Rio, Eu Te Amo]]||
|-
|2016 || Curumim,O Homem Que Queria Voar || Produtor || Documentário
|-
|2018
|[[Entebbe (filme)|7 Days in Entebbe]]
|Diretor
 
|}
 
=== Televisão ===
{| class="wikitable"
|-
|-
| 2015 ||[[Narcos]]|| rowspan="2" | Diretor e produtor executivo || rowspan="2" | Serie Netflix
|-
| 2018 ||[[O Mecanismo]]
|}
{{Referências}}
 
== Ligações externas ==
*[ {{Link||2=https://web.archive.org/web/20090116021326/http://www.filmeb.com.br/quemequem/html/QEQ_profissional.php?get_cd_profissional=PE218 |3=Filme B - Quem é quem no cinema - José Padilha] |4={{Small|Visitado em 2/05/2009}}}}
{{José Padilha}}
{{Prêmio Faz Diferença O Globo - Segundo Caderno: Cinema}}
{{Portal3|Arte|Biografias|Cinema|Rio de Janeiro|Brasil}}
 
[[Categoria:Cineastas do Rio de Janeiro]]