Diferenças entre edições de "Zé Gotinha"

Resgatando 2 fontes e marcando 0 como inativas.) #IABot (v2.0.7
m (ajustes usando script)
(Resgatando 2 fontes e marcando 0 como inativas.) #IABot (v2.0.7)
'''Zé Gotinha''' é um personagem brasileiro criado para as [[campanha de vacinação|campanhas de vacinação]] contra o vírus da [[poliomielite]] com o objetivo de tornar o evento mais atraente para as crianças. Foi utilizado em campanhas nas décadas de 1980 e 1990 e na campanha de 2006, para a conscientização dos pais e as crianças sobre a importância da vacinação.<ref>[http://portal.saude.gov.br/portal/aplicacoes/noticias/noticias_detalhe.cfm?co_seq_noticia=27434 Dia do Zé Gotinha]{{ligação inativa|data=dezembro de 2019 }} Jornal de Brasília - edição de 08/06/2006</ref> O Zé Gotinha também é utilizado para alertar sobre a importância da prevenção de várias outras doenças.
 
Nos anos seguintes, logo após ele se incorporar ao imaginário infantil, firmando-se como sinônimo de vacina e como referencial para a população em termos de métodos de prevenção, o personagem adotou uma cor diferente para cada vacina infantil: branco para a [[poliomielite]], vermelho para o [[sarampo]], azul-marinho para [[tuberculose]], azul-claro para [[coqueluche]], laranja para [[difteria]] e verde para [[tétano]].<ref>[http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/node/619532 memoria.ebc.com.br/] {{Wayback|url=http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/node/619532 |date=20210104060632 }} ''Criador do Zé Gotinha doa obras ao Museu da Funasa''</ref>
 
== História ==
Criado em 1986 pelo artista plástico Darlan Rosa<ref>[http://www2.camara.leg.br/a-camara/visiteacamara/cultura-na-camara/museu/acervo/obras-de-arte/darlan-rosa Darlan Rosa - 1947, Coromandel, MG – Vive em Brasília, DF] {{Wayback|url=http://www2.camara.leg.br/a-camara/visiteacamara/cultura-na-camara/museu/acervo/obras-de-arte/darlan-rosa |date=20210104060731 }} Câmara do Deputados do Brasil - acessado em 2 de setembro de 2018</ref> a pedido do [[Ministério da Saúde do Brasil]], sua denominação foi escolhido nacionalmente, através de um concurso promovido pelo Ministério da Saúde com alunos de escolas de todo o Brasil. O nome vencedor foi uma sugestão de um aluno do Distrito Federal. Assim, começou a divulgação da campanha contra a poliomielite em jornais, TVs e rádio.
 
O personagem tinha como principal objetivo tornar as campanhas de vacinação mais atraentes para as crianças, e com isso tornar a vacinação um dia de festa, fazendo com que as crianças quisessem participar.
10 259

edições