Diferenças entre edições de "Concordata entre a Santa Sé e Portugal de 1940"

(→‎Bibliografia: Adicionando o Instituto Diplomático como fonte)
 
==Negociação e assinatura==
O início das negociações remontam a 1926 quando após o [[Golpe de Estado de 28 de Maio de 1926|Golpe de Estado de 28 de Maio]] a Santa Sé declarou ter deixado de reconhecer o [[Padroado português]] como consequênica da declaração da República, dado que os poderes delegados pelo Papa, por via do Padroado, tinham-no sido no Rei de Portugal.{{sfn|REIS|2006|p=40}}
 
Com a subida de Salazar ao poder e a implantação do [[Estado Novo (Portugal)|Estado Novo]], depois de várias conversações preliminares, começou, no verão de 1937, um longo e complexo processo negocial, tendo em vista a criação de um sistema bem definido e estável das relações Estado-Igreja. Este processo culminou com a assinatura de uma Concordata entre Portugal e a Santa Sé, no dia [[7 de Maio]] de [[1940]], que viria oficializar as relações entre as duas partes.
1 292

edições