Diferenças entre edições de "Pandemia de COVID-19 no Brasil"

(→‎Pandemia de COVID-19 no Brasil: Adicionou ligações)
Etiquetas: Edição via dispositivo móvel Edição via aplic. móvel Edição via aplic. Android
}}
 
A '''[[pandemia de COVID-19]] no Brasil''' teve início em 26 de fevereiro de 2020, após a confirmação de que um homem de 61 anos de [[São Paulo]] que retornou da [[Itália]] testou positivo para o [[SARS-CoV-2]], causador da [[COVID-19]]. Desde então, em {{HOJE}}, confirmaram-se 8.075393.998492 casos, a maior parte deles no [[São Paulo (estado)|estado de São Paulo]], (segundo o [[Ministério da Saúde (Brasil)|Ministério da Saúde]]) causando 202208.631246 mortes. A transmissão comunitária foi confirmada para todo o território nacional.<ref>{{Citar web |url=https://agenciabrasil.ebc.com.br/saude/noticia/2020-03/covid-19-governo-declara-transmissao-comunitaria-em-todo-o-pais |titulo=Covid-19: governo declara transmissão comunitária em todo o país |data=20/03/2020 |acessodata=25/03/2020 |publicado=Agência Brasil}}</ref>
 
A pandemia afetou a economia do país, que vinha se recuperando da [[Crise político-econômica no Brasil desde 2014|crise econômica de 2014]]. Em 30 de março de 2020, pela primeira vez, foi prevista uma retração no [[Produto interno bruto do Brasil|Produto Interno Bruto]] (PIB) para o ano, atrasando mais ainda o fim da crise e a retomada do crescimento. Como consequência a crise econômica gerada atingiu setores diversos, que inclui os de serviços essenciais. Como medida de enfrentamento a crise, o [[Congresso Nacional do Brasil|Congresso Nacional]] aprovou o [[auxílio emergencial]], posteriormente sancionado pelo presidente [[Jair Bolsonaro]].<ref>{{citar web|url=https://g1.globo.com/politica/noticia/2020/04/01/bolsonaro-sanciona-lei-que-preve-auxilio-de-r-600-mensais-a-trabalhadores-informais-diz-planalto.ghtml|publicado=Globo|obra=G1|título=Bolsonaro sanciona com vetos auxílio de R$ 600 mensais a trabalhadores informais|data=1 de abril de 2020|acessodata=8 de maio de 2020}}</ref> Com novos casos confirmados do [[novo coronavírus]] e por consequência o isolamento social, outros setores, como da [[imprensa brasileira|imprensa]], [[cultura brasileira|cultura]], [[esporte brasileiro|esporte]] e [[Religiões no Brasil|religião]] foram afetados; escolas e universidades tiveram as aulas suspensas; na política, o [[Senado Federal do Brasil|Senado Federal]] pela primeira vez na história iniciou a sessão virtual; na linha de frente do combate ao coronavírus, afetou [[profissionais de saúde]], que perderam suas vidas. A partir de abril, a doença atingiu [[Povos indígenas do Brasil|indígenas brasileiros]],<ref>{{citar web|url=https://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/redacao/2020/04/01/coronavirus-amazonas-tem-primeiro-caso-de-indio-infectado-por-covid-19.htm|publicado=Uol|titulo=Coronavírus: Brasil tem primeiro caso de índio infectado por covid-19|data=1 de abril de 2020|acessodata=16 de maio de 2020}}</ref> posteriormente causando a morte de 92 índios.<ref name="epoca_indios"/> Já nas [[favelas na cidade do Rio de Janeiro]], o número de mortes chegou a quase 100.<ref name="g1.globo.com">{{citar web|url=https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/2020/05/15/favelas-do-rio-tem-quase-100-mortos-por-coronavirus-segundo-prefeitura.ghtml|publicado=Globo|obra=G1|titulo=Favelas do Rio têm cerca de 100 mortos por coronavírus, segundo prefeitura|data=15 de maio de 2020|acessodata=16 de maio de 2020|autor=Livia Torres}}</ref>
2 279

edições