Inatismo: diferenças entre revisões

5 bytes adicionados ,  20 de janeiro de 2021
m
Pequenas correções ortográficas.
Etiquetas: Edição via dispositivo móvel Edição feita através do sítio móvel
m (Pequenas correções ortográficas.)
{{Sem-fontes|data=abril de 2015}}
'''Inatismo''' é a concepção que algumas [[ideia]]s/conhecimentos advindos de conteúdos mentais estão presentes desde o nascimento, isto é, não são adquiridas ou aprendidos.
 
O inatismo opõe-se particularmente ao [[empirismo]] de [[John Locke]], onde em sua obra "[[Ensaio acerca do Entendimento Humano]]", afirma que a [[mente]] (''mind'') é uma "[[tabula rasa]]", e toda ideia deriva da [[Experiência (filosofia)|experiência]] [[experiência sensível|sensível]].
 
As teorias inatistas já estão presentes em [[Platão]], mas também na [[Filosofia moderna]] - notadamente entre os [[racionalismo|racionalistas]] dos [[século XVII|séculos XVII]] e [[século XVIII|XVIII]], especialmente [[Descartes]], [[Bento de Espinoza|Espinoza]] e [[Gottfried Leibniz|Leibniz]], entre outros.
 
Também na psicologia, uma ideia inata é um conceito ou um item de conhecimento universal, isto é, algo com que todas as pessoas nascem - em oposição àquilo que as pessoas adquirem através da experiência.
 
== Variantes do [[nativismo]]  ==
4 930

edições