Diferenças entre edições de "Ordem dos Advogados do Brasil"

→‎Atuação recente da OAB: expansão e remoção de conteúdo sem fonte
m
(→‎Atuação recente da OAB: expansão e remoção de conteúdo sem fonte)
 
=== Atuação recente da OAB ===
Após a redemocratização do país, a Ordem continuou atuando politicamente e também na defesa do exercício profissional dos advogados, tendo participado no [[impeachment de Fernando Collor|''impeachment'' de Fernando Collor de Mello]] em 1992,<ref>{{citar web|url=https://veja.abril.com.br/blog/radar/presidente-da-oab-impeachment-de-collor-esta-com-covid-19/|obra=VEJA|titulo=Líder da OAB no impeachment de Collor está com Covid-19; estado é delicado|data=18 de abril de 2020}}</ref> nas reformas constitucionais e protestando contra o abuso no uso de medidas provisórias, bem como contra a falta de ética, tanto na política quanto nas eleições.
 
Em março de 2016, a OAB, por 26 votos a 2, decidiu apoiar o [[impeachment de Dilma Rousseff|''impeachment'' de Dilma Rousseff]] baseado no parecer do conselheiro federal Erick Venâncio.<ref>{{citar web|url=http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,oab-decide--por-27-votos-a-2--apoiar-o-pedido-de-impeachment-de-dilma-no-congresso,10000022109|publicado=Estadão|acessodata=19 de março de 2016|autor=Gustavo Aguiar|título=OAB decide, por 26 votos a 2, apoiar o pedido de impeachment de Dilma no Congresso|data=18 de março de 2016}}</ref><ref>{{citar web|url=http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/noticia/2016/03/oab-decide-apoiar-processo-de-impeachment-de-dilma-5115652.html|publicado=Zero Hora|acessodata=19 de março de 2016|data=18 de março de 2016|título=OAB decide apoiar processo de impeachment de Dilma|autor=Carlos Rollsing}}</ref>
Buscando dar eficácia às disposições da [[Constituição de 1988]], a Ordem lutou para que fosse aprovado o novo Estatuto da Advocacia e da OAB, o qual estabelece os direitos e os deveres dos advogados, bem como os fins e a organização da OAB, tratando dos estagiários, das caixas de assistência, das eleições internas e dos processos disciplinares.{{Carece de fontes|Brasil=sim|data=abril de 2017}}
 
No dia 21 de janeiro de 2021, a OAB denunciou por omissão no combate a [[pandemia de COVID-19 no Brasil]] o [[governo Jair Bolsonaro]] à [[Organização dos Estados Americanos]] (OEA). A OAB quer que seja reconhecido que o Estado brasileiro violou diversos artigos da Convenção Americana de Direitos Humanos devido à omissão em solucionar o colapso do sistema de saúde.<ref>{{citar web|url=https://congressoemfoco.uol.com.br/justica/oab-denuncia-governo-bolsonaro-a-oea-por-omissao-na-pandemia/|título=OAB denuncia governo Bolsonaro à OEA por omissão na pandemia|acessodata=2021-01-21|autor=|data=2021-01-21|website=Congresso em Foco|publicado=UOL|arquivodata=|arquivourl=|urlmorta=no}}</ref>
Em março de 2016, a OAB, por 26 votos a 2, decidiu apoiar o [[impeachment de Dilma Rousseff]] baseado no parecer do conselheiro federal Erick Venâncio.<ref>{{citar web|url=http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,oab-decide--por-27-votos-a-2--apoiar-o-pedido-de-impeachment-de-dilma-no-congresso,10000022109|publicado=Estadão|acessodata=19 de março de 2016|autor=Gustavo Aguiar|título=OAB decide, por 26 votos a 2, apoiar o pedido de impeachment de Dilma no Congresso|data=18 de março de 2016}}</ref><ref>{{citar web|url=http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/noticia/2016/03/oab-decide-apoiar-processo-de-impeachment-de-dilma-5115652.html|publicado=Zero Hora|acessodata=19 de março de 2016|data=18 de março de 2016|título=OAB decide apoiar processo de impeachment de Dilma|autor=Carlos Rollsing}}</ref>
 
== Exame da Ordem ==