Diferenças entre edições de "Alexandrino Brochado"

Indicação de dados sobre a importância de Alexandrino Brochado e fotografias. As fontes constam no próprio texto.
(Ajustes. Fontes)
(Indicação de dados sobre a importância de Alexandrino Brochado e fotografias. As fontes constam no próprio texto.)
Alexandrino Brochado viveu a sua infância na quinta de seus pais, da qual mais tarde seria proprietário. Estudou depois no [[Seminário de Vilar]] na cidade do Porto e foi ordenado presbítero a 17 de Setembro de 1944. Foi professor de Religião e Moral no Liceu Alexandre Herculano no Porto e secretário particular de D. [[Agostinho de Jesus e Sousa]], [[Bispo do Porto]] entre 1942 e 1952. Foi também fundador da [[Cáritas Portuguesa]] e, a partir de 1947, presidente da [[Cáritas Diocesana do Porto]], cargo que ocupava emeritamente à data da sua morte.<ref>[https://caritas.pt/2016/noticias-noticias/caritas-despede-se-do-pe-alexandrino-brochado Cáritas despede-se do Padre Alexandrino Brochado].</ref> Em 1953 foi nomeado Reitor da [[Capela das Almas]] na [[Rua de Santa Catarina]] na [[baixa do Porto]], emblemático lugar de culto da cidade ao qual dedicou grande parte da sua vida.
 
Para além destas actividades, desenvolveu outras iniciativas de cariz social. De entre essas destaca-se a construção, na década de 60, de um conjunto de habitações unifamiliares destinadas a famílias com poucos recursos, na Rua de Parada (1957) e em Soutelinhos (1960), em Raimonda, e a organização e implementação de um ambicioso projectoprojeto de apoio e acompanhamento a crianças austríacas afectadasafetadas pela [[Segunda Guerra Mundial]]. Após o final da guerraSegunda Guerra Mundial,e ao abrigo deste projeto, entre 1947 e 1958, 6000 crianças austríacas encontraram acolhimento temporário em famílias e organizações Portuguesas. Na sua grande maioria essas crianças voltaram ao seu país de origem. Algumas delas foram educadas e viveram toda a sua vida em Portugal. Por este trabalho a República da AustriaÁustria condecorou-o com a Grã-Cruz de Cavaleiro de Primeira Classe, em 10 de julho de 1968. Foi agraciado com a distinção de Monsenhor pelo [[Papa Bento XVI]]. Faleceu no Porto a 20 de Maio de 2016 com 95 anos.<ref name="FPAB" />
 
O Livro "Hermetica Sinfonia" (2006) da autoria de [[Ricardo Pereira]] e prefaciado por [[Mário Cláudio]], expõe e analisa a sua vida e obra, registando-se os testemunhos de Fernando Oliveira (Consul Honorário da Áustria, no Porto;D. Manuel Martins (Bispo emérito da Diocese de Setúbal); Acácio F. Catarino (Presidente do Conselho Nacional para a Promoção do Voluntariado); Mario Salgueirinho (Escritor re administrador da Fundação Voz Portucalense); Rui Osório (Jornalista e pároco da Foz do Douro); Ludwig Scheidl (Professor Catedrático da Universidade de Coimbra").
 
A singularidade e importância de Alexandrino Brochado no acolhimento de alguns milhares de crianças austríacas no nosso país, após a II Guerra Mundial, é manifesta em "As «Crianças Caritas», entre a Áustria e Portugal (1947-1958)", de Ana Regina da Silva Pinho, disponível em https://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/18216.pdf.
 
Alexandrino Brochado é nome de Rua em Raimonda e na sede do concelho de Paços de Ferreira, tendo busto
 
== Família ==