Diferenças entre edições de "Jacques Monod"

36 bytes removidos ,  12h03min de 9 de fevereiro de 2021
m
sem resumo de edição
(Revisão Geral)
Etiquetas: Editor Visual Inserção de predefinição obsoleta Inserção do elemento "nowiki", possivelmente errônea
m
|religiao =
}}
'''Jacques Lucien Monod''' ([[Paris]], {{dtlink|lang=pt|9|2|1910}} — [[Cannes]], {{dtlink|lang=pt|31|5|1976}}) foi um bioquímico [[França|francês]].<ref>{{Link|en|2=http://rsbm.royalsocietypublishing.org/content/roybiogmem/23/384|3=Jacques Lucien Monod. 9 February 1910 -- 31 May 1976}}</ref> que ganhou o [[Nobel de Fisiologia ou Medicina|Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina]] em 1965, compartilhando-o com [[François Jacob]] e [[André Lwoff]] "por suas descobertas sobre o controle genético da síntese de enzimas e vírus".<ref name="nobelprize2">{{cite web |ultimo= |primeiro= |url=http://nobelprize.org/nobel_prizes/medicine/laureates/1965/index.html |title=The Nobel Prize in Physiology or Medicine 1965 François Jacob, André Lwoff, Jacques Monod |data= |acessodata= |publisher=Nobelprize.org |access-date=June 30, -06-2010}}</ref><ref>''The Statue Within: an autobiography'' by [[François Jacob]], Basic Books, 1988. {{ISBN|0-465-08223-8}} Translated from the French. 1995 paperback: {{ISBN|0-87969-476-9}}</ref><ref name=":0">''[[Chance and Necessity|Chance and Necessity: An Essay on the Natural Philosophy of Modern Biology]]'' by Jacques Monod, New York, Alfred A. Knopf, 1971, {{ISBN|0-394-46615-2}}</ref><ref>''Of Microbes and Life'', Jacques Monod, Ernest Bornek, June 1971, Columbia University Press, {{ISBN|0-231-03431-8}}</ref><ref>''The Eighth Day of Creation: makers of the revolution in biology'' by Horace Freeland Judson, Simon and Schuster, 1979. {{ISBN|0-671-22540-5}}. Expanded Edition Cold Spring Harbour Laboratory Press, 1996. {{ISBN|0-87969-478-5}}. Widely{{quantify|date=February 2016}}-praised{{by whom|date=February 2016}} history of molecular biology recounted through the lives and work of the major figures, including Monod.</ref><ref>''Origins of Molecular Biology: a Tribute to Jacques Monod'' edited by Agnes Ullmann, Washington, ASM Press, 2003, {{ISBN|1-55581-281-3}}. Jacques Monod seen by persons who interacted with him as a scientist.</ref>
 
Monod e Jacob ficaram famosos por seu trabalho com o [[Operon lac|operon]] ''lac de E. coli'', que codifica as proteínas necessárias para o transporte e a quebra da lactose do açúcar (lac). A partir de seu próprio trabalho e do trabalho de outras pessoas, eles criaram um modelo de como os níveis de algumas [[Proteína|proteínas]] em uma célula são controlados. Em seu modelo, a fabricação de proteínas, como as codificadas no operon ''lac'' (lactose), é evitada quando um repressor, codificado por um gene regulador, se liga ao seu operador, um local específico na sequência de [[DNA]] que está próximo aos genes que codificam as proteínas. (Sabe-se agora que um repressor ligado a um operador bloqueia fisicamente a [[Rna|RNA]] [[polimerase]] de se ligar ao promotor, o local onde começa a transcrição dos genes adjacentes.)
 
O estudo do controle da expressão de genes no operon ''lac'' forneceu o primeiro exemplo de um sistema para a regulação da transcrição. Monod também sugeriu a existência de moléculas de [[RNA Mensageiro|RNA mensageiro]] que ligam as informações codificadas no DNA e nas proteínas. Por essas contribuições, ele é amplamente considerado um dos fundadores da [[biologia molecular]].<ref name="Ullmann">{{cite book|url=https://books.google.com/books?id=qE70pFioH8gC&q=molecular+biology|title=Origins of molecular biology: a tribute to Jacques Monod|last=Ullmann|first=Agnès|publisher=ASM Press|isbn=1-55581-281-3|page=xiv|year=2003}}</ref><ref>{{Cite journal |title=Jacques Monod, 1910–1976 |acessodata= |jornal= |publicado= |ultimo= |primeiro= |year=1977 |pagina= |pages=1–12 |doi=10.1099/00221287-101-1-1 |pmid=330816 |volume=101 |doi-access=free |last1=Stanier |first1=R. |journal=Journal of General Microbiology |issue=1}}</ref>
 
== Carreira e pesquisa ==
Nos estudos de Monod, ele descobriu que o trabalho do curso estava décadas atrás da ciência biológica atual. Ele aprendeu com outros alunos um pouco mais velhos do que ele, em vez de com o corpo docente. "A George Teissier ele deve uma preferência por descrições quantitativas; André Lwoff o iniciou nos potenciais da [[microbiologia]]; a [[Boris Ephrussi]] ele deve a descoberta da genética fisiológica, e a Louis Rapkine o conceito de que apenas descrições químicas e moleculares poderiam fornecer uma interpretação completa da função dos organismos vivos".<ref name="Nobelprize">{{Nobelprize|accessdate=2020-10-11}}Nobel prize with the Nobel Lecture on December 11, 1965 ''From Enzymatic Adaption to Allosteric Transitions''</ref>
 
Antes de seu trabalho de doutorado, Monod passou um ano no laboratório de [[Thomas Hunt Morgan]] no [[Instituto de Tecnologia da Califórnia]] trabalhando com genética de [[Drosophila]]. Esta foi uma verdadeira revelação para ele e provavelmente o influenciou no desenvolvimento de uma concepção genética de bioquímica e metabolismo.<ref>{{Cite journal |url=http://www.genetics.org/content/200/3/685 |title=The "Genetic Program": Behind the Genesis of an Influential Metaphor |date=July 1, 2015 |last=Peluffo |first=Alexandre E. |pages=685–696 |language=en |doi=10.1534/genetics.115.178418 |issn=0016-6731 |pmc=4512536 |pmid=26170444 |volume=200 |journal=Genetics |issue=3}}</ref>
 
== Vida pessoal ==
Monod nasceu em Paris, filho de uma mãe americana de [[Milwaukee]], Charlotte (Sharlie) MacGregor Todd, e de um pai huguenote francês, Lucien Monod, que era um pintor e o inspirou artística e intelectualmente.<ref name="Lwoff-385">{{Cite journal |title=Jacques Lucien Monod. 9 February 1910 -- 31 May 1976 |year=1977 |pages=384–412 |doi=10.1098/rsbm.1977.0015 |pmid=11615735 |volume=23 |doi-access=free |last1=Lwoff |first1=A. M. |author-link=André Michel Lwoff |journal=[[Biographical Memoirs of Fellows of the Royal Society]]}}</ref> Ele frequentou o ''lycée'' em Cannes até os 18 anos.<ref name=":1" /> Em outubro de 1928, ele começou seus estudos em biologia na Sorbonne.<ref name="Lwoff-385" /> Durante a Segunda Guerra Mundial, Monod foi ativo na Resistência Francesa, tornando-se o chefe do Estado-Maior das Forças do Interior da França. Ele foi um Chevalier na Légion d'Honneur (1945) e recebeu a Croix de Guerre (1945) e a Medalha de Estrela de Bronze americana.<ref name="nyt-obit">{{cite news |last=Prial |first=Frank |url=https://www.nytimes.com/1976/06/01/archives/jacques-monod-nobel-biologist-dies-thought-existence-is-based-on.html |title=Jacques Monod, Nobel Biologist, Dies; Thought Existence Is Based on Chance |date=June 1, -06-1976 |acessodata= |publicado= |newspaper=The New York Times |access-date=October 30, -10-2020}}</ref>
 
Em 1938 ele se casou com Odette Bruhl (falecido em 1972).<ref>{{cite book|url=https://www.royalsoced.org.uk/cms/files/fellows/biographical_index/fells_indexp2.pdf|title=Biographical Index of Former Fellows of the Royal Society of Edinburgh 1783–2002|ultimo=|primeiro=|date=July 2006|publisher=The Royal Society of Edinburgh|ano=|local=|página=|páginas=|isbn=0-902-198-84-X}}</ref>
 
Jacques Monod morreu de leucemia em 1976 e foi enterrado no Cimetière du Grand Jas em [[Cannes]], na [[Riviera Francesa]].
 
* "O primeiro postulado científico é a objetividade da natureza: a natureza não tem nenhuma intenção ou objetivo."<ref>''Chance and Necessity: An Essay on the Natural Philosophy of Modern Biology''por Jacques Monod, Nova York, Alfred A. Knopf, 1971,ISBN0-394-46615-2 </ref>
* "Qualquer coisa considerada verdadeira para a ''[[E. coli]]'' também deve ser verdadeira para os elefantes."<ref>{{cite journal |title=From 'Butyribacterium' to 'E. coli' : An Essay on Unity |acessodata= |jornal= |publicado= |last=Friedmann |first=Herbert Claus |year=2004 |pagina= |pages=47–66 |doi=10.1353/pbm.2004.0007 |pmid=15061168 |volume=47 |journal=Biochemistry Perspectives in Biology and Medicine |issue=1 |s2cid=23614433}}</ref>
* "O universo não está grávido de vida, nem a biosfera do homem... O homem finalmente sabe que está sozinho na insensível imensidão do universo, do qual emergiu apenas por acaso. Seu destino não foi explicado em lugar nenhum, nem é o seu dever. O reino acima ou as trevas abaixo: cabe a ele escolher."<ref>{{cite book|url=https://archive.org/details/eeriesilencerene00davi/page/25|title=The Eerie Silence|last=Davies|first=Paul|publisher=Houghton Mifflin Harcourt|isbn=978-0-547-13324-9|year=2010|location=Boston, New York|page=[https://archive.org/details/eeriesilencerene00davi/page/25 25]}}</ref>
{{Referências}}