Diferenças entre edições de "Império Neobabilônico"

{{Em construção}}{{Info/Estado extinto2
|imagens_tamanho =300
|nome = Império Neobabilônico
|outro_nome = Segundo Império Babilônico<br>[[Caldeia]]
|p1 = Império Neoassírio
|bandeira_p1 = Map of Assyria-pt.svg
Em {{AC|612|x}}, os aliados convergiram sobre [[Nínive]] e, após um longo cerco, afinal conquistaram a orgulhosa capital da Assíria. A cidade foi devastada e o rei assírio, [[Sinsariscum]], desapareceu entre as chamas ateadas pelos invasores. Seu sucessor, {{lknb|Assurubalite|II}}, ainda tentou resistir em [[Harã]], com o apoio dos egípcios, mas essa cidade também caiu, três anos depois (606 a.C.). Enfermo e já com avançada idade, Nabopolassar deixou esta vida em agosto de {{AC|605|x}}.{{Carece de fontes|data=fevereiro de 2021}}
 
=== Nabucodonosor II (NabucudurriusurNabu-cudurri-usur II) ===
{{Artigo principal|Nabucodonosor II}}
O sucessor do rei Nabopolassar, seu filho Nabucodonosor, tentou restaurar a época de [[Hamurábi]]. Reconstruiu a cidade da Babilônia, construiu templos para vários deuses, especialmente o de [[Marduque]], e cercou a cidade com uma enorme muralha. Embora o Segundo Império Babilônico tenha perdurado por menos de um século, o filho de Nabopolassar, {{lknb|Nabucodonosor|II}} {{nwrap|r.|605|{{AC|563|x}}}}, transformou a Babilônia num centro cultural e arquitetônico. As conquistas realizadas pela expansão territorial babilônica fizeram com que Nabucodonosor adquirisse imensas riquezas, o que o possibilitou a realização de grandiosas obras arquitetônicas como o zigurate e os [[Jardins Suspensos da Babilônia]].{{Carece de fontes|data=fevereiro de 2021}}
Em {{Dni|6|agosto|560 a.C.|si|lang=br}}, Nergal-Sarezer ou Neriglissar, cunhado do rei Evil-Merodaque e casado com [[Cassaia]], uma de suas irmãs, reuniu nobres descontentes junto a ele e naquele mesmo dia, destronaram o filho de Nabucodonosor II e o assassinaram brutalmente. Amitis da Média fugiu para o Império Medo, onde seu irmão, o rei [[Astíages]], reinava. Em Babilônia, após uma semana num vácuo de poder, Neriglissar estava instalado como novo rei de Babilônia.<ref name=":0" />
 
=== Neriglissar (NergalsarusurNergal-sar-usur) ===
{{Artigo principal|Neriglissar}}
[[Neriglissar]] (r. 560-557 a.C.) introduziu o seu reinado na Babilônia no dia 13 de Agosto de 560 a.C., logo depois de derrubar e assassinar Evil-Merodaque do trono. Neriglissar não é lembrado de muita coisa, uma especulação que existe é de que Neriglissar tenha quebrado a aliança entre Império Neobabilônico e o Império Medo após ter assassinado Evil-Merodaque que possuía sangue medo, mas isto não passa de especulações.<ref>{{Citar web |url=https://wol.jw.org/pt/wol/d/r5/lp-t/1200003229 |titulo=Nergal-Sarezer — BIBLIOTECA ON-LINE da Torre de Vigia |acessodata=2021-02-17 |website=wol.jw.org}}</ref>
Mas apesar de seu sucesso, o reinado de Neriglissar foi breve. Os motivos da morte não são muito bem conhecidos, mas sabe-se que ele foi sucedido por seu filho Labasi-Marduque em {{AC|556|x}}.<ref name=":1" />
 
=== Rei Labasi-Marduque ===
{{AP|Labasi-Marduque}}
[[Labasi-Marduque]] ascendeu ao trono babilônico no ano de {{AC|556 a.C.|x}}, após a morte de seu pai, o rei Neriglissar. Labasi-MarduqueEle foi coroado em Maiomaio de {{AC|556 a.C|x}} porém seu reinado foi breve. O sacerdote Beroso que escreveu 3 livros da história da Babilônia afirmou que Labasi-Marduque foi deposto pelos sacerdotes de [[Marduque]] devido a suas "tendências a se endireitar ao caminho do mal".<ref name=":2">{{Citar web |url=https://www.livius.org/articles/person/labasi-marduk/ |titulo=Labaši-Marduk - Livius |acessodata=2021-02-24 |website=www.livius.org}}</ref>
 
Acredita-se que a mãe do chanceler [[Nabonido]], foi quem organizou a conspiração contra o rei Labasi-Marduque mas devemos lembrar que existem outras teorias de que [[Belsazar]], filho de Nabonido, foi o verdadeiro responsável por tirar Labasi-Marduque do trono e colocar a coroa na cabeça de Nabonido, a versão mais aceita é que Labasi-Marduque teve a garganta cortada por Nabonido numa conspiração palaciana liderada pelo mesmo.<ref name=":2" />
 
Foi apenas noem mês de Junhojunho que a morte de Labasi-Marduque foi declarada e Nabonido assumiu o trono oficialmente, por esse motivo, Beroso o atribui 2 meses de reinado.<ref name=":2" />
 
=== Nabonido ===
[[Nabonido]] {{-nwrap|r.|555|539}} subiu ao trono real após liderar uma conspiração contra Labasi-Marduque, que era o atual Rei de Babilônia. Nabonido não era um bom governante pois não tinha experiência e nem fora preparado para isso, dessa forma, [[Nitócris da Babilônia|Nitócris]], por ter sangue real e ter um melhor preparo, foi a segunda rainha-reinante de Babilônia, atrás apenas de [[Semíramis]]. Nitócris ordenou a construção de uma passagem artificial no centro da cidade de Babilônia, para o melhor trajeto de barcos comerciais que passavam pela grande capital do mundo da época. Nabonido, influenciado pela classe militar, realizou uma nova campanha na Cilícia, como o seu predecessor, Neriglissar.<ref>{{Citar web |url=https://wol.jw.org/pt/wol/d/r5/lp-t/1200003156 |titulo=Nabonido — BIBLIOTECA ON-LINE da Torre de Vigia |acessodata=2021-02-17 |website=wol.jw.org}}</ref>
 
Nabonido logo começou suas reformas religiosas no reino de Babilônia. Ele criou a tríade, uma espécie de trindade entre os deuses, [[Sim (mitologia)|Sim]], [[Samas]] e [[Istar]] (Lua, Sol e Vênus). Consequentemente, a Babilônia, teoricamente pertencendo a Marduque, houve um forte conflito religioso entre o rei Nabonido e seus sacerdotes, de tal forma, que a classe sacerdotal passou a deixar de apoiar Nabonido aos poucos. Dois anos após estes acontecimentos, um golpe no Estado fantoche do reino da Cilícia fez com que Nabonido marcha-se com seu exército para a Cilícia a fim de sufocar a revolta. O objetivo foi feito com sucesso e Nabonido voltou a ser reconhecido, pois, o partido militar apoiou seu reinado até o final. Nabonido já era homem de idade, e não iria conseguir realizar suas responsabilidades como monarca daquela forma, pois, ele havia cerca de 65 anos na época. Por isso, Nabonido, colocou seu filho mais velho, Belsazar, como co-regente na capital aproximadamente em {{AC|553 a.C.|x}} e juntamente com todo o seu exército enquanto Nabonido se isolou em Taima. Mais 2 anos se passaram desde que Belsazar assumiu o trono, Nabonido, já descansado em Taima, recebeu a notícia de que sua mãe, uma sacerdotisa Assíria, havia morrido. Nabonido viajou de Taima para Sipar onde reparou o templo de Samas, também foi para Ur, onde reparou o tão conhecido, [[Zigurate de Ur]].<ref name=":3">{{Citar web |url=https://www.livius.org/articles/person/nabonidus/ |titulo=Nabonidus - Livius |acessodata=2021-02-24 |website=www.livius.org}}</ref>
 
Durante seus últimos anos de reinado, Nabonido vendo a oportunidade de tomar terras da média para reformar templos que foram destruídos, apoiou o Reirei [[Ciro II]] da Pérsia na revolta contra o seu suserano, o rei [[Astíages]]. Nitócris era a mais sábia, e, vendo que o Império dos Medos, por ser grande, poderia tentar se expandir, e lembrando do destino de Nínive, destruída pelos medos, reformou Babilônia, para se preparar para a defesa.<ref name=":3" />
 
No seu último ano de reinado, Nabonido guerreou contra os persas e foi mal sucedido na conhecida Batalha de [[Opis]]. Nabonido também realizou um acordo militar com os egípcios, porém, Ciro II dominou a região litorânea o que impossibilitou o contato entre babilônicos e egípcios. Após Ciro II, rei da Pérsia, ter conquistado Babilônia e assassinado Belsazar, que era o co-regente, Nabonido retornou a Babilônia e lá se rendeu, ele foi deportado e se tornou uma governador de uma das provìnciasprovíncias do Império Persa.<ref name=":3" />
 
=== Belsazar ===
{{Artigo principal|Belsazar}}
O fato de que o nome de Belsazar não se tivesse encontrado em fontes antigas alheias à Bíblia, enquanto Nabonido sempre aparecia como o último rei de Babilônia antes da conquista dos persas, usava-se como um dos mais poderosos argumentos na contramão da historicidade do [[Livro de Daniel]]. Mas as descobertas efetuadas desde meados do século XIX refutaram a todos os críticos de Daniel neste respeito e têm vindicado de maneira impressionante o caráter fidedigno do relato histórico do profeta com respeito a Belsazar.{{Carece de fontes|data=fevereiro de 2021}}
 
== Declínio ==
{{AP|Queda da Babilónia}}
Os refinamentos da cidade da Babilônia transformaram-na numa cidade de corrupção e, pouco a pouco, suas defesas militares foram enfraquecidas. Em {{AC|539|x}}, [[Ciro II]], rei da Pérsia, aproveitou-se da decadência moral e militar da grande cidade e atacou-a, tornando impossível qualquer resistência. Os exércitos persas entraram na cidade sitiada sob os aplausos do povo, fato incomum na Antiguidade. A corrupção e as imoralidades vividas na corte de [[Nabonido]], seu último rei, provocaram o descontentamento do povo, o que facilitou ainda mais a [[Império Aquemênida|conquista persa]]. Era o fim de mais um império babilônico.{{Carece de fontes|data=fevereiro de 2021}}
 
== Ver também ==
{{Referências}}
*
*
*?
*http://www.livius.org/articles/person/labasi-Marduque/?
*
*http://www.livius.org/articles/person/nabonidus/?
 
== Bibliografia ==
2 377

edições