Diferenças entre edições de "Usuário(a):Verbetemontanha/Testes"

Disposição de imagens
(Disposição de imagens)
(Disposição de imagens)
 
== Principais representantes ==
[[Ficheiro:Robespierre.jpg|esquerda|miniaturadaimagem|190x190px|Retrato de '''''Maximilien de Robespierre''''' (1758-1794).]][[Ficheiro:Anonymous - Portrait de Louis-Antoine de Saint-Just (1767-1794), homme politique. - P859 - Musée Carnavalet.jpg|esquerda|miniaturadaimagem|183x183px|Retrato de '''''Louis-Antoine de Saint-Just (1767-1794).''''']]Por ser um movimento amplo e diversificado, a Montanha não contava com uma liderança unificada. Entretanto, alguns nomes se destacaram por seus feitos políticos. É o caso de [[Maximilien de Robespierre|Maximilien François Marie Isidore de Robespierre]], nascido em 6 de Maio de 1758, em [[Arras (França)|Arras]]. [[Maximilien de Robespierre|Robespierre]] foi um destacado jovem advogado, representante do distrito de Arras na [[Assembleia Nacional Legislativa (Revolução Francesa)|Assembleia Nacional]] e se tornou um dos principais apoiadores do governo revolucionário. [[Maximilien de Robespierre|Robespierre]] sabia das implicações dessa nova forma de governo e deixava claro que a defesa da [[Revolução Francesa|Revolução]] significava um estado de guerra contra seus opositores. Os seus apoiadores chamavam-lhe de "O Incorruptível", e durante a [[Convenção Nacional]], ele encarnou a tendência mais radical da [[Revolução Francesa|Revolução]]. [[Ficheiro:Anonyme - Portrait de Georges Danton (1759-1794), orateur et homme politique - P712 - musée Carnavalet.jpg|esquerda|miniaturadaimagem|190x190px|Retrato de '''''Georges Danton''''' (1759-1794). ]]Outro nome que teve forte relevância foi o de [[Louis Antoine Léon de Saint-Just|Louis-Antoine de Saint-Just,]] um aspirante a literato, que foi eleito para a convenção em 05 de Setembro de 1792, e votou pela execução do rei. Em 30 de maio de 1793 foi eleito membro do [[Comitê de Salvação Pública]], por sua intransigência durante o período de Terror, foi apelidado "arcanjo do Terror" e "arcanjo da Revolução". Um terceiro nome de força foi o de [[Georges Jacques Danton]] nasceu em uma família da pequena burguesia, no dia 26 de outubro de 1759, em uma cidade chamada [[Arcis-sur-Aube]], e a partir do estouro da Revolução em 1789, este jovem advogado  transformou-se em líder das massas populares de Paris. Em 1793 propôs a criação de um sistema de Comitês que exerceriam o poder executivo, ante a situação de emergência criada pelas ameaças interiores e exteriores contra o regime revolucionário. Ele mesmo chegou a presidir o mais importante, o [[Comitê de Salvação Pública]]; entretanto, três meses mais tarde, foi expulso e substituído pelo político francês [[Maximilien de Robespierre]], dando início a um período de [[ditadura]] revolucionária, por parte do partido político dos montanheses
 
Outro nome que teve forte relevância foi o de [[Louis Antoine Léon de Saint-Just|Louis-Antoine de Saint-Just,]] um aspirante a literato, que foi eleito para a convenção em 05 de Setembro de 1792, e votou pela execução do rei. Em 30 de maio de 1793 foi eleito membro do [[Comitê de Salvação Pública]], por sua intransigência durante o período de Terror, foi apelidado "arcanjo do Terror" e "arcanjo da Revolução". Um terceiro nome de força foi o de [[Georges Jacques Danton]] nasceu em uma família da pequena burguesia, no dia 26 de outubro de 1759, em uma cidade chamada [[Arcis-sur-Aube]], e a partir do estouro da Revolução em 1789, este jovem advogado  transformou-se em líder das massas populares de Paris. Em 1793 propôs a criação de um sistema de Comitês que exerceriam o poder executivo, ante a situação de emergência criada pelas ameaças interiores e exteriores contra o regime revolucionário. Ele mesmo chegou a presidir o mais importante, o [[Comitê de Salvação Pública]]; entretanto, três meses mais tarde, foi expulso e substituído pelo político francês [[Maximilien de Robespierre]], dando início a um período de [[ditadura]] revolucionária, por parte do partido político dos montanheses
[[Ficheiro:Viva a montanha! Revolução Francesa. .jpg|miniaturadaimagem|395x395px|Béricourt, E. '''''Viva a montanha; viva a única e indivisível República.''''']]
 
== O Governo Revolucionário ==
Os grupos políticos participantes da [[Assembleia Nacional Legislativa (Revolução Francesa)|Assembleia Nacional]] estavam divididos entre Direita, Centro e Esquerda: [[Girondino|Os girondinos]], em sua maior parte composta pela classe da alta [[burguesia]] e [[aristocracia]], que defendiam o fim da revolução, se localizavam do lado direito na [[Assembleia Nacional Legislativa (Revolução Francesa)|Assembleia Nacional]]. A [[Planície (Revolução Francesa)|Planície]] ou Pântano, localizava-se no centro das sessões e se caracterizou por posições políticas baseadas no favorecimento aos seus integrantes. E, na esquerda, localizava-se a [[Montanha (Revolução Francesa)|Montanha]], grupo revolucionário, anti-monarquista e defensor do povo. Essas designações se tornaram uma ferramenta de definição de posicionamento político até os dias atuais. [[Ficheiro:AnonymeViva -a Portraitmontanha! deRevolução GeorgesFrancesa. Danton (1759-1794), orateur et homme politique - P712 - musée Carnavalet.jpg|esquerda|miniaturadaimagem|190x190px447x447px|RetratoBéricourt, deE. '''''GeorgesViva Dantona montanha; viva a única e indivisível República.''''' (1759-1794). ]]Durante a chamada "segunda fase da [[Revolução Francesa]]" foi instaurada a [[Convenção (Revolução Francesa)|Convenção Nacional]] também conhecida apenas como [[Convenção (Revolução Francesa)|Convenção]], que substituiu a [[Assembleia Nacional Legislativa (Revolução Francesa)|Assembleia Nacional]] durante o período de 1792 a 1794. Havia uma disputa de interesses políticos e ideológicos entre a Gironda ([[Girondino|Girondinos]]) e a Montanha ([[Jacobinismo|Jacobinos]]) com relação aos rumos da Revolução. Ambos de origem burguesa, mas divergentes em suas ideias, sendo a Gironda a porta voz da burguesia de negócios contra as demandas dos [[Sans-culottes|Sans-Culottes]] e dos Montanheses (que estavam mais próximos dos [[Sans-culottes|Sans-Culottes]]) e tinham um desejo de unir as massas populares orientando-as politicamente.
 
O antagonismo entre girondinos e montanheses se agravou com as discussões que envolviam o julgamento do rei [[Luís XVI de França|Luís XVI]]. O povo mesmo receoso decidiu dar continuidade ao processo levando o rei o a julgamento; já dentro da [[Assembleia Nacional Constituinte (França)|Assembleia]] as discussões acirradas se dividiram entre a Montanha, que exigia a pena capital, e a Gironda conservadora que optava por uma pena menos sumária. Dos 718 deputados, a Montanha conseguiu 387 votos e o rei foi executado em 21 de janeiro de 1793. Após a execução de [[Luís XVI de França|Luís XVI]], o sentimento anti-monárquico prevaleceu contrariando as intenções girondinas de compromisso com a [[aristocracia]] e aumentando as chances de vitória do grupo revolucionário. Impulsionado pelo apoio público, os [[Jacobinismo|Jacobinos]] acusaram os [[Girondino|Girondinos]] de traição à [[Revolução Francesa|Revolução]] pela tentativa de defesa da vida do rei e os expulsaram da Assembleia Nacional. Após combater seus adversários políticos, a [[Montanha (Revolução Francesa)|Montanha]] se apropriou do poder e fundou a [[Jacobinismo|Convenção Jacobina]].
18

edições