Diferenças entre edições de "Palácio do Reichstag"

m
sem resumo de edição
m (o artigo é sobre o assunto, não sobre o nome do assunto; ajuste(s), typos fixed: 1:14h → 1:14 h)
m
 
[[File:Stamps of Germany (DDR) 1970, 1569.jpg|thumb|[[Selo postal]] de [[1970]]]]
 
Um mês após a nomeação de [[Adolf Hitler]] para o cargo de [[Chanceler da Alemanha]], o prédio foi incendiado. O fogo começou as 21:14 h21h14 no dia [[27 de Fevereiro]] de [[1933]]. Acredita-se que o incêndio tenha sido iniciado em vários lugares. Quando a polícia e os bombeiros chegaram ao local, houve uma grande explosão na [[Câmara dos Deputados]]. A polícia encontrou [[Marinus van der Lubbe]] sem camisa, dentro do prédio.
 
[[Adolf Hitler]] e [[Hermann Göring]] chegaram logo em seguida e quando encontraram Lubbe, um conhecido agitador [[comunista]], Göring imediatamente declarou que o incêndio fora causado pelos comunistas. Os dirigentes do partido foram então presos. Hitler, tirando proveito da situação, declarou estado de emergência e encorajou o então presidente [[Paul Von Hindenburg]] a assinar o [[Decreto do Incêndio do Reichstag]], que suspendia a maioria dos [[direitos humanos]] garantidos pela constituição de [[1919]] da República de Weimar.
 
=== Após 1933 ===
[[Ficheiro:Reichstag after the allied bombing of Berlin.jpg|200px230x230px|direita|thumb|O Reichstag após o bombardeio a [[Berlim]] dos [[Aliados da Segunda Guerra Mundial|aliados]] em [[1945]].]]
 
Ao contrário do que se imagina, durante os doze anos do [[Terceiro Reich]] (''Drittes Reich''), o ''Reichstag'' não foi usado para sessões parlamentares - o parlamento reunia-se no edifício Krolloper, uma antiga casa de ópera, já que o prédio do Reichstag havia sido danificado pelo fogo. Este foi usado para fins de propaganda e, durante a [[Segunda Guerra Mundial]], para propósitos militares. O prédio foi danificado também por ataques aéreos durante a guerra. Durante a [[Batalha de Berlim]] em 1945, foi um dos alvos principais do [[Exército Vermelho]].