Diferenças entre edições de "Lista de religiosos brasileiros perseguidos pela ditadura militar"

sem resumo de edição
# O padre italiano José Pedandola, preso no dia 6 de outubro de 1971, paroquial de [[Tauá]], Diocese de [[Crateús]], e expulso no dia 13 daquele mês<ref>[https://www.cnlb.org.br/?p=3489 A ditadura (1964 -1985) e a Perseguição à Nossa Igreja de Crateus], acesso em 01/03/2021.</ref> <ref>[https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ri/32049/1/DISSERTA%C3%87%C3%83O%20JESUS%2C%20Jeovane%20Santos%20de.pdf Agentes Religiosos Católicos na Diocese de Feira de Santana (1962-1985)], acesso em 01/03/2021.</ref>;
# O padre italiano [[José Comblin]], expulso no dia 24 de março de 1972<ref>[http://www.ihu.unisinos.br/noticias/41803-dados-biograficos-de-jose-comblin- Dados biográficos de José Comblin], acesso em 02/03/2021.</ref>;
# O padre italiano Vito Miracapillo, que atuava em [[Ribeirão (Pernambuco)|Ribeirão]] ([[Pernambuco]]), foi expulso em 30 de outubro de 1980, pois em setembro daquele ano, se recusou a celebrar missas em comemoração ao dia da Independência (07 de setembro), pois acreditava que não havia independência para um “povo reduzido a condição de pedinte e desamparado em seus direitos”<ref>[https://www.a12.com/redacaoa12/igreja/padre-vito-miracapillo-conta-detalhes-sobre-sua-expulsao-do-brasil Padre Vito Miracapillo conta detalhes sobre sua expulsão do Brasil], acesso em 02/03/2021.</ref> <ref>[https://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/485825/complemento_1.htm?sequence=2&isAllowed=y Deputado liderou campanha para expulsar padre italiano], acesso em 02/03/2021.</ref>;
 
Levantamento feito pelo [[Centro Ecumênico de Documentação e Informação]] (CEDI), chegou aos seguintes números de prisões políticas de cristãos engajados no trabalho pastoral: