Diferenças entre edições de "On the Road"

m
sem resumo de edição
m
Em abril de 1951, entorpecido por [[benzedrina]] e café e inspirado pelo [[jazz]], Jack Kerouac escreveu a primeira versão do que viria a ser ''On the Road''. Kerouac escrevia em prosa espontânea, como ele chamava: uma técnica parecida com a do [[fluxo de consciência]]. O manuscrito original foi rejeitado por diversas editoras, mas, em 1957, ''On the Road'' foi finalmente publicado, após inúmeras alterações exigidas pelos editores. O livro, de inspiração autobiográfica, descreve as viagens através dos Estados Unidos e México de Sal Paradise ([[Jack Kerouac]]) e Dean Moriarty ([[Neal Cassady]]). <ref> {{Link||2=http://lpm.com.br/site/default.asp?Template=../livros/layout_produto.asp&CategoriaID=152905&ID=926371 |3=''On the road'', de Jack Kerouac}}, Tradução de [[Eduardo Bueno]] - L&PM Editores</ref>
 
''On the Road'' – que no Brasil ganhou o título de ''Pé na estrada'' e tem tradução de [[Eduardo Bueno]] – exemplificou para o mundo aquilo que ficou conhecido como a "geração [[beatnik]]" e fez com que Kerouac se transformasse em um dos mais controversos e famosos escritores de seu tempo – embora em vida tenha tido mais sucesso de público do que de crítica e embora rejeitasse o título de "pai dos beatniks".
 
Ao cruzar os Estados Unidos de carro, Sal Paradise e Dean Moriarty empreenderam a viagem que todos os jovens um dia sonharam em fazer, repleta de sexo, drogas, álcool e, acima de tudo, liberdade. Ao contar a história de como os dois amigos atravessaram os Estados Unidos, em inúmeras idas e vindas que incluíram uma incursão ao [[México]], Kerouac inaugurou um novo tipo de prosa, que funciona como uma trilha sonora interna ao livro, que vai se desprendendo das palavras, das frases, dos blocos de texto. Essa escrita que tem o ritmo das ruas une a realidade ao sonho, transformando o que era uma viagem em uma busca espiritual.
9

edições