Pico de Regalados: diferenças entre revisões

351 bytes adicionados ,  19h54min de 21 de março de 2021
m
→‎História: complemento+ref.
m (→‎História: complemento+ref.)
== História ==
Nesta área deteve a Ordem de Malta importantes bens. Razão pela qual o brasão de armas de Pico de Regalados ostenta, em chefe, a cruz daquela antiquíssima Ordem Religiosa e Militar<ref>{{citar livro|url=https://www.chiadoeditora.com/livraria/a-cruz-da-ordem-de-malta-nos-brasoes-autarquicos-portugueses|título=A Cruz da Ordem de Malta nos Brasões Autárquicos Portugueses|ultimo=PINHO|primeiro=António Brandão de|editora=Chiado Editora|ano=2017|local=Lisboa|páginas=426|acessodata=28-08-2017}}</ref>.<br>
Primitivamente, foi couto doado por [[Afonso I de Portugal|D. Afonso Henriques]] ao Arcebispo de Braga, [[Paio Mendes, arcebispo de Braga|D. Paio Mendes]], em 113220 de Julho de 1130, por motivos religiosos, e em agradecimento pela oferta de cinquenta marcas de prata e de um cavalo<ref>Bracara Augusta, Revista cultural da Camâra de Braga Vol LVII, 2009/2012, O Liber Fidei da Catedral de Braga e o Norte de Portugal, José Marques, Prof. Catedrático da Faculdade de Letras do Porto ou Liber Fidei II p 307.</ref>. Foi tido como um dos mais antigos e aristocráticos do país. Com o conde [[Henrique_de_Borgonha,_conde_de_Portucale|D. Henrique]], veio para a Espanha em 1089, e depois, para Portugal em 1093, [[Gonçalo Martins de Abreu]], da familia dos condes normandos de [[Évreux]] (França), segundo o chronista D. Antonio de Lima. Rico-homem, mordomo-mór, amigo e um dos mais bravos guerreiros de D. [[Afonso Henriques]], de onde derivaram muitas nobres famílias Portuguesas. Pedro Gomes d'Abreu, vivia em [[Coucieiro]] e foi senhor do couto e casa de Abreu, e dos direitos reais de Vilas-Boas e alcaide-mor de Lapela, teve o senhorio da vila e concelho de Pico de Regalados. [[Manuel I de Portugal|D. Manuel I]] concedeu foral a Pico de Regalados em 13 de Novembro de 1513.<br>
Até 1855, foi vila e sede de [[município]]. Era constituído pelas freguesias<ref name=nota1 group=nota/> de [[Lanhas]], [[Vilarinho (Vila Verde)|Vilarinho]], [[Atães (Vila Verde)|Atães]], [[Barros (Vila Verde)|Barros]], [[Coucieiro]], [[Gondiães (Vila Verde)|Gondiães]], [[Gondoriz (Arcos de Valdevez)|Gondoriz]], [[Mós (Vila Verde)|Mós]], [[Passó]], [[São Cristóvão do Pico]], [[São Miguel do Prado]], [[Geme]], [[São Pedro de Valbom]], Pico de Regalados, [[São Miguel de Oriz]], [[São Martinho de Valbom]], [[Santa Marinha de Oriz]], [[Sande (Vila Verde)|Sande]], e São vicente da [[Ponte (Vila Verde)|Ponte]]. Em 1836, por decreto de 6 de novembro<ref>Decreto de 1836 em: http://gisaweb.cm-porto.pt/units-of-description/documents/594204/fullscreen </ref>, foram extintos os concelhos de [[Aboim da Nóbrega]], [[Vila Chã e Larim]], e os coutos de [[Gomide]], [[Sabariz]] (freguesias de Sabariz e Condeceda), e [[Valdreu]] passando a fazer parte do concelho de Pico de Regalados assim, bem que provisoriamente, as freguesias de Caldelas, Sequeiros, Torre e Fiscal do concelho de Amares, perdendo Gondoriz a favor de Terras de Bouro.
 
1 546

edições