Diferenças entre edições de "Xangô"

sem resumo de edição
Etiquetas: Edição via dispositivo móvel Edição feita através do sítio móvel
Etiquetas: Editor Visual Edição via dispositivo móvel Edição feita através do sítio móvel
| rodapé-estilo = height: 0,3em; background-color: silver;
}}
'''Xangô''', '''Shango''', (em iorubá: '''SangoṢàngó''') ou, na [[Bahia]], '''Badé''',<ref name="FERREIRA, A. B. H. 1986. p. 1">FERREIRA, A. B. H. ''Novo dicionário da língua portuguesa''. 2ª edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 1986. p. 1 795.</ref> é o [[orixá]] da [[justiça]], dos raios, do trovão e do fogo. Foi rei na cidade de [[Império de Oyo|Oyo]], identificado no jogo do [[merindilogun]] pelos [[odu]]s [[obará]] e [[ejilaxebora]] e representado material e imaterialmente no [[candomblé]] através do assentamento sagrado denominado ''[[igba xango]]''. [[Pierre Verger]] dá, como resultado de suas pesquisas, que Shango ou Xangô, como todos os outros ''imolè'' (orixás e [[Ébórá (yoruba)|eboras]]), pode ser descrito sob dois aspectos: histórico e divino.
 
[[Arquivo:"God of Thunder" - NARA - 558881.tif|300px|right|thumb||Escultura em madeira: ''Orixá do Trovão'' da Nigéria. Obra executada por Lamidi Olonade Fakeye (1928–2009).]]
49

edições