Diferenças entre edições de "Comendador"

m
m (Comendador-Mor e outras pequenas alterções)
 
==Os comendadores honorários==
[[File:Comendador ordem de avis.jpg|thumb|150px|Placa de Comendador da Real Ordem Militar de São Bento de Avis (1894-1910)]]
Em Agosto de 1821, as [[Cortes (política)|Cortes]] decidiram que os pedidos do Rei, recebidos do Brasil, por concessão de comendas só podiam ser feitos, a titulo honorífico, ou seja sem [[tença]]. Essa decisão é confirmada pelas Cortes, já na presença do rei João VI em Portugal, em 14 de Dezembro de 1821<ref> As Cortes Gerais e Extraordinárias da Nação Portuguesa que no Decreto de 11 de Abril do corrente ano e Ordem de 14 de Agosto passado mandão declarar que na mesma data em que se proibiu o provimento dos Baliados e Comendas das Ordens Militares aplicando o seu rendimento para amortização da Divida Publica, não se compreendem, nem os despachos honoríficos segundo se declarou na Ordem de 14 de Agosto próximo passado nem também o que pertence á Jurisdição que exercitavam os mesmos Balios e que provisoriamente continuarão a exercitar como até agora. O que V. Excelência levará ao conhecimento de Sua Majestade. Deus guarde a V. Excelência. Paço das Cortes, em 14 de Dezembro de 1821 João Baptista Felgueiras (Cf. Collecção dos decretos, resoluções e ordens das côrtes geraes: extraordinarias e constituintes da nação portugueza, desde a sua installação em 26 de janeiro de 1821, etc., com o repertorio ao diario das mesmas côrtes, etc, Partes 1-2, Coimbra, Imprensada Universidade, 1822, pp. 14-15)</ref>. Assim, o Rei continuou a atribuir comendas, nomeando Comendadores, mas isso não passava duma mera condecoração já que não havia atribuição de terras e dos rendimentos associados<ref>As Cortes vintistas e as antigas ordens militares, Bragança, José Vicente Pinheiro de Melo de, (Academia Falerística de Portugal e Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo). Repositório das Universidades Lusíada, 2013</ref>.<br>
Em Portugal em 1834, os bens das ordens militares são incorporados aos Bens Nacionais para serem aplicados na amortização da dívida pública, e as comendas (bens imóveis), são extintas e pouco depois o património é vendido em hasta publica .<ref name="Venda"/> .
 
 
== Ver também ==