Diferenças entre edições de "Ocitocina"

217 bytes adicionados ,  16h39min de 22 de abril de 2021
sem resumo de edição
m (adicionou Categoria:Antidiuréticos usando HotCat)
}}
}}
'''Ocitocina''' ou '''oxitocinonaoxitocina''' é um hormônio produzido pelo [[hipotálamo]] e armazenado na p90-[[hipófise]] posterior ([[neurohipófiseNeuroipófise|neuro-hipófise]]) tendo como função: promover as contrações musculares [[útero|uterinas]]; reduzir o sangramento durante o [[parto]]; estimular a libertação do [[leite]] materno; desenvolver apego e [[empatia]] entre pessoas; produzir parte do prazer do orgasmo; e modular a sensibilidade ao medo (do desconhecido). A ocitocina é um hormônio relacionado com a estrutura óssea e segundo pesquisas, ela pode ser usada no controle e na prevenção da osteoporose.<ref>{{Citar web |url=http://www.sciencedaily.com/articles/o/oxytocin.htm |titulo=Cópia arquivada |acessodata=2014-04-15 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20140402081501/http://www.sciencedaily.com/articles/o/oxytocin.htm |arquivodata=2014-04-02 |urlmorta=yes }}</ref><ref>Lee HJ, Macbeth AH, Pagani JH, Young WS (June 2009). "Oxytocin: the great facilitator of life". Prog. Neurobiol. 88 (2): 127–51. doi:10.1016/j.pneurobio.2009.04.001. PMC 2689929. PMID 19482229.</ref>
 
== Química ==
A oxitocina possui ações periféricas (hormonais) e cerebrais. Suas atividades são mediadas por receptores específicos de oxitocina, estes acoplados à [[proteína G]], que requer [[magnésio]] e [[colesterol]] para seu bom funcionamento.
 
Os receptores de ocitocina são expressos por [[Sistema nervoso|neurônios]] em diversas partes do [[cérebro]] e [[medula espinhal]], e ainda nas [[amígdalaAmígdala cerebelosa|amígdalas cerebelares]]s, no [[núcleo ventromedial]], septo, [[núcleo accumbens]] e [[tronco cerebral]].
 
Estudos revelam que liberações dentríticas de ocitocina ocorrem no interior das amígdalas e do septo, regiões do [[sistema límbico]], esse estando relacionado a comportamento alimentar ou atividade visceral, manifestações emocionais relacionadas à agressividade ou de natureza sexual, ansiedade, reações de fuga ou de defesa.<ref>{{citar web|url=http://periodicos.unicesumar.edu.br/index.php/saudpesq/article/view/751/608|titulo=EFEITO MODULADOR DA OCITOCINA SOBRE O PRAZER|data=maio/ago. 2008|acessodata=23/07/2017|publicado=Revista Saúde e Pesquisa|ultimo=Garcia|primeiro=Rosângela F.|ultimo2=Dacome|primeiro2=Ocimar Aparecido}}</ref>
Ao favorecer a liberação de outras substâncias, a ocitocina pode gerar uma grande variedade de sensações, podendo atuar como uma droga no nosso cérebro. Segundo uma pesquisa apresentada na conferência anual da Society for Endocrinolgy em [[Brighton]], no [[Reino Unido]], pessoas que sofrem condições médicas e sofrem uma redução nos níveis de ocitocina possuem mais dificuldade para executar tarefas que exijam empatia.
 
Pesquisadores da [[Universidade de Cardife|Universidade de Cardiff]] investigaram o comportamento empático em pessoas que suspeitavam ter níveis de ocitocina reduzidos devido a uma de duas condições médicas causadas pela cirurgia pituitária (na hipófise). O estudo avaliou 20 pessoas com diabetes insípido craniano (CDI). No CDI, o corpo tem níveis reduzidos de ADH – um produto químico também produzido no hipotálamo e estruturalmente muito semelhante à ocitocina. Eles também avaliaram 15 pessoas com [[hipopituitarismo]] (HP), uma condição em que a [[Hipófise|glândula pituitária]] não libera hormônios suficientemente. Estes dois grupos de doentes foram comparados com um grupo de 20 controles saudáveis.Foram dados a todos os participantes duas tarefas destinadas a testar a empatia, ambas relacionadas com o reconhecimento da expressão emocional. Também mediram os níveis de ocitocina de cada grupo e descobriram que os 35 participantes (CDI e HP) apresentavam níveis do hormônio ligeiramente inferiores, em comparação com os controles saudáveis, embora uma amostra maior seja necessária para estabelecer [[significância estatística]]. Os pesquisadores observaram que os grupos CDI e HP apresentaram resultados significativamente piores em tarefas de empatia, em comparação com os controles. Em particular, a capacidade dos participantes do grupo CDI para identificar expressões foi predita pelos seus níveis de ocitocina – aqueles com níveis mais baixos produziram piores desempenhos.
 
=== Ligação com o prazer ===
Os níveis de oxitocina plasmática são significativamente aumentados em torno do tempo do orgasmo auto estimulado. Os autores desses estudos especularam que os efeitos da oxitocina na contração muscular do orgasmo também podem facilitar o transporte de espermatozoides nos homens e do óvulo nas mulheres.[https://en.wikipedia.org/wiki/Oxytocin]
 
Ainda para os homens, este hormônio pode aumentar a sensibilidade do pênis durante o contato sexual e aumenta a frequência das ereções. Ela melhora a [[ejaculação]] pela contração estimulante das [[vesículas seminais]], [[túbulos seminíferos]], [[epidídimo]] e da [[próstata]].[http://www.estimulacaoneurologica.com.br/noticias/73/a-acao-do-hormonio-bioidentico-oxitocina-e-o-sistema-nervoso-central.html]
 
Nas mulheres, os centros de prazer cerebrais, chamados de [[via mesolímbica]], descarregam oxitocina diante de estímulos agradáveis, como a visão do parceiro(a) e estimulação física de determinadas partes do corpo. Carregadas pela corrente sanguínea, as moléculas de oxitocina impregnam em determinadas regiões do corpo, como seios e vagina, transformando-as em zonas [[Zona erógena|erógenas]]. [http://exame.abril.com.br/estilo-de-vida/voce-conhece-a-oxitocina-o-hormonio-do-amor/]
 
=== Resposta ao estresse social ===
De acordo com um estudo da [[Universidade de Zurique]], {{ref|1}} ao se ministrar, por via nasal, a ocitocina numa pessoa prestes a começar uma discussão, verificou-se a produção de [[cortisol]], em resposta ao stress provocado. A ativação do [[Córtex cerebral|córtex]] [[Lobo da ínsula|insular]] e singular[[Córtex cingulado anterior|cingulado anterior]] e do [[Hipotálamo#Núcleos Hipotalâmicos|núcleo paraventricular]] (no hipotálamo anterior) foi observada como precursora da produção de oxitocina no [[hipotálamo]] e sua consequente libertação.
 
=== Bem estar social e coletivo ===
A oxitocina pode aumentar as atitudes positivas, como a ligação, para indivíduos com características semelhantes, que então se classificam como membros "em grupo", enquanto os indivíduos que são diferentes tornam-se classificados como membros "fora do grupo",; isto porque a sociedade geralmente categoriza indivíduos em grupos baseados em etnias (caucasiano, afro-americano, latino, etc.). Um estudo que examinou a etnia e a empatia descobriu que os participantes que receberam oxitocina administrada nasal apresentaram reações mais fortes às imagens de membros do grupo que expressavam dor em seu rosto do que a imagens de membros fora do grupo com a mesma expressão. Isso mostra que a oxitocina pode estar implicada em nossa capacidade de simpatizar com indivíduos de diferentes etnias e poderia traduzir-se em vontade de ajudar indivíduos em situações de dor ou estresse. Além disso, indivíduos de uma etnia podem estar mais inclinados a ajudar indivíduos da mesma etnia do que indivíduos de outra quando estão sofrendo dor.
 
A oxitocina também foi implicada para medir quando mentir seria benéfico para outros membros do grupo. Em um estudo em que tal relação foi examinada, verificou-se que quando os indivíduos receberam oxitocina, as taxas de [[desonestidade]] nas respostas dos participantes aumentaram para os membros do grupo quando se esperava um resultado benéfico para o coletivo. Ambos os exemplos mostram a tendência de agir de maneiras que beneficiam as pessoas com as quais se sente parte de um grupo. A oxitocina não está apenas correlacionada com as preferências dos indivíduos para se associar aos membros de seu próprio grupo, mas também é evidente durante conflitos entre membros de diferentes grupos. Durante o conflito, os indivíduos que recebem oxitocina administrada nasalmente demonstram respostas mais frequentes e motivadas pela defesa em relação aos membros do grupo do que os membros fora do grupo. Além disso, a ocitocina foi correlacionada com o desejo dos participantes de proteger os membros vulneráveis ​​do grupo, apesar do apego desse indivíduo ao conflito. Da mesma forma, demonstrou-se que, quando a oxitocina é administrada, os indivíduos alteram suas preferências subjetivas para se alinharem com os ideais em grupo sobre ideais fora do grupo. Esses estudos demonstram que a oxitocina está associada à dinâmica intergrupal.
 
Além disso, a oxitocina influencia as respostas de indivíduos em um grupo particular aos de outro grupo. O viés dentro do grupo é evidente em grupos menores; No entanto, também pode ser estendido a grupos tão grandes quanto o país inteiro levando a uma tendência de forte zelo nacional. Um estudo realizado nos [[Países Baixos]] mostrou que a oxitocina aumentou o favoritismo em grupo da sua nação, ao mesmo tempo em que diminuiu a aceitação de membros de outras etnias e estrangeiros. As pessoas também mostram mais carinho pela bandeira de seu país, enquanto permanecem indiferentes a outros objetos culturais quando expostos à oxitocina. Foi assim que a hipótese de que este hormônio pode ser um fator nas tendências xenófobas secundárias a esse efeito. Assim, a ocitocina parece afetar indivíduos a nível internacional, onde o grupo se torna um país "doméstico" específico e o grupo externo cresce para incluir todos os outros países. [https://en.wikipedia.org/wiki/Oxytocin]
 
==== Afetividade ====
A oxitocina geralmente é lembrada pelo efeito que tem nos comportamentos pró-sociais, como seu papel na facilitação da confiança e do apego entre indivíduos. É liberada quando se está perto de seu parceiro, diminuindo os níveis de [[cortisol]], hormônio antagônico aà oxitocina, e que causa o estresse. No início dos relacionamentos, os níveis destede hormôniooxitocina na corrente sanguínea dobram, e vão se mantendo estáveis entre os primeiros meses de namoro. Com um término, os níveis tendem a baixar. Por conseguinte, a oxitocina é frequentemente referida como o "hormônio do amor".<ref>{{Citar periódico|ultimo=Grillon|primeiro=C|ultimo2=Krimsky|primeiro2=M|ultimo3=Charney|primeiro3=DR|ultimo4=Vytal|primeiro4=K|ultimo5=Ernst|primeiro5=M|ultimo6=Cornwell|primeiro6=B|data=setembro de 2013|titulo=Oxytocin increases anxiety to unpredictable threat|jornal=Molecular psychiatry|volume=18|numero=9|paginas=958–960|issn=1359-4184|pmid=23147382|doi=10.1038/mp.2012.156|url=http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3930442/}}</ref> <ref>{{Citar periódico|data=2017-07-13|titulo=Oxytocin|jornal=Wikipedia|url=https://en.wikipedia.org/w/index.php?title=Oxytocin&oldid=790405029|idioma=en}}</ref> Nos homens, ela ainda tende a baixar a agressividade, porém sua atuação geralmente é bloqueada pela [[testosterona]].<ref>{{Citation|título=Trust, morality -- and oxytocin?|último =Zak|primeiro =Paul|data=1320159221|url=https://www.ted.com/talks/paul_zak_trust_morality_and_oxytocin|língua=en|acessodata=2017-07-25}}</ref><ref>{{citar web|url=http://exame.abril.com.br/estilo-de-vida/voce-conhece-a-oxitocina-o-hormonio-do-amor/|titulo=Oxitocina - Hormônio do amor.|data=|acessodata=|publicado=Revista Exame|ultimo=|primeiro=}}</ref>
 
==== Medo ====
A oxitocina administrada nasalmente foi relatada para reduzir o medo, possivelmente inibindo as respostas do medo ativando um circuito inibitório dentro da [[Amígdala cerebelosa|amígdala]].
 
Estudos experimentais com oxitocina indicaram que indivíduos que receberam uma dose intranasal do hormônio identificaram expressões faciais do desgosto mais rapidamente do que os indivíduos que não recebemreceberam oxitocina. As manifestações faciais de desgosto estão ligadas de forma evolutiva à ideia de contágio. Assim, a oxitocina aumenta a importância das pistas que implicam a contaminação, o que leva a uma resposta mais rápida porque estas indicações são especialmente relevantes para a sobrevivência. Em outro estudo{{Qual}}, após a administração de oxitocina, os indivíduos apresentaram maior habilidade para reconhecer expressões de medo em comparação com os indivíduos que receberam um placebo. A oxitocina modula as respostas ao medo, aumentando a manutenção das memórias sociais. Os ratos que são geneticamente modificados para ter um excedente de receptores de oxitocina apresentam uma maior resposta ao medo de um estressor previamente condicionado. A oxitocina também aumenta a memória social aversiva, levando o rato a mostrar uma maior resposta ao medo quando o estímulo aversivo é encontrado de novo.<ref>{{Citar periódico|ultimo=Theodoridou|primeiro=Angeliki|ultimo2=Penton-Voak|primeiro2=Ian S.|ultimo3=Rowe|primeiro3=Angela C.|data=2013-02-28|titulo=A Direct Examination of the Effect of Intranasal Administration of Oxytocin on Approach-Avoidance Motor Responses to Emotional Stimuli|jornal=PLoS ONE|volume=8|numero=2|issn=1932-6203|pmid=23469148|doi=10.1371/journal.pone.0058113|url=http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3585234/}}</ref> {{Referências|refs=OCITOCINA pode prevenir surgimento de osteoporose. [S. l.], 11 jun. 2020. Disponível em: https://agencia.fapesp.br/ocitocina-pode-prevenir-surgimento-de-osteoporose/33371/#:~:text=%E2%80%9CA%20ocitocina%20ajuda%20a%20modular,mineraliza%C3%A7%C3%A3o%20%C3%B3ssea%E2%80%9D%2C%20diz%20Dornelles. Acesso em: 25 nov. 2020.
 
OXITOCINA e qualidade óssea no colo femoral de ratos na periestropausa. [S. l.], 13 maio 2020. Disponível em: https://www.nature.com/articles/s41598-020-64683-0. Acesso em: 25 nov. 2020.}}
1 151

edições