Diferenças entre edições de "Orquestra vermelha"

m
link de Alemão para Língua alemã
m (Página marcada para reciclagem)
m (link de Alemão para Língua alemã)
 
[[Ficheiro:Stamps of Germany (DDR) 1983, MiNr Block 070.jpg|thumb|250px|direita|[[Selo postal]] homenageando o grupo
Orquestra vermelha.]]
Sob a designação de '''Orquestra Vermelha''' (em [[Língua alemã|alemão]]: ''Rote Kapelle'', em [[russo]]: ''Красная Капелла'' [[Transliteração]]: ''krasnaya kapella'') a polícia secreta alemã (Gestapo) nos tempos do regime nacional-socialista subsumiu vários grupos de resistência antinazista. Durante a Segunda Guerra Mundial, o nome foi usado tanto para uma rede de [[espionagem]] soviética criada durante a [[Segunda Guerra Mundial]] na Europa ocidental ocupada pela Alemanha, quanto para grupos de resistência no território do Reich. A esses grupos pertenciam as organizações em volta de Harro Schulze-Boysen&nbsp;e&nbsp;Arvid Harnack e o círculo em volta do diplomata Rudolf von Scheliha. Os inícios da organização datam do ano de 1933, quando se formaram primeiros círculos privados de críticos do Nacional-Socialismo.<ref>{{citar web|URL = https://www.dhm.de/lemo/kapitel/der-zweite-weltkrieg/widerstand/rote-kapelle.html|título = Deutsches Historisches Museum: Der Zweite Weltkrieg - Widerstand - Die Rote Kapelle|data = 13.5.2015|acessadoem = 20.5.2015|autor = Claudia Prinz|publicado = Deutsches Historisches Museum}}</ref> Só em 1939 começou a cooperação entre os grupos em volta de Schulze-Boysen e de Harnack. O segundo complexo da "Orquestra Vermelha" foi a rede de grupos de espionagem soviética na França e na Bélgica, estreitamente ligada a Résistence francesa, erguida e comandada por [[Leopold Trepper]]. O terceiro complexo é o círculo quase autónomo em volta do diplomata Rudolf von Scheliha que trabalhava na seção de informação no Ministério de assuntos exteriores alemão. Um quarto complexo incluiu um círculo de pessoas que praticavam espionagem para a URSS já antes de 1933, como Kurt Schulze.<ref>{{citar livro|nome = Danyel|sobrenome = Jürgen|título = Die Rote Kapelle, em: Steinbach, Peter; Tuchel, Johannes (ed.): Widerstand gegen die nationalsozialistische Diktatur 1933-1945, Bonn (Bundeszentrale für politische Bildung), 2004, p. 396-413|ano = 2004|isbn = 389331539X}}</ref>
 
O motivo da designação dos grupos em volta de Harnack e Schulze-Boysen como agência de espionagem soviética pela Gestapo foi a tentativa da liderança do regime nazista de declarar a oposição antinazista como controlada do estrangeiro inimigo.