Diferenças entre edições de "Inteiro (ciência da computação)"

m
Etiqueta: Inserção de predefinição obsoleta
 
A ''representação interna'' desse dado é a forma como o valor é armazenado na memória do computador. Ao contrário dos inteiros matemáticos, um dado típico em um computador tem algum valor mínimo e máximo possível.
 
A representação mais comum de um número inteiro positivo é uma sequência de [[bit]]s, usando o [[Sistema de numeração binário|sistema numérico binário]]. A ordem dos [[bytes]] de memória que armazenam os bits varia (veja [[Extremidade (ordenação)|extremidade]]. A ''largura'' ou ''precisão'' de um tipo integral é o número de bits em sua representação. Um tipo integral com ''n'' bits pode codificar 2<sup>''n''</sup> números; por exemplo, um tipo sem sinal normalmente representa os valores não negativos de 0 a 2<sup>''n''</sup>−1. Outras codificações de valores inteiros para padrões de bits são algumas vezes usadas, por exemplo, [[Codificação binária decimal|decimal codificado em binário]] ou [[código de Gray]], ou como códigos de caracteres impressos, como [[ASCII]].
 
Existem quatro [[Representação de números com sinal|maneiras bem conhecidas de representar números com sinais]] em um sistema de computação binário. O mais comum é o [[Complemento para dois|complemento de dois]], que permite que um tipo integral com sinal com ''n'' bits represente números de −2<sup>(''n''−1)</sup> a 2<sup>(''n''−1)</sup>−1. A aritmética de complemento de dois é conveniente porque há uma [[Função bijectiva|correspondência um-para-um]] perfeita entre representações e valores (em particular, sem +0 e -0 separados), e porque [[adição]], [[subtração]] e [[multiplicação]] não precisam distinguir entre tipos com e sem sinal. Outras possibilidades incluem [[Offset binário|binário de deslocamento]], [[Representação de números com sinal#Método sinal-e-magnitude|magnitude de sinal]] e [[complemento de um]].