Diferenças entre edições de "Doença de Alzheimer"

Atualmente são usados cinco medicamentos no tratamento dos problemas cognitivos de Alzheimer: quatro são [[inibidor da acetilcolinesterase|inibidores da acetilcolinesterase]] ([[tacrina]], [[rivastigmina]], [[galantamina]] e [[donepezila]]), sendo o outro um [[Receptor NMDA#Antagonistas|antagonista dos recetores de NMDA]] ([[memantina]]).<ref>{{Citar periódico | autor = Pohanka M | título = Cholinesterases, a target of pharmacology and toxicology | jornal = Biomedical Papers of the Medical Faculty of the University Palacký, Olomouc, Czech Republic | volume = 155 | número = 3 | páginas = 219–229 | ano = 2011 | pmid = 22286807 | doi = 10.5507/bp.2011.036 | url = http://biomed.papers.upol.cz/pdfs/bio/2011/03/02.pdf }}</ref> No entanto, os benefícios da sua utilização são pouco significativos.<ref>{{Citar periódico | autor = Commission de la transparence | título = Médicaments de la maladie d'Alzheimer | jornal = Prescrire International | volume = 21 | número = 128 | páginas = 150 | data = Junho de 2012 | pmid = 22822592 | doi = | url = }}</ref><ref>{{Citar periódico | autor = Birks J, Harvey RJ | título = Donepezil for dementia due to Alzheimer's disease. | jornal = The Cochrane Database of Systematic Reviews | número = 1 | páginas = CD001190 | data = 25 de janeiro de 2006 | pmid = 16437430 | doi = 10.1002/14651858.CD001190.pub2 | editor= Birks, Jacqueline }}</ref>
 
A diminuição da atividade dos neurónios colinérgicos é uma característica bem compreendida da doença de Alzheimer.<ref name="pmid8534419">{{Citar periódico | autor = Geula C, Mesulam MM | título = Cholinesterases and the pathology of Alzheimer disease | jornal = Alzheimer Disease and Associated Disorders | volume = 9 Suppl 2 | páginas = 23–28 | ano = 1995 | pmid = 8534419 | doi = 10.1097/00002093-199501002-00005 }}</ref> Os inibidores da acetilcolinesterase são usados para reduzir a velocidade a que a [[acetilcolina]] (ACh) é fragmentada, aumentando assim a concentração de ACh no cérebro e combatendo a perda de ACh provocada pela morte dos neurónios colinérgicos.<ref name="pmid11105732">{{Citar periódico | autor = Stahl SM | título = The new cholinesterase inhibitors for Alzheimer's disease, part 2: illustrating their mechanisms of action | jornal = The Journal of Clinical Psychiatry | volume = 61 | número = 11 | páginas = 813–814 | ano = 2000 | pmid = 11105732 | doi = 10.4088/JCP.v61n1101 }}</ref> Existem evidências da eficácia destes medicamentos em casos leves a moderados da doença,<ref name="pmid16437532">{{Citar periódico | autor = Birks J | título = Cholinesterase inhibitors for Alzheimer's disease | jornal = The Cochrane Database of Systematic Reviews | número = 1 | páginas = CD005593 | ano = 2006 | pmid = 16437532 | doi = 10.1002/14651858.CD005593 | editor = Birks, Jacqueline }}</ref><ref name="pmid19370562">{{Citar periódico | autor = Birks J, Grimley Evans J, Iakovidou V, Tsolaki M, Holt FE | título = Rivastigmine for Alzheimer's disease | jornal = The Cochrane Database of Systematic Reviews | número = 2 | páginas = CD001191 | data = 15 de abril de 2009 | pmid = 19370562 | doi = 10.1002/14651858.CD001191.pub2 }}</ref> e algumas evidências durante a fase avançada. Só a [[donepezila]] é que está aprovada para o tratamento da demência avançada de Alzheimer.<ref name="pmid16437430">{{Citar periódico | autor = Birks J, Harvey RJ | título = Donepezil for dementia due to Alzheimer's disease | jornal = The Cochrane Database of Systematic Reviews | número = 1 | páginas = CD001190 | data = 25 de janeiro de 2006 | pmid = 16437430 | doi = 10.1002/14651858.CD001190.pub2 }}</ref> A utilização destes fármacos no [[défice cognitivo ligeiro]] não demonstrou ter qualquer efeito no atraso do aparecimento de Alzheimer.<ref name="pmid18044984">{{Citar periódico | autor = Raschetti R, Albanese E, Vanacore N, Maggini M | título = Cholinesterase inhibitors in mild cognitive impairment: a systematic review of randomised trials | jornal = PLoS Medicine | volume = 4 | número = 11 | páginas = e338 | ano = 2007 | pmid = 18044984 | pmc = 2082649 | doi = 10.1371/journal.pmed.0040338 }}</ref> As [[Efeito adverso|reações adversas]] mais comuns são [[náusea]]s e [[vómito]]s, ambos ligados ao excesso colinérgico. Estas reações adversas manifestam-se em cerca de 10-20% dos utilizadores, a sua gravidade é entre leve e moderada e podem ser controladas através do ajuste gradual das doses de medicação.<ref>{{Citar livro |autor=editado por Brian K. Alldredge et al.|título=Applied therapeutics : the clinical use of drugs. |ano=2013 |editora=Wolters Kluwer Health/Lippincott Williams & Wilkins |local=Baltimore |isbn=978-1609137137 |páginas=2385|edição=10ª}}</ref> Entre os efeitos secundários menos comuns estão [[cãibra]]s musculares, [[Bradicardia|diminuição do ritmo cardíaco]], diminuição do [[apetite]]&nbsp;e do peso e aumento da produção de [[ácido gástrico]].<ref>{{Citar periódico | autor = Birks J | título = Cholinesterase inhibitors for Alzheimer's disease | jornal = The Cochrane Database of Systematic Reviews | número = 1 | páginas = CD005593 | ano = 2006 | pmid = 16437532 | doi = 10.1002/14651858.CD005593 }}</ref>
 
O [[glutamato]] é um [[neurotransmissor]] excitatório do [[sistema nervoso]], embora uma quantidade excessiva no cérebro possa provocar a morte das células através de um processo denominado [[excitotoxicidade]], o qual consiste na sobre-estimulação dos recetores de glutamato. A excitotoxicidade ocorre não só na doença de Alzheimer, como também noutras doenças neurológicas como na [[doença de Parkinson]]&nbsp;e na [[esclerose múltipla]].<ref name="pmid16424917">{{Citar periódico | autor = Lipton SA | título = Paradigm shift in neuroprotection by NMDA receptor blockade: memantine and beyond | jornal = Nature Reviews. Drug Discovery | volume = 5 | número = 2 | páginas = 160–170 | ano = 2006 | pmid = 16424917 | doi = 10.1038/nrd1958 }}</ref> A [[memantina]] é um [[Receptor NMDA#Antagonistas|antagonista dos recetores de NMDA]] não competitivo, inicialmente usado no tratamento de [[gripe]]. Atua no [[Ácido glutâmico|sistema glutamatérgico]] bloqueando os [[Receptor NMDA|recetores NMDA]] e inibindo a a sobrestimulação pelo glutamato.<ref name="pmid16424917"/> A memantina é moderadamente eficaz no tratamento de Alzheimer moderada a grave. No entanto, os seus efeitos nas fases iniciais da doença são ainda desconhecidos.<ref name="pmid15495043">{{Citar periódico | autor = Areosa Sastre A, McShane R, Sherriff F | título = Memantine for Dementia | jornal = The Cochrane Database of Systematic Reviews | número = 4 | páginas = CD003154 | ano = 2004 | pmid = 15495043 | doi = 10.1002/14651858.CD003154.pub2 }}</ref> As reações adversas com memantina são pouco frequentes e leves, incluindo [[alucinação|alucinações]], [[confusão]], [[tontura]]s, [[Cefaleia|dores de cabeça]] e [[fadiga]].<ref>{{citar web |url=http://www.frx.com/pi/namenda_pi.pdf |título=Namenda prescribing information |acessodata=19 de fevereiro de 2008 |formato=PDF |editora=Forest Pharmaceuticals |arquivourl=https://web.archive.org/web/20080227161413/http://www.frx.com/pi/namenda_pi.pdf |arquivodata=2008-02-27 |urlmorta=yes }}</ref> A combinação de memantina e donepezila tem demonstrado ser estatisticamente significante, mas de eficácia clínica marginal.<ref name="pmid18316756">{{Citar periódico | autor = Raina P, Santaguida P, Ismaila A, Patterson C, Cowan D, Levine M, Booker L, Oremus M | título = Effectiveness of cholinesterase inhibitors and memantine for treating dementia: evidence review for a clinical practice guideline | jornal = Annals of Internal Medicine | volume = 148 | número = 5 | páginas = 379–397 | ano = 2008 | pmid = 18316756 | doi = 10.7326/0003-4819-148-5-200803040-00009 }}</ref>
 
Os fármacos [[antipsicótico]]s têm alguma utilidade na diminuição da [[Agressão|agressividade]] e [[psicose]] em pacientes de Alzheimer com problemas comportamentais, mas estão também associados a reações adversas graves, como [[Acidente vascular cerebral|acidentes vasculares cerebrais]], [[Sistema extrapiramidal|dificuldades de movimento]] ou declínio cognitivo, o que não permite o seu uso como tratamento de rotina.<ref>{{Citar periódico | autor = Ballard C, Waite J | título = The Effectiveness of Atypical Antipsychotics for the Treatment of Aggression and Psychosis in Alzheimer's Disease | jornal = The Cochrane Database of Systematic Reviews | número = 1 | páginas = CD003476 | ano = 2006 | pmid = 16437455 | doi = 10.1002/14651858.CD003476.pub2 | editor= Ballard, Clive G }}</ref><ref>{{Citar periódico | autor = Ballard C, Lana MM, Theodoulou M, Douglas S, McShane R, Jacoby R, Kossakowski K, Yu LM, Juszczak E | título = A Randomised, Blinded, Placebo-Controlled Trial in Dementia Patients Continuing or Stopping Neuroleptics (The DART-AD Trial) | jornal = PLoS Medicine | volume = 5 | número = 4 | páginas = e76 | ano = 2008 | pmid = 18384230 | pmc = 2276521 | doi = 10.1371/journal.pmed.0050076 | editor=Brayne, Carol }}</ref><ref>{{Citar periódico | autor = Sink KM, Holden KF, Yaffe K | título = Pharmacological Treatment of Neuropsychiatric Symptoms of Dementia: A Review of the Evidence | jornal = JAMA | volume = 293 | número = 5 | páginas = 596–608 | ano = 2005 | pmid = 15687315 | doi = 10.1001/jama.293.5.596 }}</ref><ref name="pmid19138567">{{Citar periódico | autor = Ballard C, Hanney ML, Theodoulou M, Douglas S, McShane R, Kossakowski K, Gill R, Juszczak E, Yu LM, Jacoby R | título = The Dementia Antipsychotic Withdrawal Trial (DART-AD): Long-term Follow-up of a Randomised Placebo-controlled Trial | jornal = Lancet Neurology | volume = 8 | número = 2 | páginas = 151–7 | data = 9 de janeiro de 2009 | pmid = 19138567 | doi = 10.1016/S1474-4422(08)70295-3 | url = http://www.physorg.com/news150695213.html }}</ref> A sua utilização prolongada está associada ao aumento da mortalidade.<ref name="pmid19138567"/>
 
Em junho de 2021, a [[Food and Drug Administration]] (FDA) americana aprovou o uso da medicação [[Aducanumab]] como opção de tratamento da doença. Após [[Método científico|estudo]]s, pesquisadores observaram a redução significativa da placa amilóide — dependendo do tempo e dose administrada — em comparação aos pacientes de braço de [[grupo de controle|controle]]; bem como o envolvimento de estudos [[duplo-cego]], [[Estudo clínico randomizado controlado|randomizado]] e [[placebo]].<ref>{{citar web |url=https://www.fda.gov/news-events/press-announcements/fda-grants-accelerated-approval-alzheimers-drug |titulo=FDA Grants Accelerated Approval for Alzheimer’s Drug |publicado=Food and Drug Administration |data=7 de junho de 2021 |acessodata=7 de junho de 2021}}</ref><ref>{{citar web |url=https://www.nytimes.com/2021/06/07/health/aduhelm-fda-alzheimers-drug.html |titulo=F.D.A. Approves Alzheimer’s Drug Despite Fierce Debate Over Whether It Works |publicado=The New York Times |autor=Pam Belluck, Rebecca Robbins |data=7 de junho de 2021 |acessodata=7 de junho de 2021}}</ref>
 
===Terapias e abordagens comunicacionais===