Usuário(a):AC4X1A/Testes: diferenças entre revisões

1 162 bytes adicionados ,  19h10min de 21 de junho de 2021
sem resumo de edição
Os tubarões-zebra são geralmente solitários, embora agregações de 20–50 indivíduos tenham sido registradas.<ref name=m/> No sudeste de Queensland, agregações de várias centenas de tubarões-zebra se formam a cada verão em águas rasas. Essas agregações consistem inteiramente de adultos grandes, com as fêmeas superando os machos em quase três para um. O propósito dessas agregações ainda não está claro; nenhum comportamento de acasalamento definido foi observado entre os tubarões.<ref name=j/> Há a observação de um tubarão-zebra macho adulto mordendo a nadadeira peitoral de outro macho adulto e empurrando-o contra o fundo do mar; o segundo macho foi virado de costas e permaneceu imóvel por vários minutos. Este comportamento se assemelha aos comportamentos pré-copulatórios entre tubarões machos e fêmeas e, em ambos os casos, a mordida e a retenção da nadadeira peitoral têm sido especuladas como relacionadas a um tubarão afirmando domínio sobre o outro.<ref name=o/>
===Ciclo de vida===
O comportamento de cortejo do tubarão-zebra consiste em o macho seguir a fêmea e morder vigorosamente suas barbatanas peitorais e cauda, ​​com períodos em que ele segura sua barbatana peitoral e os dois tubarões permanecem imóveis no fundo. Ocasionalmente, isso leva ao acasalamento, no qual o macho enrola seu corpo ao redor da fêmea e insere um de seus clásperes em sua cloaca. A cópula dura de dois a cinco minutos.<ref [15]name=p/> O tubarão-zebra é ovíparo, com as fêmeas colocando grandes cápsulas de ovo medindo 17 centímetros de comprimento, 8 centímetros de largura e 5 centímetros de espessura. O material que envolve o ovo é marrom escuro a roxo, tendo fibras aos lados que o prendem ao substrato.<ref name=c/> As fibras adesivas emergem primeiro da abertura da fêmea; a fêmea circunda estruturas verticais, como afloramentos de recife, para emaranhar as fibras, de modo a ancorar os ovos. As fêmeas foram documentadas colocando até 46 ovos em um período de 112 dias.<ref name=p/> Os ovos são depositados em lotes de cerca de quatro.<ref name=c/> A sazonalidade reprodutiva na natureza é desconhecida. <ref name=a/>
 
Em cativeiro, os ovos eclodem após quatro a seis meses, dependendo da temperatura.<ref name=p/> Os filhotes medem 20–36 centímetros de comprimento e têm caudas proporcionalmente mais longas que os adultos.<ref name=c/> As preferências de habitat dos juvenis não são claras; um relatório os coloca em profundidades superiores a 50 metros, enquanto outro relatório da Índia sugere que habitam águas mais rasas do que os adultos. As listras dos juvenis podem ter uma função anti-predatorial, tornando cada indivíduo em um grupo mais difícil de atingir.<ref name=l/> Os machos atingem a maturidade sexual com 1,5–1,8 metros de comprimento e as fêmeas com 1,7 metros de comprimento.<ref name=c/> Sua vida útil foi estimada em 25-30 anos na natureza.<ref name=e/> Houve dois relatos de tubarões-zebra fêmeas produzindo filhotes assexuadamente.<ref [16]name=q/><ref [17]name=r/><ref [18]name=s/> Um estudo adicional observou partenogênese em mulheres, independentemente da história sexual.<ref [19]name=t/>
==Interação humana==
Dóceis e lentos, os tubarões-zebra não são perigosos para os humanos e podem ser facilmente abordados debaixo d'água. No entanto, eles mordem mergulhadores que puxam suas caudas ou tentam montá-los. Em 2008, havia um registro de um ataque não provocado no Arquivo Internacional de Ataques de Tubarão, embora nenhum ferimento tenha ocorrido.<ref name=e/> Eles são atrações populares para mergulhadores ecoturistas no Mar Vermelho, nas Maldivas, nas ilhas de [[Phuket (ilha)|Phuket]] e [[Phi Phi]], na [[Tailândia]], na Grande Barreira de Corais e em outros lugares. Muitos tubarões-zebra em locais de mergulho se acostumaram com a presença de humanos, tirando comida das mãos dos mergulhadores e se deixando tocar. O tubarão-zebra adapta-se bem ao cativeiro e é exibido em vários aquários públicos em todo o mundo. Os jovens pequenos e de cores atraentes também encontram seu caminho nas mãos de amadores particulares, embora esta espécie seja muito grande para o aquário doméstico.<ref name=c/>
 
O tubarão-zebra é capturado pela pesca comercial em grande parte de sua área de distribuição, usando redes de arrasto de fundo, redes de emalhar e palangres.<ref name=c/> A carne é vendida fresca ou seca e salgada para consumo humano. Além disso, o óleo de fígado é usado para vitaminas, as barbatanas para sopa de barbatana de tubarão e as vísceras para farinha de peixe.<ref name=tu/> Os tubarões-zebra são altamente suscetíveis ao esgotamento localizado devido ao seu habitat raso e baixos níveis de dispersão entre as populações, e pesquisas de mercado sugerem que eles são muito menos comuns agora do que no passado. Eles também estão ameaçados pela degradação de seu habitat de recife de coral pelo desenvolvimento humano e por práticas de pesca destrutivas, como dinamitação ou envenenamento. Como resultado, a UICN avaliou esta espécie como ameaçada de extinção. Na costa da Austrália, a única ameaça a esta espécie é um nível muito baixo de captura acidental em redes de arrasto de camarão, e lá foi avaliada como de menor preocupação.<ref name=a/>
{{Referências|refs=
<ref name=a>{{Citar web|url=https://www.iucnredlist.org/species/41878/161303882|título=Stegostoma tigrinum (Zebra Shark)|publicado=[[Lista Vermelha da IUCN]]|acesso-data=18-06-2021|língua=en}}</ref>
<ref name=o>{{Citar web|url=https://benthamopen.com/ABSTRACT/TOFISHSJ-1-23|título=Putative Male – Male Agonistic Behaviour in Free-Living Zebra Sharks, Stegostoma fasciatum|publicado=The Open Fish Science Journal|língua=en|acesso-data=20-06-2021|autor=Juerg M. Brunnschweiler|autor2=Harold L. Pratt Jr|data=2008}}</ref>
<ref name=p>{{Citar livro|título=Notes on Reproduction of the Zebra Shark, Stegostoma fasciatum, in a Captive Environment|autor=Kunize, K|autor2=Simmons, L|data=2004|língua=en|acesso-data=20-06-2021}}</ref>
<ref name=q>{{Citar periódico|url=https://www.bbc.com/news/av/science-environment-16420848|título=Zebra shark at centre of 'virgin birth' mystery|periódico=BBC|autor=Philip Hampsheir|local=Dubai|data=5-01-2012|língua=en|acesso-data=21-06-2021}}</ref>
<ref name=q></ref>
<ref name=r>{{Citar periódico|url=https://edition.cnn.com/2017/01/17/health/zebra-shark-reproduction/index.html|título=Zebra shark surprises scientists by giving birth without male|periódico=CNN|autor=Anna Cummins|data=17-01-2017|língua=en|acesso-data=21-06-2021}}</ref>
<ref name=r></ref>
<ref name=s>{{Citar periódico|url=https://www.livescience.com/57536-zebra-shark-has-virgin-births.html|título=Virgin Birth: Zebra Shark Has Babies Without Mating|periódico=LiveScience|autor=Megan Gannon|data=18-01-2017|língua=en|acesso-data=21-06-2021}}</ref>
<ref name=s></ref>
<ref name=t>{{Citar webperiódico|url=httphttps://www.fishbasenature.orgcom/summaryarticles/Stegostoma-fasciatum.htmlsrep40537|título=StegostomaSwitch fasciatumfrom sexual to parthenogenetic reproduction in a zebra shark|publicadoperiódico=FishBaseNature|autor=Christine L. Dudgeon|autor2=Laura Coulton|autor3=Ren Bone|autor4=Jennifer R. Ovenden|autor5=Severine Thomas|data=16-01-2017|língua=en|acesso-data=1921-06-2021}}</ref>
<ref name=u>{{Citar web|url=http://www.fishbase.org/summary/Stegostoma-fasciatum.html|título=Stegostoma fasciatum|publicado=FishBase|língua=en|acesso-data=19-06-2021}}</ref>
}}
{{Portal3|Peixes}}
[[Categoria:Tubarões]]
715

edições