Grindr: diferenças entre revisões

619 bytes adicionados ,  13h02min de 13 de julho de 2021
Adicionado mais referências
(Adicionado mais referências)
 
=== Propriedade original (2009-2015) ===
O Grindr foi lançado como um aplicativo móvel para [[iOS]] em [[25 de março]] de [[2009]], pelo empresário de tecnologia Joel Simkhai em [[Los Angeles|Los Angeles, Califórnia]]. A versão gratuita exibia 100 perfis de homens em uma distância específica, enquanto a versão premium (US$ 2,99 mais uma taxa mensal) não continha anúncios e ampliava a grade de encontros para 200 perfis.<ref>{{citar web |url=https://techcrunch.com/2009/03/25/gay-dating-makes-its-way-to-the-iphone/?guccounter=1&guce_referrer=aHR0cHM6Ly9lbi53aWtpcGVkaWEub3JnLw&guce_referrer_sig=AQAAAJMBULTfSdd2XwKUlDfhD5Sd8bPFVxAZriOt43KdaSq6kaKSeDFBrtkuceATOFsuLWErGi3b5tFikCXgjw06mRlCgce3c548vQdpdlA7P_-6xvrPcmsUpC6XHVMBNTsHob1cHwMs-CqAIMc8vaPdWovAq-cyQGasq_al5oZTH1NW |titulo=Gay Dating Makes Its Way To The iPhone |website=Techcrunch}}</ref> Avaliações positivas do aplicativo, circularam por diversos veículos do público gay como nos sites norte-americanos ''Queerty'' e ''Joe My God''.<ref>{{citar web |url=https://www.queerty.com/cruise-local-guys-via-gps-20090326 |titulo=Cruise Local Guys On Your iPhone |data=26/03/2009 |acessodata=12/07/2021 |website=Queerty}}</ref> Em agosto, havia cerca de 200.000 mil usuários cadastrados na rede do Grindr. Em março de 2010, havia 500.000 mil usuários.<ref>{{citar web |url=http://joemygod.blogspot.com/2009/03/q-location-right-behind-you-dude.html |titulo=Q: Location? A: Right Behind You, Dude |data=26/03/2009 |acessodata=12/07/2021 |website=Joe My God}}</ref>
 
No seu primeiro aniversário, em [[25 de março]] de [[2010]], o Grindr lançou o aplicativo para dispositivos [[BlackBerry]].
 
Em [[7 de março]] de [[2011]], Grindr foi lançado para dispositivos [[Android]]. Junto com uma versão gratuita, os usuários poderiam pagar por uma versão premium chamada '''Grindr XTRA''' que não apresentava [[Publicidade|anúncios]], maior visualização de perfis, mais "favoritos" e notificações push de mensagens recebidas enquanto o aplicativo está sendo executado em segundo plano.<ref>{{citar web |ultimo=Grove |primeiro=Jennifer |url=https://mashable.com/archive/grindr-android |titulo=Popular Gay Dating App Grindr Now on Android |data=07/03/2011 |acessodata=12/07/2021 |website=Mashable}}</ref>
 
Em janeiro de 2012, uma vulnerabilidade no software de segurança do aplicativo permitiu que os hackers alterassem a imagem do perfil de um pequeno número de usuários australianos do Grindr para imagens explícitas. O Grindr posteriormente iniciou uma ação legal e fez alterações de software que bloquearam o site responsável.
 
Em [[18 de junho]] de [[2012]], o Grindr anunciou que havia atingido oficialmente 4 milhões de usuários registrados em 192 países em todo o mundo.<ref>{{citar web |url=https://archive.ph/ |titulo=Grindr’s Global Dominance Hits 2m |website=bentnews}}</ref>
Em janeiro de 2016, a Grindr anunciou que vendeu 60% da empresa para uma companhia chinesa, a Beijing Kunlun Tech, por US$ 93 milhões. A Kunlun comprou o restante da empresa por US$ 152 milhões em [[janeiro de 2018]].<ref>{{citar web |ultimo=Morrinson |primeiro=Caitlin |url=https://www.independent.co.uk/news/business/news/grindr-stock-market-listing-gay-dating-app-kunlun-group-ipo-china-a8514476.html |titulo=Grindr planning stock market listing as Chinese owner gives approval for float |data=30/08/2018 |acessodata=13/07/2021 |website=Independent}}</ref>
 
Em [[março de 2018]], o Grindr introduziu um novo recurso que em que usuário possa ser lembrado a cada três ou seis meses para obter um [[exame de HIV]].<ref>{{citar web |url=https://www.nytimes.com/2018/03/26/health/grindr-hiv-test-reminder.html |titulo=Grindr App to Offer H.I.V. Test Reminders |website=The New York Times}}</ref>
 
Em março de 2019, a Kunlun começou a buscar um comprador para a Grindr depois que o Comitê de Investimento Estrangeiro nos Estados Unidos (CFIUS) informou a Kunlun oque aplicativoaplicativos de propriedade de uma empresa chinesa representa um risco para a segurança nacional.<ref>{{citar Issoweb também|ultimo=O'Donnell levou Kunlun|primeiro=Carl |url=https://www.reuters.com/article/us-grindr-m-a-exclusive-idUSKCN1R809L interromper|titulo=Exclusive: seusTold planosU.S. parasecurity umat IPOrisk, paraChinese ofirm seeks to sell Grindr. dating app |data=27/04/2019 |acessodata=13/07/2021 |website=Reuters}}</ref>
 
Em julho de 2019, o Grindr lançou o '''Grindr Unlimited''', uma nova versão premium do aplicativo que permite aos assinantes mensagens, usar o modo Incógnito, ver perfis ilimitados na grade, ver quem viu seu perfil, ver o status de digitação e usar todos os recursos premium do Grindr XTRA.<ref>{{citar web |url=https://www.out.com/tech/2019/7/25/now-you-can-pay-50-month-grindr |titulo=Now You Can Pay $50 Per Month for Grindr |data=25/07/2019 |acessodata=13/07/2021 |website=Out}}</ref>
 
Em novembro de 2019, o Grindr lançou o '''Grindr Web''', uma versão gratuita para desktop do aplicativo construído para usuários que preferem conversar a partir de seupelo computador. Projetado paracomo um bate-papo "rápido e discreto" enquanto está no escritório, ele empregautiliza uma interface de e-mail genéricaconvencional e imita pastasum [[File Manager|gerenciador de arquivos]] de um computador no lugar dedos perfis de usuários.<ref>{{citar web |url=https://www.pinknews.co.uk/2020/05/05/grindr-web-desktop-computer-laptop-app-what-is-how/ |titulo=Stop the clocks, cut off the telephone, because you can now get Grindr on your desktop |data=05/05/2020 |acessodata=13/07/2021 |website=Pinknews}}</ref>
 
Em março de 2020, a Kunlun anunciou que venderá sua participação de 98,59% nada Grindr para a San Vicente Acquisition LLC, com sede nos EUA, por US$ 608,5 milhões. A novaantiga administração e os funcionários da Grindr continuarão com 1,41% das ações da empresa após a transação.<ref>{{citar web |url=https://www.latimes.com/business/technology/story/2020-03-06/grindr-sold-by-chinese-owner-after-us-national-security-concerns |titulo=Grindr Sold by Chinese owner after us national security concerns |website=Los Angeles Times}}</ref>
 
== Controvérsias ==
679

edições