Diferenças entre edições de "Usuário(a):AntoniusJ/Teste1"

6 965 bytes removidos ,  17h28min de 25 de maio de 2007
m
Limpando a casa antes de fechar a porta,
m (Limpando a casa antes de fechar a porta,)
 
<!-- ************************************************* -->
<!-- PAGINA DE PREPARAÇÂO DE TEXTOS A COLOCAR NA WIKI -->
<!-- ********** POR FAVOR NÃO ALTERAR ! ************ -->
<!-- ************************************************* -->
 
[[Image:Kolben-Piston.jpg|thumb|right|175px|Embora o êmbolo surja tipicamente mostrado na posição natural (aqui está de cabeça para baixo), nesta posição podem-se observar claramente os dois grandes orifícios de encaixa da cavilha, onde se irá ligar a [[biela]].]]
 
O '''pistão''' ou '''êmbolo''' de um motor é uma peça cilíndrica normalmente feita de alumínio ou [[Liga metálica|liga]] de [[alumínio]], que se move [[longitudinal]]mente no interior do [[cilindro (motor)|cilindro]] dos [[motor de explosão|motores de explosão]].
 
 
==Constituição==
O pistão tem a forma de um copo cilíndrico invertido sendo a superfície direccionada para a [[câmara de combustão]] denominada ''fundo'' ou ''cabeça do pistão''.
A parte média, é normalmente chamada de '''corpo''', onde existem dois orifícios circulares alojar o eixo do pistão que o une à [[biela]].
A parte mais afastada da cabeça é denominada a ''saia'' do pistão.
 
===Fixação===
Os dois orifícios circulares que possui na parte média são reforçados e opostos que se destinam a possibilitar a sua fixação ao pé da [[biela]] através de um eixo em [[aço]] conhecido como ''pino do pistão'', ''eixo do êmbolo'' ou ''passador''. Para que este eixo não saia dos orifícios posição deteriorando o cilindro do motor, é mantido em posição dentro do pistão através de detentores adequados(parafusos, cavilhas) ou revestido de um material que não danifique a superfície do cilindro durante o movimento do pistão. Devido à fixação pistão-biela que oscila transversalmente ao motor, o pino do pistão tem um orientação longitudinal face ao motor, ou seja paralela à [[cambota]](virabrequim).
 
 
==Segmentos==
Durante a sua deslocação no interior do cilindro o pistão deveria aderir totalmente a este de forma a que não houvesse fugas de gases que diminuissem a força da compressão ou da explosão da mistura. Face ao forte atrito que tal provocaria a solução encontrada foi deixar uma pequena folga entre o pistão e o cilindro colocando uns ''anéis'', também chamados ''segmentos'' ''ou aros do êmbolo'', em volta do pistão assegurando o isolamento necessário. Esta folga garante ainda espaço para que o pistão se possa dilatar com o aquecimento do motor sem aderir ao cilindro envolvente finado impedido de se movimentar.
 
Os segmentos encontram-se alojados em sulcos efectuados na superfície exterior e são fabricados num material menos duro que o material que constitui o [[bloco do motor]] de forma a que sejam aqueles e não este a desgatarem-se com o uso.
 
Os dois ou três anéis situados mais perto da cabeça do pistão são chamados ''segmentos de compressão'' e têm por finalidade assegurar que não haja fuga da mistura gasosa na altura em que o pistão efectua o seu movimento compressor. O anel que se encontra mais perto da câmara de combustão é chamado ''anel de fogo'' pois é o que contém a explosão que se dá no cilindro vedando a passagem dos gases. Os ''anéis de fogo'' são revestidos a [[crómio]] o que lhes aumenta a resistência às condições extermas de funcionamento a que são sujeitos, permitindo simultaneamente uma melhor lubrificação, pois retêm o óleo na sua superfície diminuindo assim o atrito. Este tipo de segmentos viram a sua durabilidade duplicada e uma diminuição de mais de 50% do desgaste dos cilindros.<ref>ARIAS-PAZ, Manuel pág.40</ref>
 
Imediatamente acima (em motores mais antigos abaixo) do pino do pistão situa-se o chamado segmento ou ''anel raspador'' que possui um conjunto de orifícios em contacto com o interior do pistão e cujo objectivo é, quando da descida do pistão durante a fase de explosão no [[ciclo de quatro tempos]] retirar o [[óleo lubrificante]] que cobre a superfície do cilindro de forma a que este não se misture com o ar que entrará na fase seguinte. Através das aberturas que comunicam com o interior do pistão este óleo vai lubrificar o próprio pé da biela caindo no [[cárter]] para ser reaproveitado posteriormente.
 
Os pistões têm 3 sulcos em são colocados os anéis. As faixas superiores do tambor agem para evitar que a força da explosão da mistura se conserve, com o encaixe entre o pistão e as paredes do cilindro dentro do motor, evitando assim perder potência. Os ultimos são os anéiss do óleo, que agem para evitar que o óleo do motor vá ao camara da combustão, o que contamina a mistura, e que causa o efeito popularmente chamado de '''fumar'''. Quando um anel se submete a desgaste, deixa para se realizar na medida menor ou maior sua função, para resolver isto é necessário trocá-los por novos.
 
==Materiais==
Os pistões mais antigos eram construidos em [[ferro fundido]], e mais tarde foram melhoradas as suas características [[estanho|estanhando]] ou [[níquel|niquelando]] as superfícies em contacto com os cilindros.
 
Num motor rodando a 3.000 [[rotações por minuto]] o pistão realiza um movimento completo ao longo do cilindro a cada centésimo de segundo. Este elevado ritmo e a temperatura de cerca de 300 ºC atingida pela cabeça do pistão, levaram à introdução do alumínio e ligas de alumíno, mais leves e com uma maior capacidade de dissipação do calor.
 
O uso do alumínio veio todavia trazer uma dificuldade: sendo o [[coeficiente de dilatação]] deste bastante superior ao do ferro fundido<sup><small>[[Dilatação#Coeficientes de dilatação linear para alguns materiais|ver]]</small></sup>, a folga do pistão teria que ser excessivamente grande enquanto o motor ainda estivesse a baixa temperatura. Nestas circunstâncias ouvir-se-ia o "bater" do pistão contra as paredes do cilindro enquanto ainda estivesse frio.
 
==A ovalização dos cilindros==
O movimento de vai-vem do pistão é controlado pela biela que por sua vez está articulada com a cambota. Este movimento provoca uma força perpendicular ao comprimento da cambota que tende a provocar com o funcionamento do motor, alguma ovalização dos cilindros.
Por vezes, para compensar esta ovalização, o próprio pistão é construído com um formato também ovalizado, mas no sentido oposto, de forma a compensar esse efeito sobre o cilindro.
 
 
==Referências==
{{reflist}}
:*ARIAS-PAZ, Manuel. ''Manual de Automóveis'', São Paulo : Editora Mestre Jou, [[1970]]
 
{{Partes do motor}}
 
[[Categoria:Mecânica]]
[[Categoria:Motores]]
 
 
<!--
==Referências==
*ARIAS-PAZ, Manuel. ''Manual de Automóveis'', São Paulo : Editora Mestre Jou, [[1970]]
* Vários. ''Lexicoteca-Moderna Enciclopédia Universal'', Lisboa: Círculo de leitores, [[1985]]. Tomo XV
{{reflist}}
 
{{Partes do motor}}
 
[[Categoria:Automobilismo]]
[[Categoria:Mecânica]]
[[Categoria:Motores]]
 
-->
3 502

edições