Diferenças entre edições de "Observatório Astronômico do Sertão de Itaparica (OASI)"

sem resumo de edição
{{Info/Observatório}}
 
|nome = Observatório Astronômico do Sertão de Itaparica (OASI)
|imagem = Obsevatório do Sertão de Itapaica (OASI).png
|imagem_tamanho = 180px
|imagem_legenda = Pôr do Sol no Observatório Astronômico do Sertão de Itaparica
|organização = [[Observatório Nacional]], [[Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações]]
|código =Y28
|localização = [[Itacuruba]]
|coords = 8°47'32''S, 38°41'18''W
|altitude =390 m
|inauguração = 2011
|encerro =
|telescópio1_nome=Itacuruba
|telescópio1_tipo= 1 m refletor
|telescópio2_nome=
|telescópio2_tipo=
|telescópio3_nome=
|telescópio3_tipo=
|telescópio4_nome=
|telescópio4_tipo=
|telescópio5_nome=
|telescópio5_tipo=
|geolocalização= 8°47'32''S, 38°41'18''W
|website=[http://impacton.on.br/ impacton.on.br]}}
O '''Observatório Astronômico do Sertão de Itaparica''' (OASI) é um [[observatório astronômico]] situado no município de [[Itacuruba]] no estado de [[Pernambuco]]. O OASI dista cerca de 425 km da capital [[Recife]] e faz parte do projeto IMPACTON (Iniciativa de Mapeamento e Pesquisa de Asteroides nas Cercanias da Terra do Observatório Nacional), um projeto estruturante do [[Observatório Nacional]]. O IMPACTON iniciou formalmente em 2005, ano em que foram aprovados todos os recursos orçamentários para a compra e operação de um telescópio robótico dedicado ao seguimento e caracterização física de [[objetos próximos da Terra]] (NEOs).<ref>{{Citar periódico |url=http://adsabs.harvard.edu/abs/2010BAAA...53..315D |titulo=Photometric and spectroscopic studies of small Solar System bodies and the IMPACTON project |data=2010 |acessodata=2021-08-17 |jornal=Boletin de la Asociacion Argentina de Astronomia La Plata Argentina |ultimo=Lazzaro |primeiro=D. |paginas=315–324 |issn=0571-3285}}</ref> Este projeto é pioneiro em observação remota no Brasil e é liderado pelo grupo de Ciências Planetárias do Observatório Nacional. A primeira luz do telescópio ocorreu em 2011 e o início efetivo dos projetos científicos em 2012.<ref>{{Citar periódico |url=http://adsabs.harvard.edu/abs/2012LPICo1667.6148L |titulo=The IMPACTON Project: ANew Facility for NEOs Studies in Brazil |data=2012-05-01 |acessodata=2021-08-17 |ultimo=Lazzaro |primeiro=D. |ultimo2=Rodrigues |primeiro2=T. |paginas=6148 |ultimo3=Carvano |primeiro3=J. M. |ultimo4=Roig |primeiro4=F. |ultimo5=Mothé-Diniz |primeiro5=T. |ultimo6=Impacton Team}}</ref> Finalmente em fevereiro de 2013 o OASI recebeu do ''[[Minor Planet Center]]'' da [[União Astronómica Internacional|União Astronômica Internacional]] o código “Y28 Nova Itacuruba”.<ref>{{Citar periódico |url=https://ui.adsabs.harvard.edu/abs/2013MPC..82716...4D/abstract |titulo=Minor Planet Observations [Y28 OASI, Nova Itacuruba] |data=2013-02 |acessodata=2021-08-17 |jornal=Minor Planet Circulars |ultimo=De Pra |primeiro=M. |ultimo2=Lazzaro |primeiro2=D. |paginas=4 |lingua=en |issn=0736-6884 |ultimo3=Carvano |primeiro3=J. |ultimo4=Gonzales |primeiro4=J. A. |ultimo5=Carvano |primeiro5=J. M.}}</ref>  Desde 2014 o telescópio do OASI é operado remotamente do [[Rio de Janeiro]], mas conta com assistência técnica ''in-situ''.