Diferenças entre edições de "Inventário"

3 221 bytes adicionados ,  20h37min de 20 de agosto de 2021
Inseri informações sobre Inventário Judicial e Inventário Extrajudicial
(Desfeita a edição 61025248 de Raul.integrade; ajustes)
(Inseri informações sobre Inventário Judicial e Inventário Extrajudicial)
Etiquetas: Editor Visual Inserção do elemento "nowiki", possivelmente errônea
{{Mais notas|data=janeiro de 2020}}
Um '''inventário''' (do [[latim]] ''inventariu'') é uma relação dos [[Bem (economia)|bens]] pertencentes a uma pessoa falecida, a uma [[empresa]] ou a uma [[cultura]].<ref>FERREIRA, A. B. H. ''Novo dicionário da língua portuguesa''. 2ª edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 1986. p. 964.</ref> O [https://danielfrederighiadvogados.com.br/area-de-atuacao/inventarios/ inventário] é um processo de levantamento, apuração e avaliação de bens, direitos e dívidas da pessoa que acabou de falecer. O procedimento visa dividir e transmitir aos herdeiros legais e testamentários a herança líquida deixada pelo de cujus – autor da herança. O inventário é obrigatório e pode ser feito de duas formas: Judicial e Extrajudicial. No caso dos inventários nas empresas, se refere ao bens disponíveis em [[estoque]] para venda no processo normal de um [[negócio]], ou a serem utilizados na fabricação de [[produto]]s comercializados pela empresa, e costumam conter a descrição do produto bem como a quantidade existente e o local onde se encontra.<ref>{{citar livro|titulo=Dicionário da língua portuguesa contemporânea|ultimo=BRAGA|primeiro=Verbo|editora=Academia de ciências de Lisboa|ano=2001|edicao=2627|volume=II|local=Lisboa|paginas=|acessodata=}}</ref>
 
=== Inventário Extrajudicial ===
O [https://danielfrederighiadvogados.com.br/area-de-atuacao/inventarios/ inventário extrajudicial] não depende que as partes envolvidas recorrer ao Poder Judiciário para decidir acerca da divisão dos bens.
 
Ao realizar o inventário de forma extrajudicial é possível acelerar o inventário e reduzir custos e desgastes emocionais. Nesta modalidade, os herdeiros em consenso, definem os bens destinados a cada um e fazem o registro do acordado em escritura pública, sem haver necessidade de ingressar com ação judicial.
 
No entanto, para que o inventário extrajudicial seja feito, é necessário atender a alguns requisitos elencados no [https://www.jusbrasil.com.br/topicos/28891134/artigo-610-da-lei-n-13105-de-16-de-marco-de-2015 610 do Código de Processo Civil:]
 
• Todos os herdeiros devem ser maiores de 18 anos e capazes;
 
• Não pode haver testamento deixado pela pessoa falecida;
 
• Deve haver consenso entre os herdeiros sobre a partilha dos bens.
 
Na prática, isso significa que eles serão partilhados de forma igualitária entre os herdeiros, sem quaisquer categorias de disputas.
 
Os interessados podem dar entrada no inventário extrajudicial em qualquer Cartório de Registro de Notas através de um documento legal, que manifesta a vontade de todas as partes envolvidas em declarar a partilha de bens de forma amigável e sem divergências.
 
=== Inventário Judicial ===
O Inventário Judicial, é uma das modalidades do inventário que se utiliza a via Judicial para ingresso da ação, ou seja, o processo é requerido em uma justiça comum e homologado por um juiz através de uma sentença.
 
A esta modalidade o processo poderá ser amigável ou litigioso, amigável quando há um acordo entre os herdeiros e litigioso quando existe alguma controvérsia ou conflito entre as partes.
 
Segundo o [https://presrepublica.jusbrasil.com.br/legislacao/174788361/lei-13105-15 Código de Processo Civil], o inventário judicial é obrigatório quando há herdeiro incapaz ou testamento. Para mais, é a opção disponível para quando os herdeiros julgam necessário litigar a respeito de certa demanda ou quando já existe um conflito familiar em questão.
 
 
 
[[Arquivo:Clerk inventory.JPG|250px|thumb|Funcionária de [[supermercado]] [[Tailândia|tailandês]] realizando um inventário]]
Um '''inventário''' (do [[latim]] ''inventariu'') é uma relação dos [[Bem (economia)|bens]] pertencentes a uma pessoa falecida, a uma [[empresa]] ou a uma [[cultura]].<ref>FERREIRA, A. B. H. ''Novo dicionário da língua portuguesa''. 2ª edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 1986. p. 964.</ref> No caso dos inventários nas empresas, se refere ao bens disponíveis em [[estoque]] para venda no processo normal de um [[negócio]], ou a serem utilizados na fabricação de [[produto]]s comercializados pela empresa, e costumam conter a descrição do produto bem como a quantidade existente e o local onde se encontra.<ref>{{citar livro|titulo=Dicionário da língua portuguesa contemporânea|ultimo=BRAGA|primeiro=Verbo|editora=Academia de ciências de Lisboa|ano=2001|edicao=2627|volume=II|local=Lisboa|paginas=|acessodata=}}</ref>
== Inventário nas empresas ==
Também existem inventários (móveis, equipamentos, suprimentos...) que não se pretendem vender. O inventário das empresas de manufatura, distribuidores e vendedores por [[atacado]], geralmente, encontram-se reunidos em [[depósito]]s ou almoxarifados, enquanto que vendedores ao [[varejo]] mantêm o inventário em um depósito ou em lojas acessíveis ao [[consumidor]]. O inventário nas empresas deve ser [[Controle (administração)|controlado]], pois, se não for controlado, estará se encorajando o roubo, pois o inventário é "um dinheiro disfarçado na forma de um bem ou estoque". Além disso, se não for controlado, não se saberá o real nível de estoque.
* [[produto acabado]] - produto pronto para a venda ao consumidor;
* produtos para revenda.
 
 
=== No Brasil ===
 
*SALAZAR, José Nicolas Albuja; BENEDICTO, Gideon Carvalho de - ''Contabilidade financeira''. São Paulo: Thomson Pioneira, 2004. ISBN 978-85-221-0356-0
*FREDERIGHI, Daniel. '''INVENTÁRIO JUDICIAL'''. 2021. Disponível em: https://danielfrederighiadvogados.com.br/inventario-judicial-cinco-dicas-de-como-acelerar-o-seu-processo/<nowiki/>/. Acesso em: 20 ago. 2021.
*FREDERIGHI, Daniel. '''Inventários''': Nacionais e Internacionais. 2021. Disponível em: <nowiki>https://danielfrederighiadvogados.com.br/area-de-atuacao/inventarios/</nowiki>. Acesso em: 20 ago. 2021.
*PRESIDENTA DA REPÚBLICA. Lei nº Nº 13.105, de 16 de março de 2015. '''Das Normas Fundamentais e da Aplicação das Normas Processuais'''.