Terapia de vidas passadas: diferenças entre revisões

(hiperligação)
Entre os conhecidos terapeutas dos países de [[língua inglesa]] que utilizam e ensinam a Terapia de Vidas Passadas incluem-se os Drs. [[Brian Weiss]], [[Barbara Brennan]] e [[Ken Page (writer)|Ken Page]] nos E.U.A. e o Dr. [[John Plowman]] no [[Reino Unido]]. Em quase todos os grandes centros do Brasil encontra-se psicólogos e psiquiatras que aplicam a técnica.
 
No Brasil existem diversas linhas terapêuticas de TVP, cada qual possuindo suas particularidades e diferenças. Em ultima análise, as semelhanças entre elas são muito mais consideráveis que as diferenças. As divergências se situam num plano mais teórico e no foco que cada terapeuta concentra a sua atenção. As escolas mais sérias, como ensinadas pelo INTVP, fundado por Maria Júlia e Ney Prieto Peres, não se utilizam do aspecto espiritual e o relegam a segundo plano, preferindo focar em aspectos psicológicos próprios da consciência objetiva atual e do "significado" que a pessoa dá a experiência de vidas passadas. Outras abordagens, como a da SBTVP ( Sociedade Brasileira de Terapia de Vidas Passadas) por outro lado, procura colocar a TVP num nível mais kármico, levando em consideração a missão de vida do atendido. Esta é considerada por alguns como a abordagem mais espiritual da Terapia de Vidas Passadas no Brasil, pois supostamente lida com a questão das "presenças" (espíritos obsessores para o Espiritismo).<ref>{{citar livro|titulo=Terapia de vida passada|ultimo=Pincherle|primeiro=Lívio Túlio|editora=Summus Editora|ano=1990|local=São Paulo}}</ref>. Outras abordagens menos ortodoxas utilizam a técnica do mentor (seria uma alma de maior adiantamento espiritual que vem auxiliar nas regressões), da proposta encarnatória (nossa missão na vida), do pós-morte (a vida após a morte), vidas futuras, guias espirituais, dentre outros.
 
==Visão espírita==