Diferenças entre edições de "Lista de bairros de Americana"

m
formatando página
(formatando página)
m (formatando página)
!AP
!Aprov.
!Proprietário <br>ou loteador
!Denominação Nome<br>das ruas
!
!Área <br>(m<sup>2)</sup>
|-
|BAIRRO CARIOBA
|BAIRRO PACAEMBU
|06
|2016 <ref name=":58">{{citar web |url=http://www.americana.sp.gov.br/legislacao/lei_5969_2016.html |titulo=lei_5969_2016}}</ref>
|Quilombo Consultoria, Empreendimentos e Participações Ltda.
|2016<ref name=":58" />
|BAIRRO PARAISO (continuação)
|08
|1951 <ref>{{citar web |url=https://www.americana.sp.gov.br/legislacao/decreto_394_1951.pdf |titulo=decreto_394_1951}}</ref>
|Jácomo Suzigan
|
|BAIRRO SÃO DOMINGOS
|07
|1950 <ref>{{citar web |url=http://www.americana.sp.gov.br/legislacao/lei_301_1950.pdf |titulo=lei_301_1950}}</ref>
|José Gobbo
|1970<ref name=":72">{{citar web |url=https://www.americana.sp.gov.br/legislacao/decreto_462_1970.pdf |titulo=decreto_462_1970}}</ref><ref name=":56">{{citar web |url=https://www.americana.sp.gov.br/legislacao/decreto_484_1970.pdf |titulo=Decreto 484 - 28/12/1970 "Que dá denominação a diversas ruas da cidade"}}</ref>
|BAIRRO SÃO MANOEL
|04
|1950 <ref>{{citar web |url=http://www.americana.sp.gov.br/legislacao/lei_286_1950.pdf |titulo=lei_286_1950}}</ref>
|Aleksander Ossis
|1957<ref name=":13">{{citar web |url=http://www.americana.sp.gov.br/legislacao/lei_230_1957.pdf |titulo=lei_230_1957}}</ref>
|BAIRRO SÃO VITO (ANTONIO FRANCISCANGELIS)
|04
|1951 <ref>{{citar web |url=http://www.americana.sp.gov.br/legislacao/lei_336_1951.pdf |titulo=lei_336_1951}}</ref>
|Antonio Franciscangelis
|1957<ref name=":14" /><br>1970<ref name=":73" /><ref name=":56" /><br>1971<ref>{{citar web |url=https://www.americana.sp.gov.br/legislacao/decreto_527_1971.pdf |titulo=Decreto 527 - 11/11/1971 "Que dá denominação a diversas ruas da cidade"}}</ref><br>1974<ref name=":53" /><br>1976<ref>{{citar web |url=http://www.americana.sp.gov.br/legislacao/lei_1450_1976.pdf |titulo=lei_1450_1976}}</ref>
|BAIRRO SÃO VITOR
|04
|1951 <ref>{{citar web |url=http://www.americana.sp.gov.br/legislacao/lei_325_1951.pdf |titulo=lei_325_1951}}</ref>
|Jacob Ruttulls
|1957<ref name=":13" />
|BAIRRO SÃO VITOR
|04
|1950 <ref>{{citar web |url=http://www.americana.sp.gov.br/legislacao/lei_287_1950.pdf |titulo=lei_287_1950}}</ref>
|Izaura Nepuzlan Rodrigues
|1957<ref name=":13" /><br>1974<ref name=":53" />
|BALNEÁRIO SALTO GRANDE
|03
|1950 <ref>{{citar web |url=http://www.americana.sp.gov.br/legislacao/lei_284_1950.pdf |titulo=lei_284_1950}}</ref>
|Imobiliária Salto Grande
|1950<ref>{{citar web |url=https://www.americana.sp.gov.br/legislacao/lei_319_1950.pdf |titulo=lei_319_1950}}</ref><br>2002
|CHÁCARA GIRASSOL
|08
|1947 <ref>{{citar web |url=https://www.americana.sp.gov.br/legislacao/decreto_142_1947.pdf |titulo=decreto_142_1947}}</ref>
|Estevam Faraone
|
|CHÁCARA PANTANO (continuação)
|01
|1946 <ref>{{citar web |url=https://www.americana.sp.gov.br/legislacao/decreto_98_1946.pdf |titulo=decreto_98_1946}}</ref>
|Antonio Raul Pantano e outros
|
|CHÁCARA RODRIGUES
|07
|1951 <ref>{{citar web |url=http://www.americana.sp.gov.br/legislacao/lei_352_1951.pdf |titulo=lei_352_1951}}</ref>
|José da Silva Calvo
|1974<ref name=":53" />
|JARDIM DA BALSA I <ref>{{citar web|url=http://www.riamericana.com.br/__Documentos/Plantas/BALSA_I_(JARDIM_DA).pdf|titulo=BALSA_I_(JARDIM_DA)}}</ref>
|06
|2005 <ref name=":67" />
|Eliezer Steinbruch, Roberto José Faé e Waltier Galassi
|2005<ref name=":67">{{citar web |url=http://www.americana.sp.gov.br/legislacao/lei_4171_2005.html |titulo=lei_4171_2005}}</ref>
|JARDIM DA BALSA II <ref>{{citar web|url=http://www.riamericana.com.br/__Documentos/Plantas/BALSA_II_(JARDIM_DA).pdf|titulo=BALSA_II_(JARDIM_DA)}}</ref>
|06
|2005 <ref name=":68" />
|Eliezer Steinbruch, Roberto José Faé e Waltier Galassi
|2005<ref name=":68">{{citar web |url=http://www.americana.sp.gov.br/legislacao/lei_4172_2005.html |titulo=lei_4172_2005}}</ref>
|JARDIM DA COLINA
|05
|1946 <ref>{{citar web |url=https://www.americana.sp.gov.br/legislacao/decreto_97_1946.pdf |titulo=decreto_97_1946}}</ref>
|Orlando Dei Santi e outros
|1953<ref>{{citar web |url=http://www.americana.sp.gov.br/legislacao/lei_83_1953.pdf |titulo=lei_83_1953}}</ref>
|JARDIM DA MATA<ref>{{citar web|url=http://www.riamericana.com.br/__Documentos/Plantas/MATA_(JARDIM_DA).pdf|titulo=MATA_(JARDIM_DA)}}</ref>
|03
|2004 <ref name=":68" />
|Cooperativa Nacional da Habitação e Construção - Cooperteto
|2004<ref>{{citar web |url=http://www.americana.sp.gov.br/legislacao/lei_4084_2004.html |titulo=lei_4084_2004}}</ref>
|JARDIM ESPLANADA <ref>{{citar web|url=http://www.riamericana.com.br/__Documentos/Plantas/ESPLANADA_(JARDIM).pdf|titulo=ESPLANADA_(JARDIM)}}</ref>
|04
|2006 <ref name=":0">{{citar web |url=http://www.americana.sp.gov.br/legislacao/decreto_6907.html |titulo=decreto_6907}}</ref>
|Agro Imobiliária Jaguari Ltda.
|2006<ref name=":0" />
|JARDIM GOVERNADOR MARIO COVAS I
|06
|2004 <ref name=":60">{{citar web |url=http://www.americana.sp.gov.br/legislacao/lei_4035_2004.html |titulo=lei_4035_2004}}</ref>
|Cia. Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo - CDHU
|2004<ref name=":60" />
|JARDIM GOVERNADOR MARIO COVAS II
|06
|2004 <ref name=":61">{{citar web |url=http://www.americana.sp.gov.br/legislacao/lei_4034_2004.html |titulo=lei_4034_2004}}</ref>
|Cia. Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo - CDHU
|2004<ref name=":61" />
|JARDIM GOVERNADOR MARIO COVAS III
|06
|2004 <ref name=":62">{{citar web |url=http://www.americana.sp.gov.br/legislacao/lei_4033_2004.html |titulo=lei_4033_2004}}</ref>
|Cia. Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo - CDHU
|2004<ref name=":62" />
|JARDIM IMPERADOR <ref>{{citar web |url=http://www.riamericana.com.br/__Documentos/Plantas/IMPERADOR_(JARDIM).pdf |titulo=IMPERADOR_(JARDIM)}}</ref>
|03
|1999 <ref name=":68" />
|Joyce Gasparini e Dalva Esporcate Gasparini
|1999<ref>{{citar web |url=http://www.americana.sp.gov.br/legislacao/lei_3293_1999.html |titulo=lei_3293_1999}}</ref>
|JARDIM NIELSEN VILLE <ref>{{citar web|url=http://www.riamericana.com.br/__Documentos/Plantas/NIELSEN_VILLE_(JARDIM).pdf|titulo=NIELSEN_VILLE_(JARDIM)}}</ref>
|10
|1996 <ref name=":3">{{citar web |ultimo= |primeiro= |url=http://www.americana.sp.gov.br/legislacao/lei_3018_1996.pdf |titulo=lei_3018_1996 |data= |acessodata= |publicado=}}</ref>
|Nielsen Empreendimentos Imobiliários e Terraplenagem Ltda.
|1996<ref name=":3" />
|JARDIM NOVA ALIANÇA
|03
|2018 <ref>{{citar web |url=http://www.americana.sp.gov.br/legislacao/decreto_12112_2018.html |titulo=decreto_12112_2018}}</ref>
|Associação dos Sem Teto de Americana - ASTA
|2020<ref>{{citar web|url=http://www.americana.sp.gov.br/legislacao/lei_6396_2020.html|titulo=lei_6396_2020}}</ref>
|JARDIM NOVA AMERICANA
|09
|1951 <ref>{{citar web |url=https://www.americana.sp.gov.br/legislacao/decreto_400_1951.pdf |titulo=decreto_400_1951}}</ref>
|Antonio Pinto Duarte e Francisco Pinto Duarte Filho
|1951 (prol.)<br>1955<ref name=":75" /><br>1956<ref name=":76" /><br>1958<ref name=":77" /><br>1959<ref name=":17" /><br>1986<ref name=":78">{{citar web |url=https://www.americana.sp.gov.br/legislacao/decreto_2482_1986.pdf |titulo=decreto_2482_1986}}</ref>
|JARDIM NOVO HORIZONTE <ref>{{citar web |url=http://www.riamericana.com.br/__Documentos/Plantas/NOVO_HORIZONTE_(JARDIM).pdf |titulo=NOVO_HORIZONTE_(JARDIM)}}</ref>
|06
|2004 <ref name=":69" />
|Cooperativa Nacional da Habitação e Construção - Cooperteto
|2004<ref name=":69">{{citar web |url=http://www.americana.sp.gov.br/legislacao/lei_4083_2004.html |titulo=lei_4083_2004}}</ref>
|JARDIM QUINTA DOS ROMEIROS
|03
|2020 <ref>{{citar web |url=https://www.americana.sp.gov.br/legislacao/decreto_12597_2020.html |titulo=decreto_12597_2020}}</ref>
|Quinta dos Romeiros Comercial e Administradora de Bens Ltda.
|
|JARDIM VILA BELA
|02
|1990 <ref>{{citar web |url=http://www.americana.sp.gov.br/legislacao/lei_2438_1990.pdf |titulo=lei_2438_1990}}</ref>
|Prefeitura Municipal de Americana
|1994<ref>{{citar web|url=http://www.americana.sp.gov.br/legislacao/lei_2875_1994.pdf|titulo=lei_2875_1994}}</ref><br>1995<br>1996<br>2002
|LOTEAMENTO INDUSTRIAL JARDIM WERNER PLAAS <ref>{{citar web |url=http://www.riamericana.com.br/__Documentos/Plantas/WERNER_PLAAS_(JARDIM).pdf |titulo=WERNER_PLAAS_(JARDIM)}}</ref>
|05
|1992 <ref name=":70" />
|W.P.A. Empreendimentos S/C Ltda.
|1992<ref name=":70">{{citar web |url=http://www.americana.sp.gov.br/legislacao/lei_2637_1992.pdf |titulo=lei_2637_1992}}</ref>
|LOTEAMENTO MARINHO FERREIRA JORGE
|03
|1951 <ref>{{citar web |url=http://www.americana.sp.gov.br/legislacao/lei_364_1951.pdf |titulo=lei_364_1951}}</ref>
|Marinho Ferreira Jorge
|1980<br>1981<ref name=":45" /><br>1985<ref name=":47" /><br>1987<ref name=":54" />
|MORADA DO SOL
|06
|1988 <ref>{{citar web |url=http://www.americana.sp.gov.br/legislacao/lei_2221_1988.pdf |titulo=lei_2221_1988}}</ref>
|Lupa Imóveis Ltda e Wallpart - Assessoria, Participações e Empreendimentos S/C Ltda.
|1988<ref>{{citar web|url=http://www.americana.sp.gov.br/legislacao/lei_2237_1988.pdf|titulo=lei_2237_1988}}</ref><br>1989<ref name=":52">{{citar web |url=https://www.americana.sp.gov.br/legislacao/decreto_2830_1989.pdf |titulo=Decreto 2830 - 16/03/1989 "Que dá denominação a Ruas da cidade" Ruas dos Lots. Vila Pântano, Vila Bertini, Morada do Sol e Pq. Res. São Jerônimo I}}</ref><br>1990<br>1991<br>1992<br>1993
|PARQUE IDEAL
|01
|1946 <ref>{{citar web |url=https://www.americana.sp.gov.br/legislacao/decreto_103_1946.pdf |titulo=decreto_103_1946}}</ref>
|Achilles Zanaga
|1952<ref name=":15">{{citar web |url=http://www.americana.sp.gov.br/legislacao/lei_10_1952.pdf |titulo=lei_10_1952}}</ref>
|PARQUE RESIDENCIAL JAGUARI <ref>{{citar web|url=http://www.riamericana.com.br/__Documentos/Plantas/JAGUARI_-_PARTE_01_(PARQUE_RESIDENCIAL).pdf|titulo=JAGUARI_-_PARTE_01_(PARQUE_RESIDENCIAL)}}</ref><ref>{{citar web|url=http://www.riamericana.com.br/__Documentos/Plantas/JAGUARI_-_PARTE_02_(PARQUE_RESIDENCIAL).pdf|titulo=JAGUARI_-_PARTE_02_(PARQUE_RESIDENCIAL)}}</ref>
|04
|1998 <ref name=":28">{{citar web |ultimo= |primeiro= |url=http://www.americana.sp.gov.br/legislacao/lei_3175_1998.html |titulo=lei_3175_1998 |data= |acessodata= |publicado=}}</ref>
|Agro Imobiliária Jaguari S/A
|1998<ref name=":28" />
|PARQUE UNIVERSITÁRIO <ref>{{citar web|url=http://www.riamericana.com.br/__Documentos/Plantas/UNIVERSITARIO_(PARQUE).pdf|titulo=UNIVERSITARIO_(PARQUE)}}</ref>
|10
|2002 <ref name=":64">{{citar web |ultimo= |primeiro= |url=http://www.americana.sp.gov.br/legislacao/lei_3716_2002.html |titulo=lei_3716_2002 |data= |acessodata= |publicado=}}</ref>
|Agrícola Cillo - Boa Esperança Ltda.
|2002<ref name=":64" />
|VILA AMORIM
|07
|1950 <ref>{{citar web |url=http://www.americana.sp.gov.br/legislacao/lei_303_1950.pdf |titulo=lei_303_1950}}</ref>
|Vitório Campaner
|1959<ref name=":18" />
|VILA BELVEDERE
|04
|1951 <ref>{{citar web |url=https://www.americana.sp.gov.br/legislacao/decreto_398_1951.pdf |titulo=decreto_398_1951}}</ref>
|Geraldo Gobbo
|1974<ref name=":53" />
|VILA BRANCA <ref>{{citar web |url=http://www.riamericana.com.br/__Documentos/Plantas/BRANCA_(VILA).pdf |titulo=BRANCA_(VILA)}}</ref>
|05
|1998 <ref name=":71" />
|Construtora Contatto Ltda.
|1998<ref name=":71">{{citar web |url=http://www.americana.sp.gov.br/legislacao/lei_3267_1998.html |titulo=lei_3267_1998}}</ref>
|VILA DAINESE
|07
|1951 <ref>{{citar web |url=https://www.americana.sp.gov.br/legislacao/decreto_395_1951.pdf |titulo=decreto_395_1951}}</ref>
|Irmãos Dainese
|1959<ref name=":18" /><br>1972
|VILA FREZZARIM <ref>{{Citar web|titulo=Frezzarim_(Vila)|url=https://www.imprensaoficial.com.br/DO/BuscaDO2001Documento_11_4.aspx?link=/1946/judiciario/dezembro/07/pag_0018_6BTK1T6AUBUASeCO1TS8ACEUQO3.pdf&pagina=18&data=07/12/1946&caderno=Judici%C3%A1rio&paginaordenacao=100018}}</ref>
|08
|1946 <ref>{{citar web |url=https://www.americana.sp.gov.br/legislacao/decreto_113_1946.pdf |titulo=decreto_113_1946}}</ref>
|Antonio Pinto Duarte e Francisco Pinto Duarte Filho
|1949<br>1958<ref name=":19">{{citar web |url=http://www.americana.sp.gov.br/legislacao/lei_288_1958.pdf |titulo=lei_288_1958}}</ref>
|VILA FREZZARIM
|08
|1951 <ref>{{citar web |url=http://www.americana.sp.gov.br/legislacao/lei_338_1951.pdf |titulo=lei_338_1951}}</ref>
|José Frezzarin
|1960<ref name=":21" />
|VILA JONES (continuação)
|07
|1947 <ref>{{citar web |url=https://www.americana.sp.gov.br/legislacao/decreto_145_1947.pdf |titulo=decreto_145_1947}}</ref>
|Manoel Oliveira Silva
|1950<ref>{{citar web |url=https://www.americana.sp.gov.br/legislacao/lei_279_1950.pdf |titulo=lei_279_1950}}</ref>
|VILA LOURICILDA
|07
|1951 <ref>{{citar web |url=http://www.americana.sp.gov.br/legislacao/lei_333_1951.pdf |titulo=lei_333_1951}}</ref>
|Raphael de Cillo
|1959<ref name=":18" /><br>1970<ref name=":56" />
|VILA PARAISO <ref>{{citar web|url=https://www.imprensaoficial.com.br/DO/BuscaDO2001Documento_11_4.aspx?link=/1968/judiciario/junho/08/pag_0078_B3I6RCPV7TU5JeAPLQHK8736K12.pdf&pagina=78&data=08/06/1968&caderno=Judici%C3%A1rio&paginaordenacao=100078|titulo=Paraiso_(Vila)}}</ref>
|08
|1947 <ref>{{citar web |url=https://www.americana.sp.gov.br/legislacao/decreto_143_1947.pdf |titulo=decreto_143_1947}}</ref>
|Antonio Pinto Duarte e Francisco Pinto Duarte Filho
|1960<ref name=":21" />
|VILA PARAISO (continuação) <ref>{{citar web |url=http://www.riamericana.com.br/__Documentos/Plantas/PARAISO_(VILA).pdf |titulo=PARAISO_(VILA)}}</ref>
|08
|1951 <ref>{{citar web |url=https://www.americana.sp.gov.br/legislacao/decreto_396_1951.pdf |titulo=decreto_396_1951}}</ref>
|Antonio Pinto Duarte e Francisco Pinto Duarte Filho
|1960<ref name=":21" />
|VILA PAVAN
|01
|1946 <ref>{{citar web |url=https://www.americana.sp.gov.br/legislacao/decreto_99_1946.pdf |titulo=decreto_99_1946}}</ref>
|Vicente Pavan
|1949<br>1952<ref name=":15" /><br>1958<ref>{{citar web |url=http://www.americana.sp.gov.br/legislacao/lei_285_1958.pdf |titulo=lei_285_1958}}</ref><ref name=":19" />
|VILA SANTA CATARINA
|09
|1946 <ref>{{citar web |url=https://www.americana.sp.gov.br/legislacao/decreto_100_1946.pdf |titulo=decreto_100_1946}}</ref>
|Thomaz Fortunato
|1946<br>1952<ref name=":16" /><br>1953<ref>{{citar web |url=http://www.americana.sp.gov.br/legislacao/lei_52_1953.pdf |titulo=lei_52_1953}}</ref>
|VILA SANTA CATARINA (continuação)
|09
|1950 <ref>{{citar web |url=http://www.americana.sp.gov.br/legislacao/lei_320_1950.pdf |titulo=lei_320_1950}}</ref>
|Nicolau Jensen
|
|VILA SANTA MONICA (continuação)
|05
|1947 <ref>{{citar web |url=https://www.americana.sp.gov.br/legislacao/decreto_144_1947.pdf |titulo=decreto_144_1947}}</ref>
|Tinturaria e Estamparia Santa Mônica Ltda.
|1987<ref name=":55" /><br>1992
|VILA SANTO ANTONIO
|08
|1951 <ref>{{citar web |url=https://www.americana.sp.gov.br/legislacao/decreto_397_1951.pdf |titulo=decreto_397_1951}}</ref>
|Thomaz Fortunato
|1960<ref name=":21" />
|VILA VITÓRIA <ref>{{citar web|url=http://www.riamericana.com.br/__Documentos/Plantas/VITORIA_(VILA).pdf|titulo=VITORIA_(VILA)}}</ref>
|10
|2004 <ref name=":59">{{citar web |url=http://www.americana.sp.gov.br/legislacao/lei_4100_2004.html |titulo=lei_4100_2004}}</ref>
|Associação dos Sem Teto de Americana - ASTA
|2004<ref name=":59" /><br>2006
'''As primeiras construções'''
 
Em 27/08/1875, com a presença do [[Imperador D. Pedro II]], é inaugurada uma estação ferroviária da [[Companhia Paulista de Estradas de Ferro]] em frente à sede da Fazenda Machadinho, de propriedade de Antônio Bueno Rangel, para atender a cidade de [[Santa Bárbara d'Oeste|Santa Bárbara]]. A estação, localizada na margem esquerda do [[Ribeirão Quilombo]], no município de [[Santa Bárbara d'Oeste|Santa Bárbara]] é considerada o marco de fundação da cidade de Americana<ref name="Estações_Americana">{{citar web|url=http://www.estacoesferroviarias.com.br/a/americana.htm|arquivourl=https://www.webcitation.org/67WKyo4UF?url=http://www.estacoesferroviarias.com.br/a/americana.htm|arquivodata=2012-05-09|título=Americana|autor=Estações Ferroviárias do Brasil|data=12 de outubro de 2011|acessodata=8 de maio de 2012|urlmorta=no}}</ref>. Também neste ano, mas na margem direita do [[Ribeirão Quilombo]], na [[Museu Histórico e Pedagógico Municipal Doutor João da Silva Carrão|Fazenda Salto Grande]] que ficava em território do distrito de [[Santa Cruz (Campinas)|Santa Cruz]], município de [[Campinas]], é fundada a [[Tecelagem Carioba|Fábrica de Tecidos Carioba]]. Mas até então não havia nenhum núcleo urbano no território do atual município.
 
No mesmo ano, mas na margem direita do [[Ribeirão Quilombo]], na [[Museu Histórico e Pedagógico Municipal Doutor João da Silva Carrão|Fazenda Salto Grande]] que ficava em território do distrito de [[Santa Cruz (Campinas)|Santa Cruz]], município de [[Campinas]], é fundada a [[Tecelagem Carioba|Fábrica de Tecidos Carioba]]. Mas até então não havia nenhum núcleo urbano no território do atual município.
 
'''Os primeiros núcleos urbanos'''
 
No ano de 1884 os proprietários da [[Tecelagem Carioba|Fábrica de Tecidos Carioba]] iniciam a construção da vila operária de Carioba, '''primeiro núcleo urbano''' de fato de Americana, mas de cunho particular<ref name=":02">{{Citar web|url=http://www.unicamp.br/unicamp/unicamp_hoje/ju/setembro2004/ju266pag12.html|arquivourl=|arquivodata=|título=Jornal da Unicamp - História de Carioba|autor=Unicamp|acessodata=17 de março de 2019|data=|publicado=|ultimo=|primeiro=}}</ref>. Entre 1890 e 1891 Basílio Bueno Rangel, herdeiro de Antônio Bueno Rangel, vende para o Capitão Ignácio Corrêa Pacheco uma parte da Fazenda Machadinho à esquerda da sede da fazenda<ref>{{citar web|url=https://www.imprensaoficial.com.br/DO/BuscaDO2001Documento_11_4.aspx?link=/1895/diario%2520oficial/outubro/17/pag_15084_9VQRO6O60HNE4e92D8SROIOMB4D.pdf&pagina=15084&data=17/10/1895&caderno=Di%C3%A1rio%20Oficial&paginaordenacao=115084|titulo=Inventário da divisão da Fazenda Machadinho|data=|acessodata=|publicado=Diário Oficial do Estado de São Paulo|ultimo=|primeiro=}}</ref>. Como as terras adquiridas ficavam bem próximas à estação o capitão resolve loteá-las, surgindo o '''segundo núcleo urbano''' de Americana, parte do atual centro da cidade (entorno da Matriz Velha). Este loteamento de início ficou conhecido como Vila da Estação de Santa Bárbara, mas rapidamente passou a ser conhecido pelas pessoas da região como "Vila dos Americanos"<ref>{{citar web|url=http://www.americana.sp.gov.br/americanaV6_index.php?den=250&m=1&ta=3&it=34&a=denominacoes|titulo=Sobre o Capitão Ignácio Corrêa Pacheco|data=|acessodata=|publicado=Prefeitura Municipal de Americana|ultimo=|primeiro=}}</ref>.
 
Entre 1890 e 1891 Basílio Bueno Rangel, herdeiro de Antônio Bueno Rangel, vende para o Capitão Ignácio Corrêa Pacheco uma parte da Fazenda Machadinho à esquerda da sede da fazenda<ref>{{citar web|url=https://www.imprensaoficial.com.br/DO/BuscaDO2001Documento_11_4.aspx?link=/1895/diario%2520oficial/outubro/17/pag_15084_9VQRO6O60HNE4e92D8SROIOMB4D.pdf&pagina=15084&data=17/10/1895&caderno=Di%C3%A1rio%20Oficial&paginaordenacao=115084|titulo=Inventário da divisão da Fazenda Machadinho|data=|acessodata=|publicado=Diário Oficial do Estado de São Paulo|ultimo=|primeiro=}}</ref>. Como as terras adquiridas ficavam bem próximas à estação o capitão resolve loteá-las, surgindo o '''segundo núcleo urbano''' de Americana, parte do atual centro da cidade (entorno da Matriz Velha). Este loteamento de início ficou conhecido como Vila da Estação de Santa Bárbara, mas rapidamente passou a ser conhecido pelas pessoas da região como "Vila dos Americanos"<ref>{{citar web|url=http://www.americana.sp.gov.br/americanaV6_index.php?den=250&m=1&ta=3&it=34&a=denominacoes|titulo=Sobre o Capitão Ignácio Corrêa Pacheco|data=|acessodata=|publicado=Prefeitura Municipal de Americana|ultimo=|primeiro=}}</ref>.
 
Em 14/04/1893 é criado por ato do governo do estado o distrito policial de Vila Americana, com sede no povoado da Estação de Santa Bárbara, no município de [[Santa Bárbara d'Oeste|Santa Bárbara]] e Comarca de [[Piracicaba]], ato que oficializou o nome de Vila Americana. Mas foi em 1894 que começou Vila Americana a tomar feição de povoado, sendo que o lançamento e arrecadação do imposto predial começou a ser feito nesse ano por [[Santa Bárbara d'Oeste|Santa Bárbara]]<ref name=":1">{{citar web|url=https://www.al.sp.gov.br/repositorioAH/AmericanaCompleto2015-07-15B.pdf|titulo=Projeto de Lei de criação do município de Villa Americana|data=|acessodata=|publicado=Acervo Histórico - Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo|ultimo=|primeiro=}}</ref>. Só em 1904, após ser elevada a distrito de paz, é que Vila Americana passou a pertencer a [[Campinas]].
 
Só em 1904, após ser elevada a distrito de paz, é que Vila Americana passou a pertencer a [[Campinas]].
Em 14/04/1893 é criado por ato do governo do estado o distrito policial de Vila Americana, com sede no povoado da Estação de Santa Bárbara, no município de [[Santa Bárbara d'Oeste|Santa Bárbara]] e Comarca de [[Piracicaba]], ato que oficializou o nome de Vila Americana. Mas foi em 1894 que começou Vila Americana a tomar feição de povoado, sendo que o lançamento e arrecadação do imposto predial começou a ser feito nesse ano por [[Santa Bárbara d'Oeste|Santa Bárbara]]<ref name=":1">{{citar web|url=https://www.al.sp.gov.br/repositorioAH/AmericanaCompleto2015-07-15B.pdf|titulo=Projeto de Lei de criação do município de Villa Americana|data=|acessodata=|publicado=Acervo Histórico - Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo|ultimo=|primeiro=}}</ref>. Só em 1904, após ser elevada a distrito de paz, é que Vila Americana passou a pertencer a [[Campinas]].
 
'''As primeiras ruas da cidade<ref name=":34" /><ref name=":35" />'''
* Av. Dr. Antonio Lobo
* Rua Doze de Novembro, antiga Rua Coronel Bento Bicudo
* Rua Jorge Jones, antigaantigas Rua Dr. Cândido Cruz (trecho atrás da Matriz Velha) e Rua Washington Luís (trecho restante)
* Rua Capitão Corrêa Pacheco
* Rua Carioba (o trecho ao lado direito da Matriz Velha chamava-se Beco da Paz)
* Av. Nossa Senhora de Fátima e trecho da [[SP-304]] até o Bairro da Lagoa: estrada velha de Campinas
* Av. Paschoal Ardito, Rua Santa Joana D'Arc, trecho da Av. Angelina Pascote, Rua Adalberto Panzan, Rua Isabela Gonçalves Ferro Santarosa e trecho da [[Rodovia Anhanguera|via Anhanguera]] até o Bairro da Lagoa: formavam a antiga estrada para Campinas
* Av. Antonio Centurione Boer e trecho da Rua Mem de Sá: antiga estrada da [[Museu Histórico e Pedagógico Municipal Doutor João da Silva Carrão|Fazenda Salto Grande]] (o trecho inicial que começava na bifurcação da Av. Paschoal Ardito com a Rua Santa Joana D'Arc e seguia em direção à Av. Antonio Centurione Boer e também o trecho final que ia da Rua Mem de Sá até a ponte sobre o [[rio Atibaia]] não existem mais)
* Rua São Vito: estrada velha do São Vito, iniciava na Chácara da Dona Margarida (na divisa com a [[Museu Histórico e Pedagógico Municipal Doutor João da Silva Carrão|Fazenda Salto Grande]]) e ia até a estrada velha de Campinas em um trecho da atual [[SP-304]]
*Rua Carioba, Rua Maria Cecília Pinheiro e Avenida Carioba: antiga estrada para o bairro Carioba
*Rua Dom Pedro II: antiga estrada para Nova Odessa
*Av. de Cillo: antiga estrada de São Luís, (tinha esse nome pois ligava a cidade até o bairro rural de São Luís em Santa Bárbara (bairro este, que ficava próximo à divisa com Capivari). Posteriormente passou a ser conhecida como estrada de Cillo, apósdevido a inauguração da Usina Açucareira de Cillo e da estação ferroviária Cillos da [[Companhia Paulista de Estradas de Ferro|CPEF]], localizadas em Santa Bárbara às margens dessa estrada
*Av. Campos Sales, trecho da Rua Padre Antonio Vieira, Rua Antonio Feliciano de Castilho e Rua Albino Menegatti: estrada velha de Santa Bárbara
*Rua Luiz de Camões, Av. da Amizade e Estrada da Balsa (atual): formavam a estrada da Balsa original
*Rua João Batista Bazanelli: antiga estrada da Gruta Dainese
*Av. Nove de Julho e Av. Carmine Feola: estrada velha de Santa Bárbara
*Av. São Jerônimo: antiga estrada para o bairro São Jerônimo onde também se localizava ae estação São Jerônimo da [[Companhia Paulista de Estradas de Ferro|CPEF]]
*Av. Antonio Pinto Duarte: antiga estrada estadual de ligação Americana - [[Rodovia Anhanguera|viaVia Anhanguera]]
*Av. Monsenhor Bruno Nardini e trecho final da Av. Campos Sales: antiga estrada estadual de ligação Americana - Santa Bárbara d'Oeste
 
# AP-10: Fazenda Jacyra ([[Santa Bárbara d'Oeste|Santa Bárbara]]), Bairro Amorim ([[Santa Bárbara d'Oeste|Santa Bárbara]]), Bairro Filipada, Bairro Cachoeira, Bairro Recanto
 
Após 14 anos de emancipação, pelo Decreto Estadual n.º 9.775, de 30/11/1938<ref>{{citar web|url=https://www.al.sp.gov.br/norma/?id=125103|titulo=Decreto nº 9.775, de 30/11/1938 - Fixa o novo quadro de divisão territorial do Estado|data=|acessodata=|publicado=Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo|ultimo=|primeiro=}}</ref> o município de Vila Americana passa a denominar-se Americana e seu território é ampliado consideravelmente, onde a atual AP-06 e parte das atuais AP-07, AP-08 e AP-10 deixam de pertencer a [[Santa Bárbara d'Oeste|Santa Bárbara]] e passam a pertencer a Americana. E a partir de 1950 começam a surgir os loteamentos em torno da [[Usina Hidrelétrica Salto Grande (Americana)|Represa Salto Grande]], inaugurada em 1949, formando as regiões da Praia Azul e Praia dos Namorados.
 
Já a partir de 1950 começam a surgir os loteamentos em torno da [[Usina Hidrelétrica Salto Grande (Americana)|Represa Salto Grande]], inaugurada em 1949, formando as regiões da Praia Azul e Praia dos Namorados.
 
== Ver também ==
12 977

edições