Diferenças entre edições de "Lista de aeronaves de Santos-Dumont"

m
Etiqueta: Revertida
Etiqueta: Reversão manual
<center>[[1901]]</center>
|- style=""
|-
|'''Fatum''' (balão) &#x2014; Balão esférico. Utilizado em janeiro, março e junho de 1901 onde testou um experimento de Emmanuel Aimé, visando o melhor controle da posição vertical.<ref>{{Citar web|url=http://www.cabangu.com.br/pai_da_aviacao/1-cronol/1901-01-1901-06.htm|título=Cronologia de Alberto Santos= Dumont|acessodata=2021-09-09}}</ref>
|
|-
|'''Nº 5''' ([[dirigível]]) &#x2014; Construído para tentar ganhar o prêmio [[Henri Deutsch de la Meurthe|Henry Deutsch de la Meurthe]] por um voo desde o campo de voo do [[Aéro-Club de France|Aero-Club de France]] em [[Saint-Cloud]] até a [[Torre Eiffel]] e de volta dentro de 30 minutos. Usou o envelope alargado do Nº 4, a partir do qual uma gôndola [[Triângulo|triangular]] feita de pinho foi suspensa. Outras inovações incluem a utilização de [[corda de piano]] para suspender a gôndola, reduzindo em muito o [[arrasto]], e a inclusão de tanques de água como [[Lastro (transporte)|lastro]]. Alimentado por um [[motor]] refrigerado a ar de 12&#x20;hp e 4 cilindros movendo uma [[hélice]] propulsora.{{harvref|Dumont|1904|pp=148-149}} Voado pela primeira vez em 11 de julho de 1901: um longo voo foi feito no dia seguinte e uma tentativa ao prêmio de la Meurth no dia 13: o voo de ida foi realizado em dez minutos, mas o retorno foi prejudicado por um vento e levou meia hora. Chegando em St Cloud, o motor falhou e o [[dirigível]] foi soprado para árvores vizinhas, danificando o envelope. Uma segunda tentativa ao prêmio foi feita em 8 de agosto, mas terminou em desastre: após alcançar a torre em oito minutos, a aeronave começou a perder de hidrogênio devido a uma [[Válvula (tubulação)|válvula]] defeituosa. A deflação parcial do envelope fez com que alguns dos fios suspensos danificassem a [[hélice]]: Santo-Dumont então parou o [[motor]], deixando a aeronave não só sem energia, mas sem qualquer forma de inflar o [[balonete]] para manter a forma do envelope. Impotente, a aeronave foi soprada de volta para a torre e para cima de um telhado do Hotel Trocadero, estourando o envelope com um ruído descrito em alguns relatos da imprensa como uma explosão, mas que Santos-Dumont compara a um saco de papel arrebentando. Santos-Dumont foi deixado precariamente suspenso acima do pátio do hotel, mas foi resgatado pela brigada de incêndio de [[Paris]]. A aeronave foi completamente danificada e só o [[motor]] foi recuperado.{{harvref|Dumont|1904|pp=171-177}}