Diferenças entre edições de "Monumentos Megalíticos de Alcalar"

m
Em Fevereiro de 2018, estavam quase concluídas as obras de recuperação do Monumento 9, no âmbito de um programa que incluiu a reconstrução do edifício, a execução dos arranjos no exterior, e a publicação de monografia sobre o túmulo e os trabalhos em si.<ref name=SulInfo2018/> O interior do edifício foi mantido, uma vez que já tinha sido anteriormente alvo de obras de consolidação, tendo sido apenas enchido com leca, de forma a garantir a estabilidade do monumento, que se encontrava num estado muito debilitado.<ref name=SulInfo2018/> Também foram feitas de obras de reparação na fachada do túmulo, onde ainda são visíveis as pedras inclinadas devido à queda da estrutura, e foram instalados drenos para impedir a acumulação de água naquele local quando chovia.<ref name=SulInfo2018/> Durante o restauro da fachada, foram apenas reutilizadas pedras da estrutura de condenação ou fecho do túmulo, que se iniciava no interior e depois rodeava o exterior do edifício.<ref name=SulInfo2018/> Estes trabalhos foram feitas como uma intervenção reversível, ou seja, facilitando a realização de futuras análises no terreno ou obras de outros tipos.<ref name=SulInfo2018/> Este método foi utilizado não só devido à importância do monumento na região do Algarve, mas também para servir de exemplo para futuras obras.<ref name=SulInfo2018/> Estas obras foram candidatadas pela Direcção Regional de Cultura do Algarve ao Programa Operacional CRESC Algarve 2020, tendo importado em cerca de 106 Mil euros, suportados em 60% pelo [[Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional]].<ref name=SulInfo2018/> Nessa altura, previa-se que as obras estariam terminadas em Maio, quando o monumento 9 seria mostrado ao público no âmbito das comemorações do aniversário do Museu de Portimão, e do evento anual ''Um Dia na Pré-História'', realizado em Alcalar.<ref name=SulInfo2018/> Com a conclusão das obras no Monumento 9, encerrou-se um ciclo de pesquisa e valorização do grupo oriental das necrópoles de Alcalar, que durou cerca de vinte anos, tendo sofrido vários atrasos devido a problemas de financiamento na área da cultura.<ref name=Postal2018/> Durante este período, também foi ampliado o conhecimento sobre Alcalar noutras áreas, como a ocupação humana da zona entre o quinto e segundo milénio a.C., que foi divida em cinco grandes períodos, e a arquitectura da área residencial.<ref name=Postal2018/> Devido a estas pesquisas, foi possível ampliar a zona protegida como Monumento Nacional, de forma a englobar todos os vestígios da antiga povoação de Alcalar.<ref name=Postal2018/>
 
Em Maio de 2019, a arqueóloga espanhola Elena Morán apresentou o seu livro ''El Asentamiento Prehistórico de Alcalar (Portimão, Portugal)'' na [[Faculdade de Letras de Lisboa]], onde descreveu as diversas pesquisas que foram feitas em Alcalar até 2014, tanto pelo governo como pela autarquia de Portimão.<ref>{{citar web|titulo=Arqueóloga Elena Morán lança livro sobre Alcalar na Faculdade de Letras de Lisboa|data=6 de Maio de 2019|publicado=Sul Informação|url=https://www.sulinformacao.pt/2019/05/arqueologa-elena-moran-lanca-livro-sobre-alcalar-na-faculdade-de-letras-de-lisboa/|acessodata=2 de Julho de 2019}}</ref> Em conjunto com Rui Parreira, também arqueólogo, passaram várias décadas a estudar os monumentos de Alcalar.<ref name=SulInfo2018/> Também em Maio desse ano, teve lugar o evento ''Um Dia na Pré-História'' em Alcalar, que incluiu actividades interactivas sobre várias facetas da vida pré-histórica, incluindo olaria, caça, gravuras, tecelagem, preparação dos alimentos e produção de cerveja, moagem, fabrico de utensílios e de adornos, e o processo para a movimentação dos monolitos.<ref>{{citar web|titulo=DiVaM convida a viajar no tempo em Milreu e Alcalar|data=29 de Abril de 2019|publicado=Sul Informação|url=https://www.sulinformacao.pt/2019/04/divam-convida-a-viajar-no-tempo-em-milreu-e-alcalar/|acessodata=2 de Julho de 2019}}</ref> Este evento é organizado de forma anual, no âmbito do programa DiVaM - Divulgação e Valorização dos Monumentos, da Direcção Regional de Cultura do Algarve, tendo atingido um número recorde de espectadores em 4 de Maio de 2019, com 1600 pessoas.<ref>{{citar web|autor=NUNES, Nilton|titulo=1600 pessoas viajaram até à Pré-História em Alcalar|data= 7 de Maio de 2019|publicado=Sul Informação|url=https://www.sulinformacao.pt/2019/05/1600-pessoas-viajaram-no-tempo-ate-a-pre-historia-em-alcalar/|acessodata=2 de Julho de 2019}}</ref>
 
== Ver também ==