Diferenças entre edições de "Diodoro Sículo"

Correções ortográficas.
(Correções ortográficas.)
 
|nacionalidade =
|magnum_opus = Biblioteca Histórica}}
'''Diodoro Sículo''' ou '''Diodoro da Sicília''' (em [[língua grega|grego]] Διόδωρος ὁ Σικελός; [[Circa|ca.]] {{dni|lang=br|||90 a.C.|si}} {{morte|lang=br|||-30}}), foi um [[História|historiador]] [[Grécia|grego]], que viveu no século I a.C.
 
== Biografia ==
[[File:Bibliotheca historica.tif|thumb|''Bibliotheca historica'', 1746]]
Diodoro nasceu em [[Agira|Agírio]] (hoje Agira), [[Sicília]] (daí o apelido "Sículo").
[[Jerónimo de Estridão|São Jerônimo]] diz que ele floresceu no 4.º ano da 180.ª [[Olimpíada]] (i.e. [[49 a.C.]]).<ref>São Jerônimo - '''Chronicon''' (ou '''Temporum liber'''). Na verdade, uma tradução, para o Latim, das Tábuas Cronológicas, que compõem a segunda parte das Crônicas de Eusébio, acrescidas de um suplemento produzido por Jerônimo.</ref>. Mas as informações que temos sobre sua vida são todas indiretas, deduzidas de sua própria obra.
 
Sabe-se, com razoável certeza, que esteve no [[Egito]], entre [[60 a.C.]] e [[57 a.C.]], aproximadamente, onde iniciou as pesquisas necessárias para suas atividades de historiador <ref>Biblioteca Histórica 1.44.1</ref>, trabalho que se prolongou durante os 30 anos seguintes (<ref>Biblioteca Histórica 1.3.6</ref> ). Parece que em [[56 a.C.]] viajou para Roma e lá ficou durante muito tempo, certamente consultando os arquivos e registros disponíveis;
 
Diodoro produziu uma única obra, a '''Biblioteca Histórica''' (também chamado de "História Universal"), que reunia 40 livros escritos em grego comum (κοινὴ διάλεκτος), sendo que somente os livros 1-5 e 11-20 sobreviveram, praticamente na íntegra; dos outros, restam apenas alguns fragmentos. Mesmo assim, é o mais extenso relato sobre a história da Grécia e de Roma que chegou até nós, desde as origens míticas até as últimas décadas da [[República Romana]].
 
Nos capítulos 19 e 20 do 5.º livro, ele menciona a viagem de uma frota de [[Fenícia|fenícios]] que teria saído da costa da [[África]], perto de [[Dakar]], e navegado pelo [[oceano Atlântico]], no rumo do Sudoeste.<ref>Em função desse registro, especula-se a possibilidade desses fenícios terem chegado ao continente americano.</ref>
 
A obra de Diodoro é uma compilação frequentemente contraditória, confusa e repetitiva de fontes mais antigas. A cronologia é, via de regra, confiável, mas a narrativa contém afirmativas ingênuas e, às vezes, erros grosseiros, além da ausência de qualquer análise dos fatos. Por isso, Diodoro é geralmente apontado como um compilador competente, mas um mau historiador.
2 898

edições