Arquivos Nacionais e Administração de Documentos: diferenças entre revisões

sem resumo de edição
m (pequenos ajustes)
Originalmente, a cada ramo e agência do governo de [[Estados Unidos]] era responsável por manter seus próprios documentos, que com frequência dava lugar à perda e destruição de registros. Em [[1934]], o Congresso criou mediante lei a Administração Nacional de Documentos com o fim de centralizar o cuidado dos arquivos federais. Seu chefe administrador recebe o título de «archivista de Estados Unidos». Em 1949, a Administração Nacional de Arquivos incorporou-se à Administração Geral de Serviços, mas em [[1985]] converteu-se numa agência independente, conhecida como NARA (National Archives and Records Administration: Arquivos Nacionais e Administração de Documentos).
 
A maioria dos documentos ao cuidado da NARA são de domínio público, como os trabalhos do Governo federal estão excluídos da protecçãoproteção de [[Droit d'auteur|direitos de autor.]] No entanto, alguns documentos que têm entrado ao cuidado da NARA desde outras fontes poderiam ainda estar protegidos por direitos de autor ou acordos de doador. A administração NARA também aloja documentos classificados e os monitores de seu Escritório de Vigilância de Segurança de Informação estabelecem a política que corresponde à classificação de segurança do sistema de Governo estadounidense.
 
Os holding da NARA estão classificados em "grupos documentários" refletindo o departamento governamental ou agência do que são originariosoriginários. Os arquivos incluem documentos em papel, microfilmsmicrofilmes, fotogramas, videos e meios electrónicoseletrônicos.
 
Muitos dos documentos mais solicitados da administração NARA são utilizados frequentemente para investigações genealógicas. Isto inclui os censos desde [[1790]] até [[1930]] bem como prontas de passageiros de barcos e documentos de [[Naturalização|nacionalização]].
=== Edifício da Administração Nacional de Arquivos ===
[[Ficheiro:USA-Archives_of_the_United_States_of_America0.jpg|miniaturadaimagem|Arquivos de Estados Unidos.]]
O Edifício dos Arquivos Nacionais, conhecido de maneira informal como Archives I, localizado ao Norte do [[National Mall]] em Constitution Avenue (na cidade de [[Washington, D.C.|Washington]]), abriu como sua sede central original em 1935. Alberga as cópias originais dos três  documentos da formação de Estados Unidos e de seu Governo:
 
* A [[Declaração da Independência dos Estados Unidos|Declaração de Independência de Estados Unidos]], 4 de julho de 1776.
* A [[Declaração dos Direitos dos Estados Unidos|Carta de Direitos de Estados Unidos]], 15 de dezembro de 1791.
 
Bem como uma ''Carta magna'' confirmada por [[Eduardo I de Inglaterra]] em [[1297]] que se apresentou como cortesía da Fundação Perot. Estes documentos estão expostos ao público na sala principal dos Arquivos Nacionais que se chama a ''Rotonda dos Fueros da Liberdade.'' As fotografias com flash dos documentos estão proibidas, porque os flashes podem deteriorar com o tempo. Não há nenhuma linha para ver os documentos individualmente (ainda que há uma linha para cruzar a própria rotunda, é uma exibição parcial lateral através da linha onde se conserva a Carta Magna) nos Arquivos Nacionais e aos visitantes se lhes permite caminhar de documento em documento segundo queiram.
 
O Edifício dos Arquivos Nacionais também mostra outros importantes documentos históricos de Estados Unidos como a ''[[Compra da Luisiana|Compra de Luisiana]]'' e a ''[[Proclamação de Emancipação]]'', bem como colecçõescoleções de fotografias e outros artefactos estadounidenses histórica e culturalmente significativos.
 
=== Arquivos Nacionais em College Park ===
* [[Centro Presidencial George W. Bush|Biblioteca e Museu Presidencial de George W. Bush]] em Dallas (Texas).
 
Os Arquivos Nacionais mantêm um Projecto de Materiais Presidenciais de Nixon como nas instalação de Arquivos II em College Park, Maryland. O "ProjectoProjeto Nixon" está a transferir actualmenteatualmente (2007) todo seu material à recentemente aberta Biblioteca e Museu Presidencial de Richard Nixon em Yorba Linda (Califórnia).
 
=== Controvérsia de 2006 sobre a reclassificçãoreclassificação ===
Em março de [[2006]], foi revelado (por parte dos Arquivistas de Estados Unidos) numa audiência pública um memorandummemorando de conciliação entre a administração NARA e várias agências governamentais que existiam párapara "reclassificar", por exemplo, renunciaram de publicar certos documentos em nome da segurança nacional e o fizeram de maneira que os pesquisadores não pudessem descobrir o processo.<ref>[http://www.gwu.edu/~nsarchiv/news/20060411/index.htm gwu.edu] (11 de abril de 2006)</ref>
 
A 24 de fevereiro de 2006, a administração NARA lançou uma nota de imprensa anunciando uma empresa conjunta com a empresa estadounidense [[Google]] para digitalizar e oferecer on-line os videosvídeos de NARA de maneira gratuita.<ref>[http://www.archives.gov/press/press-releases/2006/nr06-64.html Nota de imprensa] de 2006 que comunica a participação de Google para digitalizar videos.</ref>
 
=== Outras alianças ===
O 10 de janeiro de 2007, a administaciónadministração NARA e a empresa Footnote lançaram um projectoprojeto para [[Conversor analógico-digital|digitalizar]] documentos históricos e proporcioná-los on-line.<ref>[http://footnote.com/nara.php NARA] no lugar site Footnote.com (em inglês).</ref><ref>[https://web.archive.org/web/20130216195333/http://archives.gov/press/press-releases/2007/nr07-41.html Nota de imprensa] de 2007 que comunica o projectoprojeto para digitalizar documentos históricos.</ref>
 
O arquivista de Estados Unidos é o oficial chefe de supervisão de operações da NARA (Arquivos Nacionais e Administração de Documentos de Estados Unidos). O primeiro arquivista, R.D.W.Connor, começou a servir em 1934, quando o Congresso de Estados Unidos criou os Arquivos Nacionais. Os arquivistas serviram como oficiais subordinados em outras agências governamentais até que Arquivos Nacionais e Administração de Documentos de Estados Unidos chegou a ser uma agência independente de 1 de abril de 1985.