Diferenças entre edições de "Lista de arranha-céus da cidade de São Paulo"

m
m
(Conteúdos)
m (m)
A história da verticalização de São Paulo iniciou-se na década de 1920, com a construção do [[Edifício Sampaio Moreira]] em 1924, de 50 metros de altura e 12 andares, novidade para a época. Ainda naquele ano, foi iniciada a construção do [[Edifício Martinelli]], o qual foi inaugurado ainda inacabado em 1929, de modo a concorrer com o [[Edifício A Noite]] (84 metros), no [[Rio de Janeiro]], e receber o título de prédio mais alto do país e da América Latina, o que se sucedeu, até a construção do [[Edifício Kavanagh]] (120 metros), em [[Buenos Aires]] em 1936. O posto de deter o maior arranha-céu da América Latina voltou a ser de São Paulo com a inauguração do [[Edifício Altino Arantes]] (161 metros de altura e 35 andares), construído em 1947 e era a maior construção de [[concreto armado]] do mundo e o prédio mais alto do planeta fora dos [[Estados Unidos]].
 
Em 1960, iniciou-se a construção do [[Mirante do Vale]], concluído em 1966. Com 170 metros de altura e 51 andares, tornou-se o mais alto da cidade e destacou-se por ter sido o mais alto do Brasil por 48 anos até 2014 (sendo o edifício que se manteve na posição por mais tempo). Ainda em 1966, foi inaugurado o [[Edifício Copan]] (115 metros), simbolo da cidade e da arquitetura moderna brasileira, uma vez que não seguiu o padrão reto dos outros prédios vizinhos e foi desenhado em curvas sinuosas, por [[Oscar Niemeyer]]. Inúmeros novos arranha-céus foram erguidos naquela década, como o [[Edifício Itália]] (165 metros), e nos anos posteriores; porém, devido aos incêndios ocorridos nos edifícios [[Edifício Andraus|Andraus]] e [[Incêndio no Edifício Joelma|Joelma]] na década de 1970, o limite de altura das construções foi inibido e a cidade não teve novos arranha-céus com altura acima dos 160 metros por cerca de quatro décadas. São Paulo teve vários projetos de arranha-céus que seriam os maiores do mundo caso fossem concluídos, como a [[Maharishi São Paulo Tower]] (508 metros), que ultrapassaria as [[Petronas Twin Towers|Petronas Towers]];<ref>{{Citar web |url=http://edition.cnn.com/2000/WORLD/americas/10/25/brazil.skyscraper.reut/ |titulo=Sao Paulo loses dream of world's tallest building - |data=25 de outubro de 2000 |acessodata=2021-10-03 |website=CNN}}</ref> a Landmark Tower (695 metros) e o Órbita Residence (1,1 quilômetro). Em 2021, foi inaugurado o [[Residencial Figueira Altos do Tatuapé|Figueira Altos do Tatuapé]] (168 metros e 50 andares), o maior residencial e o terceiro maior prédio da cidade. Ainda no mesmo ano, no mês de março, o [[Platina 220]] (em fase de acabamento) assumiu a primeira posição como o mais alto de São Paulo quando atingiu sua altura máxima de 172 (após mais de 50 anos da finalização do Mirante do Vale). Novos edifícios estão em construção, como o complexo imobiliário [[Parque Global - Torre Ibirapuera|Parque Global]] (composto por cinco torres residenciais de 168 metros), [[Cidade Matarazzo]] e o [[Alto das Nações]], que terá a torre corporativa multiuso mais alta do Brasil, com 216 metros de altura.
 
O [[panorama urbano]] da cidade tem sido frequentemente listado como um dos mais impressionantes, relevantes e conhecidos do mundo, com grande número de edifícios de alto padrão de classe AAA (triple A) localizados em regiões como [[Avenida Paulista]], [[Avenida Brigadeiro Faria Lima|Avenida Faria Lima]], [[Brooklin (São Paulo)|Brooklin]], [[Itaim Bibi (bairro de São Paulo)|Itaim Bibi]], [[Zona Central de São Paulo|Centro]] e [[Pinheiros (distrito de São Paulo)|Pinheiros]], tais como o [[Faria Lima Plaza]] (126 metros), a [[Torre Matarazzo]] (125 metros) entre outros. De acordo com a organização alemã [[Emporis]], em uma pesquisa feita sobre os ''skyline'' mais impactantes do mundo, São Paulo ficou na quinta classificação em 2011;<ref>{{Citar web |ultimo=Zeveloff |primeiro=Julie |url=https://www.businessinsider.com/best-city-skylines-2011-12 |titulo=The 25 Best Skylines In The World |acessodata=2021-10-03 |website=Business Insider |lingua=en-US}}</ref> sétima em 2013;<ref>{{Citar web |ultimo=Rosenberg |primeiro=Max |ultimo2=Zeveloff |primeiro2=Julie |url=https://www.businessinsider.com/worlds-best-skylines-2013-5 |titulo=The 25 Best Skylines In The World |acessodata=2021-10-03 |website=Business Insider |lingua=en-US}}</ref> em 2015, na nona;<ref>{{Citar web |url=https://sao-paulo.estadao.com.br/noticias/geral,sp-entra-em-top-10-das-cidades-com-skylines-mais-impactantes,1693980 |titulo=SP entra em top 10 das cidades com skylines mais impactantes - São Paulo |data=25 de maio de 2015 |acessodata=2021-10-03 |website=Estadão |lingua=pt-BR}}</ref> no ano seguinte, foi novamente incluída na mesma publicação da companhia.<ref>{{Citar web |ultimo=Grebey |primeiro=James |ultimo2=Zeveloff |primeiro2=Julie |url=https://www.insider.com/25-best-city-skylines-in-the-world-2016-6 |titulo=The 25 best city skylines on the planet |data=30 de agosto de 2018 |acessodata=2021-10-03 |website=Insider |lingua=en-US}}</ref>
|
|-
|[[Parque Global|Parque Global - Torre Prospect]]
|
|-