Diferenças entre edições de "Diocese de Macau"

m
m
 
 
== História ==
{{Veja|Anexo:Lista dos bispos de Macau}}
[[Ficheiro:StPauls whole.JPG|thumb|260px|esquerda|A fachada da já destruída [[Igreja da Madre de Deus (Macau)|Igreja da Madre de Deus]], anexa ao [[Colégio de São Paulo (Macau)|Colégio de São Paulo]]. A igreja foi reconstruída em 1602 e destruída em 1835, restando apenas as [[Ruínas de São Paulo]], que inclui a fachada.<ref name="heritagepaulo">[http://www.macauheritage.net/pt/HeritageInfo/HeritageContent.aspx?t=M&hid=68 Ruínas de S. Paulo] {{Wayback|url=http://www.macauheritage.net/pt/HeritageInfo/HeritageContent.aspx?t=M&hid=68 |date=20140112183904 }}, no site da Rede do Património Cultural de Macau</ref>]]
 
[[Macau]], que tornou-se num importante estabelecimento comercial português em meados do [[século XVI]], tornou-se também num importante ponto de partida de [[missionário]]s [[catolicismo|católicos]] para os diferentes países da [[Ásia]], principalmente para a [[China]] e o [[Japão]]. Eles construiram [[igreja]]s, instituições de caridade e de educação, nomeadamente o [[Colégio de São Paulo (Macau)|Colégio de São Paulo]] (fundado no séc. XVI) e o [[Seminário de São José (Macau)|Seminário de São José]] (fundado no séc. XVIII). Estas instituições académicas, ambas criadas pelos [[jesuíta]]s, serviam para formar missionários e padres. Mas, o Colégio foi destruído por um incêndio em [[1835]] e o Seminário, devido à falta de vocações sacerdotais, deixou de funcionar em [[1967]]. Além da [[evangelização]], estes religiosos católicos, nomeadamente [[Matteo Ricci]], promoveram também o intercâmbio ético, cultural e científico entre o [[Ocidente]] e o [[Oriente]]. Vários missionários jesuítas, que também eram cientistas, músicos, artistas e escritores, chegaram a desempenhar importantes funções e cargos na Corte imperial chinesa, nomeadamente durante o reinado de [[Kangxi]] (1661-1722).<ref name="macauyearbook09" /><ref name="teixeira1" /><ref name="heritagepaulo" /><ref name="catencychina">[http://www.newadvent.org/cathen/03669a.htm The Church in China], na ''Catholic Encyclopedia'' (1913)</ref><ref>{{Citar web |url=http://www.macauheritage.net/wh/mhValueP.asp |titulo=Valor universal excepcional de “O Centro Histórico de Macau” |acessodata=2011-02-23 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20140409174323/http://www.macauheritage.net/wh/mhValueP.asp |arquivodata=2014-04-09 |urlmorta=yes }}</ref><ref name="JTM2">[http://www.jtm.com.mo/view.asp?dT=267503005 Número de fiéis e sacerdotes católicos caiu para metade desde 1978]{{Ligação inativa|1={{subst:DATA}} }}, Jornal Tribuna de Macau, 27 de Dezembro de 2007</ref>
 
O primeiro a ser sagrado [[Bispo de Macau]] foi D. [[Leonardo Fernandes de Sá|Leonardo de Sá]], que só chegou a Macau em [[1581]], sendo a Diocese administrada pelo bispo D. [[Belchior Carneiro Leitão]] até à data mencionada. Foi este [[bispo]] [[jesuíta]] português que fundou, em [[1569]], o Hospital dos Pobres (mais tarde renomeado de Hospital de São Rafael) e a [[Santa Casa da Misericórdia (Macau)|Santa Casa da Misericórdia]], a primeira instituição europeia de caridade e de beneficência em Macau que tem por objectivo atender às necessidades dos pobres da Cidade.<ref>[http://www.macauheritage.net/pt/HeritageInfo/HeritageContent.aspx?t=M&hid=64 Santa Casa da Misericórdia] {{Wayback|url=http://www.macauheritage.net/pt/HeritageInfo/HeritageContent.aspx?t=M&hid=64 |date=20140112183851 }}, no site da Rede do Património Cultural de Macau</ref> Esta instituição contribuiu muito para o desenvolvimento da assistência social de Macau. D. Belchior fundou também uma leprosaria junto à [[Igreja de São Lázaro (Macau)|Igreja de S. Lázaro]] para cuidar dos [[leproso]]s.<ref name="macauyearbook09" /><ref>[[Monsenhor Manuel Teixeira]], "''Vultos marcantes em Macau''", Direcção dos Serviços de Educação e Cultura, 1982</ref><ref name="iglazaro">[http://www.macauheritage.net/pt/HeritageInfo/PointContent.aspx?t=O&hID=107 Igreja de São Lázaro e adro] {{WebCite|url=https://www.webcitation.org/6AW0ntIhZ?url=http://www.macauheritage.net/pt/HeritageInfo/PointContent.aspx?t=O |date=20120908033223 |dateformat=iso }}, no site da Rede do Património Cultural de Macau</ref><ref>[[Monsenhor Manuel Teixeira]], "''Bispos, Missionários, Igrejas e Escolas: no IV Centenário da Diocese de Macau''" (Macau e a sua Diocese, Vol. 12), Macau, Tipografia da Missão do Padroado, 1976; págs. [http://www.library.gov.mo/macreturn/DATA/PP271/PP271045.HTM 43], [http://www.library.gov.mo/macreturn/DATA/PP271/PP271046.HTM 44] e [http://www.library.gov.mo/macreturn/DATA/PP271/PP271102.HTM 100]</ref>
 
Aquando da sua fundação, a Diocese de Macau, vinculado ao [[Padroado português]], teve jurisdição sobre vários territórios eclesiásticos existentes no [[Extremo Oriente]], como por exemplo na [[China]], [[Japão]], [[Vietname]] e ilhas adjacentes. No entanto, com o decorrer dos tempos, a [[Igreja Católica]] começou a criar gradualmente novas dioceses e [[circunscrição eclesiástica|circunscrições eclesiásticas]] no Extremo Oriente e, consequentemente, a Diocese de Macau começou, aos poucos, a perder territórios e igrejas que outrora foram criadas e/ou administradas por ela.<ref name="InfDioceseMacau3"/><ref name="MacauYearbook2006"/> Com a criação da [[Diocese de Funay]] ([[1588]]), dos [[Vicariato apostólico|Vicariatos Apostólicos]] de [[Tonquim]] e da [[Cochinchina]] ([[1659]]), do [[Vicariato Apostólico de Nanquim]] ([[1659]]) e da [[Diocese de Pequim]] ([[1690]]), a jurisdição da Diocese de Macau ficou muito reduzida e albergava não muito mais do que Macau e ilhas adjacentes, [[Timor]] e as [[Província]]s chinesas de [[Guangxi]], [[Hainão]] e [[Guangdong]].<ref name="CatholicHierarchy4" /><ref name="CatEnc">[http://www.newadvent.org/cathen/09481b.htm Macao], ''Catholic Encyclopedia'' (1913)</ref><ref name="gcatolic1">[http://www.gcatholic.org/dioceses/diocese/maca1.htm Diocese de Macau no GCatholic]</ref><ref name="teixeiradioc">[[Monsenhor Manuel Teixeira]], "''[http://www.library.gov.mo/macreturn/DATA/PP271/index.HTM Bispos, Missionários, Igrejas e Escolas: no IV Centenário da Diocese de Macau]''" (Macau e a sua Diocese, Vol. 12), Macau, Tipografia da Missão do Padroado, 1976; págs. [http://www.library.gov.mo/macreturn/DATA/PP271/PP271036.HTM 34], [http://www.library.gov.mo/macreturn/DATA/PP271/PP271039.HTM 37], [http://www.library.gov.mo/macreturn/DATA/PP271/PP271040.HTM 38], [http://www.library.gov.mo/macreturn/DATA/PP271/PP271041.HTM 39] e [http://www.library.gov.mo/macreturn/DATA/PP271/PP271059.HTM 57].</ref>