Diferenças entre edições de "Conclave de 1758"

m
 
===A chegada dos cardeais franceses e sua exclusão contra Cavalchini ===
Gradualmente, os representantes das cortes reais chegaram a Roma com instruções de seus monarcas. Em {{dtlink|4|6}}, entrou no cardeal Luynes com as instruções de [[Luís XV de França]]. Cinco dias depois, ele anunciou oficialmente a nomeação do cardeal Prospero Colonna di Sciarra para o cargo de protetor da França. <ref>L. Pastor, p. 151</ref> Mas o cardeal imperial von Rodt ainda era aguardado.
 
Nos dias seguintes, o novo candidato [[Carlo Alberto Guidobono Cavalchini]] recebeu ainda mais votos, promovidos por Corsini e Portocarrero trabalhando juntos. Em 19 de junho, obteve 21 votos, 21 de junho e 26 e, à noite de 22 de junho, 28 de quarenta e três, o que significava que ele tinha apenas um voto a menos de ser eleito. Mas, depois dessa votação, o cardeal Luynes informou o decano do Colégio Sagrado Rainiero d'Elci sobre o veto oficial do rei da França contra Cavalchini. A França se opôs a Cavalchini por seu apoio à beatificação de [[Roberto Belarmino]] e nos assuntos relacionados aoà tourobula anti- jansenista ''Unigenitus ''.<ref>L. Pastor, p. 152-153</ref> A exclusão recebeu fortes protestos, mas o próprio Cavalchini disse: "É uma prova manifesta de que Deus me considera indigno de preencher as funções de seu vigário na terra". <ref name="Lib">{{Cite web |url=http://www.saint-mike.org/Library/Papal_Library/ClementXIII/Biography.html |title=Papal Library |access-date=2008-02-27 |archive-url=https://web.archive.org/web/20081007143401/http://www.saint-mike.org/Library/Papal_Library/ClementXIII/biography.html |archive-date=2008-10-07 |url-status=dead }}</ref>
 
Após o colapso da candidatura de Cavalchini, Portocarrero avançou como novo candidato Paolucci, mas foi rejeitado pelos franceses que, juntamente com ao facçãogrupo de Corsini, votaram novamente em Crescenzi. <ref>L. Pastor, p. 154-155</ref>
 
===A chegada do cardeal von Rodt ===