Diferenças entre edições de "Lista de heresias católicas"

|-valign=top
| [[Catarismo]]
| O catarismo teve suas raízes no movimento [[Paulicianismo|pauliciano]] na [[Armênia]] e nos [[Bogomilismo|bogomilos]] da [[Bulgária]], com quem os paulicianos se mesclaram, com uma forte influência dualista. Adotavam um modo de vidas [[ascético]] e sustentavam que o mundo físico era mau e criado por ''Rex Mundi'', o deus do mundo, sendo adeptos de um deus de puro espírito. Negavam que Jesus poderia encarnar-se e continua a ser o filho de Deus. Sua concepção de Jesus se assemelhava ao [[sabelianismo]], ao [[adocionismo]] e ao [[Docetismo]]. Eram [[Antitrinitários]], rejeitavam firmemente a [[Ressurreição de Jesus]] e, o [[Cruz cristã|símbolo da cruz]] e os [[sacramento]]s doda [[batismoIgreja Católica]], emas daadotavam [[eucaristia]]. Adotavama a [[imposição das mãos]] e acreditavam no [[Juízo Final]]. O [[Pescetarianismo|único tipo de carne que consumiam era a de peixes e frutos do mar]]. Valorizavam a figura de [[Maria Madalena]] e, desse modo, [[Protofeminismo|as mulheres podiam ser líderes espirituais ("perfeitos")]] || Primeiro apareceu em [[Languedoc]], uma região da [[França]], no {{séc|XI}} e floresceu nos séculos XII e XIII.
| Depois de várias décadas de perseguição ([[Cruzada Albigense]]) e re-[[proselitismo]], e talvez mais importante ainda, a destruição sistemática da sua escritura, a seita estava exausta e não conseguia encontrar mais adeptos. Os líderes cátaros revivem no sopé dos [[Pirenéus]] por Pierre e Jacques Autier, que foram executados em 1310. O Catarismo desapareceu das cidades do norte da Itália após a década de 1260, sob pressão da [[Inquisição]]. O último prefeito conhecido cátaro em Languedoc, [[Guillaume Belibaste]], foi executado em 1321.
|-valign=top