Diferenças entre edições de "Ana de Sousa"

240 bytes adicionados ,  10h41min de 23 de novembro de 2021
sem resumo de edição
 
}}
 
'''Ana de Sousa''' ({{ca.}} 1582, - 17 de dezembro de 1663) foi a rainha reinante ([[Angola quiluanje (título)|ngola]]) do [[Reino do Dongo]] entre 1624 e 1626 e fundadora e rainha do [[Reino da Matamba]], reinando de 1631 até sua morte em 1663. Nascida com o nome de '''Jinga''', '''Ginga Amena'''<ref>[https://accao-integral.blogspot.com/2021/11/a-rainha-ginga.html A Rainha Ginga, , Veratatis, 22 de novembro de 2021, in «Notícia memorável da vida e acções da Rainha Ginga Amena, natural do Reino de Angola», 1749]</ref>, ou '''Ginga Ambande''' ou '''Ambandi''' ({{langx|kmb|''Nzinga Mbande'' ou ''Nzinga Mbandi''}}) foi uma importante estrategista militar e política durante a presença portuguesa nas regiões correspondentes à atual [[Angola]]. <ref>{{Citar periódico |titulo=O funcionário de escola pública no Paraná: uma análise do Jornal Sindical 30 de Agosto (2003-2008) |url=http://dx.doi.org/10.33871/nupem.v11i22.329 |jornal=Revista NUPEM |data=2019-01-24 |issn=2176-7912 |paginas=145–159 |numero=22 |acessodata=2020-10-02 |doi=10.33871/nupem.v11i22.329 |primeiro=Everton Josimar de |ultimo=Oliveira |primeiro2=João Carlos da |ultimo2=Silva}}</ref> Travou grandes batalhas e tratados de aliança e paz com os portugueses, na qual envolvia a vassalagem dos reinos nativos africanos e escravidão dos mesmos para a [[Europa]] e o [[Brasil]].<ref>{{Citar periódico |titulo=Decreto nº 20.529, de 16 de outubro de 1931 |url=http://dx.doi.org/10.21680/1981-1802.2019v57n51id16752 |jornal=Revista Educação em Questão |data=2019-01-31 |issn=1981-1802 |numero=51 |acessodata=2020-10-02 |doi=10.21680/1981-1802.2019v57n51id16752 |primeiro=Marta Maria de |ultimo=Araújo}}</ref><ref>{{Citar periódico |titulo=O funcionário de escola pública no Paraná: uma análise do Jornal Sindical 30 de Agosto (2003-2008) |url=http://dx.doi.org/10.33871/nupem.v11i22.329 |jornal=Revista NUPEM |data=2019-01-24 |issn=2176-7912 |paginas=145–159 |numero=22 |acessodata=2020-10-02 |doi=10.33871/nupem.v11i22.329 |primeiro=Everton Josimar de |ultimo=Oliveira |primeiro2=João Carlos da |ultimo2=Silva}}</ref>
 
Rainha Jinga reinou por 37 anos e se tornou uma heroína na [[história de Angola]], sendo até hoje lembrado por seus feitos políticos e militares. Uma das principais ruas de [[Luanda]], capital da atual Angola leva seu nome e, na mesma cidade, encontra-se uma estátua no Largo do Quinaxixi, construída a mando do presidente [[José Eduardo dos Santos]] em comemoração aos 27 anos de [[independência de Angola|independência do país]].
 
== Bibliografia ==
 
{{InícioRef|2}}
 
* {{Citar livro|sobrenome=Assunção|nome=Guilherme José Ferreira de|ano=1993|título=Narrativas dos povos de Angola|editora=União dos Escritores Angolanos| local=Luanda|ref=harv}}
 
* {{Citar livro|sobrenome=Cadornega|nome=Antonio de Oliveira de|ano=1942|editor=Cunha, Manuel Alves da|título=História Geral das Guerras Angolanas Tomo III|local=Lisboa|editora=Agência Geral das Colônias, Divisão de Publicações e Biblioteca|ref=harv}}
 
* {{Citar livro|sobrenome=Lopes|nome=Nei|título=Enciclopédia brasileira da Diáspora Africana|ano=2004|editora=Selo Negro|capítulo=Nzinga, Rainha|local=São Paulo|ref=harv }}
 
* {{Citar livro|sobrenome=Pacavira|nome=Manuel Pedro|título=Nzinga Mbandi|ano=1979|editora=Edições 70|local=Lisboa|ref=harv}}
{{-fim}}
 
== Ligações externas ==
{{-fim}}
* [https://accao-integral.blogspot.com/2021/11/a-rainha-ginga.html A Rainha Ginga, Veratatis, 22 de novembro de 2021, in «Notícia memorável da vida e acções da Rainha Ginga Amena, natural do Reino de Angola», 1749]
 
{{História de Angola}}