Aeroporto do Rio de Janeiro-Santos Dumont: diferenças entre revisões

Ajustes no texto.
(Ajustes no texto.)
|notas = Dados do [[Departamento de Controle do Espaço Aéreo|DECEA]]<ref>{{citar web |url= http://www.aisweb.aer.mil.br/download/?public=1ef45a59-92dd-4938-b6ad18c7bac0261b.pdf&p=Completo|título= Publicação Auxiliar de Rotas Aéreas (ROTAER) |acessodata=1 de outubro de 2016 |ano=2016 |publicado= Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA) |wayb= 20161001152926|}}</ref> e da [[Agência Nacional de Aviação Civil|ANAC]]<ref>{{citar web |url= http://www.anac.gov.br/assuntos/dados-e-estatisticas/dados-estatisticos/arquivos/Consulta62015.xlsb|título= Dados Estatísticos|acessodata=2 de outubro de 2016|ano= 2015|formato= XLSB|publicado= [[Agência Nacional de Aviação Civil]]|wayb= 20161002220255}}</ref>
}}
O '''Aeroporto [[Santos Dumont]]'''<ref name="DERCETO1150">{{Citar web |url=http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1930-1939/decreto-1150-16-outubro-1936-450652-norma-pe.html|título=Decreto nº1150/1936 |autor=Getúlio Vargas, Presidente|data=16/10/1936 |acessodata=6 de julho de 2016 }}</ref> <small>{{códigos aeroporto|SDU|SBRJ}}</small> é um aeroporto [[Brasil|brasileiro]] localizado no município do [[Rio de Janeiro (cidade)|Rio de Janeiro]], no [[Rio de Janeiro (estado)|estado homônimo]], sendo um dos dez mais movimentados do [[Brasil]]país. Possui uma localização privilegiada e de fácil acesso bem, no [[Centro (Rio de Janeiro)|centro financeiro]] da [[Rio de Janeiro (cidade)|cidade]].<ref name="INFRA">{{Citar web |url=http://www.infraero.gov.br/index.php/br/aeroportos/rio-de-janeiro/aeroporto-santos-dumont.html |título=Aeroporto Santos Dumont |autor=Infraero |data= |acessodata=2 de junho de 2015 }}</ref> Construído na década de 301930 sobre um aterro à beira da [[Baía de Guanabara]], o Santos Dumont foi o primeiro aeroporto exclusivamente civil a ser inaugurado no [[Brasil]].<ref name="INFRA"/> Atualmente, éÉ o segundo aeroporto mais movimentado do estado do [[Rio de Janeiro (estado)|Rio de Janeiro]], depoisatrás do [[Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro-Galeão|Aeroporto Internacional do Galeão]]. eEm 2021 foi o sétimoquinto mais movimentado do Brasil,.<ref>{{Citar em 2014web|url=https://www.aeroflap.com.br/os-10-aeroportos-mais-movimentados-do-brasil/|titulo=Os 10 aeroportos mais movimentados do Brasil|data=2021-05-01|acessodata=2022-01-12|website=AEROFLAP|lingua=pt-PT}}</ref>
 
Um destaque do Aeroporto Santos Dumont é a moderna sala de embarque, a primeira nodo Brasilpaís totalmente revestida com material transparente, que dá uma ampla visão para a [[Baía de Guanabara]], onde é possível observar pontos turísticos como a [[Ponte Rio-Niterói]], a [[Ilha Fiscal]], o Museu de Arte Contemporânea, a cidade de [[Niterói]], a [[Escola Naval (Brasil)|Escola Naval]] e o [[Pão de Açúcar]].<ref>{{Citar web |url=http://www.odebrechtonline.com.br/materias/00901-01000/941/ |título=Mudando sem perder o charme |autor=Odebrecht. Miucha Andrade |data= |acessodata=4 de junho de 2015 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20160303224048/http://www.odebrechtonline.com.br/materias/00901-01000/941/ |arquivodata=3 de Março de 2016 |urlmorta=yes }}</ref>
 
AO principalmaior atividadefluxo de passageiros do aeroporto estáprovém nada [[Ponte aérea Rio-São Paulo]], que transporta passageiros entre o Santos Dumont ecom o [[Aeroporto de Congonhas]], em [[São Paulo (cidade)|São Paulo]], movimentando aproximadamente 4quatro milhões de passageiros por ano, o que representa quase a metade deda todomovimentação o movimento do aeroportototal. A segunda e a terceira rotas mais movimentadasdemanda são, respectivamente, com destino aoo [[Aeroporto Internacional de Brasília]] e para o [[Aeroporto Internacional de Belo Horizonte-Confins]], ambas transportandocom mais de 1um milhão de passageiros ao ano.<ref name="ANUA">{{Citar web|url=http://www2.anac.gov.br/estatistica/anuarios.asp|título=Anuário Estatístico do Transporte Aéreo 2014|autor=Agência Nacional de Aviação Civil - ANAC|data=|acessodata=6 de julho de 2016|arquivourl=https://web.archive.org/web/20110831003552/http://www2.anac.gov.br/estatistica/anuarios.asp|arquivodata=31 de Agosto de 2011|urlmorta=yes}}</ref>
 
O complexo aeroportuário está instalado em uma área de 833 mil metros quadrados, contando com duas pistas de pousos e decolagens, com capacidade para 29 operações por hora,<ref name="CGNAPISTA">{{Citar web |url=http://portal.cgna.gov.br/#tatical_painel_aeroportos |título=Capacidade de pista |autor=CGNA - Centro de Gerenciamento de Navegação Aérea |data= |acessodata=6 de julho de 2016 }}</ref> e dois terminais de passageiros, sendo um terminal depara embarque e outro para desembarque. EssaToda estrutura oferece a capacidade para atendimento de 9,9 milhões de passageiros por ano, segundo a Infraero.<ref name="COMPLEX">{{Citar web |url=http://www.infraero.gov.br/index.php/br/aeroportos/rio-de-janeiro/aeroporto-santos-dumont/complexo-aeroportuario.html |título=Complexo Aeroportuário |autor=Infraero |data= |acessodata=4 de junho de 2015 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20150604011541/http://www.infraero.gov.br/index.php/br/aeroportos/rio-de-janeiro/aeroporto-santos-dumont/complexo-aeroportuario.html |arquivodata=4 de Junho de 2015 |urlmorta=yes }}</ref>
 
{{HomenagemM|país=BRA|nome=Santos Dumont|área=INV}}
== História ==
[[File:AsdAeroporto Santos Dumont.jpg|thumb|left|Aeroporto Santos Dumont]]
No Rio de Janeiro, o transporte aéreo comercial utilizava o atracadouro da Ponta do Calabouço, onde atracavam os hidroaviões de rotas nacionais e internacionais. A aviação de pouso e decolagem terrestre, ainda incipiente, aproveitava o Campo de Manguinhos e os aparelhos militares da [[Aeronáutica]] e [[Marinha do Brasil|Marinha]] usavam, respectivamente, o chamado [[Campo dos Afonsos]] e o do [[Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro-Galeão|Galeão]].<ref name="INFRA"/>
 
Como grande cidade e, sobretudo, na condição de Capital Federal, o Rio de Janeiro precisava dispor de um Aeroporto condizente com suas necessidades. Duas áreas então foram estudadas para a construção do aeroporto da então capital do País: O Aterro do Calabouço, onde operavam os hidroaviões, e o Campo de Manguinhos, que recebia as aeronaves de pouso e decolagem.<ref name="INFRA"/> A proposta de implantar o aeroporto no aterro do calabouço foi bem aceita por especialistas em [[aviação]] do mundo todo e com isso, no início dos anos 30, o [[Urbanismo|urbanista]] francês [[Alfred Agache (arquiteto)|Alfred Agache]] idealizou o Aeroporto Santos Dumont a ser construído no centro da cidade do Rio de Janeiro.<ref name="OGLOB">{{Citar web |url=http://acervo.oglobo.globo.com/rio-de-historias/aeroporto-santos-dumont-inaugurado-na-ponta-do-calabouco-em-1936-8891113 |título=Aeroporto Santos Dumont é inaugurado na Ponta do Calabouço, em 1936|autor=Jornal o Globo |data=02/07/13 |acessodata=2 de junho de 2015}}</ref>
'''1935''' - Pequenos aviões já começam a utilizar o aeroporto, ainda com uma pista de 400 metros.<ref name="OGLOB"/>
 
'''1936''' - Em 30 de novembro de 1936 o aeroporto foi oficialmente inaugurado, com uma pista de pousos e decolagens de 700 metros de comprimento.<ref name="OGLOB"/> No mês anterior à inauguração, [[Getúlio Vargas]], então presidente do [[Brasil]], publicou um decreto dando o nome do aeronauta [[Santos Dumont]] ao aeroporto, considerando sua relevância deste brasileiro na história da aeronáutica.<ref name="DERCETO1150"/>
 
'''1937''' - Inauguração da Estação de hidroaviões.<ref name="INEPAC">{{Citar web |url=http://www.inepac.rj.gov.br/index.php/bens_tombados/detalhar/279 |título=Patrimônio Cultural/Bens Tombados|autor=INEPAC - Instituto Estadual do Patrimônio Cultural |data= |acessodata=2 de junho de 2015}}</ref>
'''1947''' - A pista foi ampliada para {{Fmtn|1350}} metros e o aeroporto entra em seu auge de tráfego. Nessa ocasião os voos intercontinentais foram transferidos para o Aeroporto do Galeão que passou a operar com os [[Douglas DC-6|DC-6]], [[Boeing 377 Stratocruiser|Boeing 377]] e [[Lockheed Constellation|Constellation]] que poderiam então decolar mais pesados.<ref name="PABL"/>
 
'''1959''' - É inaugurada a [[Ponte aérea Rio–São Paulo|ponte aérea Rio-São Paulo]]: acordo firmado entre as companhias [[Varig]], [[VASP|Vasp]] e [[Serviços Aéreos Cruzeiro do Sul|Cruzeiro do Sul]] que operavam os [[Convair 240]], [[Saab 90 Scandia|Scandia]] e [[Convair 240|Convair 340]], respectivamente, na ligação aérea entre as cidades do Rio de Janeiro e São Paulo.<ref>{{Citar web |url=http://www.revistaflap.com.br/web/_FILES/upload/24042012-112957-ponte_aerea.pdf |título=Ponte Aérea|autor=Revista Flap. Beting, Gianfranco |data= |acessodata=2 de junho de 2015}}</ref>
 
'''1960''' - [[Brasília]], a nova capital do Brasil é inaugurada e São Paulo assume o posto de cidade mais importante do país devido a sua [[industrialização]]. Com essas mudanças no contexto nacional o Aeroporto do Rio de Janeiro sofreu uma redução no tráfego e deixou de ser o único e principal hub nacional.<ref name="PABL"/>
'''2004''' - Início das reforma e ampliação do Aeroporto Santos Dumont.
 
'''2005''' - Em 13 de março de 2005 entrou em vigor a determinação da Portaria nº 187 de 8 de março de 2005 do [[Departamento de Aviação Civil|Departamento de Aviação Civil (DAC)]]. Essa Portaria restringiu as operações no Aeroporto Santos Dumont a voos da ponte aérea e voos regionais, além de atender os voos das empresas de [[Táxi aéreo|Táxi Aéreo]] e da Aviação Geral. Dentre outras, a principal limitação se dava na operação de aeronaves [[Turboélice|turbo-héliceturboélice]], com capacidade máxima de 50 assentos nos voos regulares, com exceção dos voos para o aeroporto de Congonhas, que continuavam sendo operados com jatos.<ref>{{Citar web |url=https://www.diariodasleis.com.br/busca/exibelink.php?numlink=1-54-29-2005-03-08-187 |título=Portaria nº 187 de 08/03/2005|autor=Departamento de Aviação Civil (DAC) |data= |acessodata=2 de junho de 2015}}</ref>
 
'''2007''' - Inauguração do atual e moderno terminal de embarque com 8 pontes de embarque em 26 de maio de 2007.<ref name="INFRA"/>
Em 3 de julho de 1997, um bimotor [[Cessna Citation|Cessna Citation 1]] caiu na [[Baía de Guanabara]], a cinquenta metros da pista do Aeroporto Santos Dumont. No avião estavam a dançarina [[Valéria Valenssa]], seu marido e outros três ocupantes, que conseguiram saltar na água e serem resgatados. Todos os ocupantes saíram sem ferimentos graves.<ref>{{Citar web |url=http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidian/ff040725.htm |título=Avião com 'Globeleza' cai na baía de Guanabara |autor=Folha de S.Paulo|data=04/07/1997 |acessodata=7 de julho de 2016}}</ref>
 
No dia 18 de julho de 1997, um [[Boeing 737]] da [[Varig]], com 133 passageiros derrapou na pista ao pousar no Aeroporto Santos Dumont. O avião ultrapassou o final da pista e a cabine do piloto ficou acerca de um metro das águas da [[baía de Guanabara]]. O avião, que vinha de [[São Paulo (cidade)|São Paulo]], teve o trem de pouso e um dos motores danificado. Não houve feridos.<ref>{{Citar web |url=http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidian/ff180717.htm |título=Boeing da ponte aérea derrapa na pista|autor=Folha de S.Paulo|data=18/07/1997 |acessodata=7 de julho de 2016}}</ref>
 
Em 2 de fevereiro de 2002, um taxista que voltava, e que passava pela Avenida [[Almirante]] [[Sílvio de Noronha|Silvio de Noronha]], que contorna as cabeceiras das pistas do Santos Dumont, teve seu carro atirado contra pedras pelo deslocamento de ar provocado pela decolagem de um avião. O taxista ficou gravemente ferido e veio a falecer no hospital.<ref>{{Citar web |url=http://brasil.estadao.com.br/noticias/geral,morre-taxista-que-teve-carro-tombado-por-aviao,20020202p15172 |título=Morre taxista que teve carro tombado por avião|autor=Estadão|data=02/02/2002 |acessodata=7 de julho de 2016}}</ref>