Garrafa: diferenças entre revisões

3 343 bytes removidos ,  25 janeiro
m
Desfeita(s) uma ou mais edições de Japones quadrado (WP:TEXTOPRONTO sem fontes; já existe Garrafa térmica.)
m (Desfeita(s) uma ou mais edições de Japones quadrado (WP:TEXTOPRONTO sem fontes; já existe Garrafa térmica.))
Etiquetas: Reversão e Avisos Reversão manual
Não há completa certeza, mas parece vir do Árabe ''garaba'', “recipiente para transporte de líquidos”<ref>{{Citar web |url=https://origemdapalavra.com.br/palavras/garrafa/ |titulo=garrafa {{!}} Palavras {{!}} Origem Da Palavra |acessodata=2021-09-21 |website=origemdapalavra.com.br}}</ref>
 
{{referências}}
== garrafas térmicas ==
A garrafa térmica foi inventada inicialmente para resolver problemas ligados à pesquisa científica, não tendo nenhuma relação com alimentos ou bebidas.
 
Foi em 1892 que James Dewar inventou a garrafa térmica para manter em baixas temperaturas alguns gases liquefeitos que ele precisava em suas pesquisas.
 
Somente em 1904 a garrafa térmica começou a ser amplamente vendida como bem de consumo e utensílio para a manutenção da temperatura.
 
As formas e os materiais usados para a fabricação das garrafas térmicas mudaram ao longo do tempo, mas o princípio de funcionamento continua o mesmo.
 
A ideia principal é que os modos de troca de calor sejam minimizados o máximo possível, ou seja, impedir que a convecção, a condução e a irradiação térmica aconteçam.
 
Considerando que tanto a condução quanto a convecção se dão através da matéria, esses dois processos podem ser minimizados através da introdução de um vácuo no sistema.
 
Dito e feito, as garrafas térmicas possuem paredes duplas com vácuo entre elas. As caixas térmicas também possuem paredes duplas com vácuo.
 
Já o processo de troca de calor por irradiação é mais difícil de anular, visto que ele acontece inclusive no vácuo – não fosse isto não receberíamos o calor do Sol!
 
As primeiras garrafas térmicas possuíam paredes de vidro espelhadas para impedir a irradiação. O vidro é um mau condutor de calor e o espelho reflete as ondas de calor, mantendo-as aprisionadas no interior ou no exterior da garrafa.
 
A tampa impede as trocas de calor por convecção com o ar do ambiente. Por isso, quanto menos aberturas forem feitas, maior será o tempo de conservação da temperatura.
 
É o mesmo princípio que explica o esfriamento mais devagar dos alimentos quentes que são mantidos em panelas ou em recipientes tampados.
 
Veja o esquema das primeiras garrafas na Figura 2:
 
Figura 2: Esquema de garrafa térmica. Crédito: João Paulo de Aguiar Fonseca, CC-BY-SA-3.0. Disponível em: wikimedia commons. Acesso em: 09/05/2019.
 
Mas essas garrafas térmicas antigas possuíam dois grandes problemas, isto é, as paredes de vidro podiam quebrar em choques térmicos e quedas e o metal das paredes espelhadas podia descascar, o que contaminaria o líquido.
 
Hoje as paredes não são mais feitas de vidro, mas de um plástico resistente e duro ou de metal.
 
As garrafas atuais conservam a temperatura dos líquidos, quente ou fria, por muito mais tempo do que as antigas, tudo graças ao desenvolvimento tecnológico que possibilitou a utilização de materiais mais isolantes e também a produção de vácuos melhores.
 
Mesmo assim o sistema não é 100% isolado e o equilíbrio térmico com o meio ambiente acontecerá após algum tempo.
 
Você entendeu por que a temperatura inicial dos alimentos e bebidas da família da Figura 1 não se conservará por muito tempo?
 
Isso ocorre porque a caixa térmica está destampada, o que faz com que ocorra a troca de calor por convecção com o ar do ambiente.<ref>{{Citar web|url=https://pt.khanacademy.org/science/7-ano/temperatura-calor-conducao-termica/trocas-de-calor/a/a-garrafa-termica-e-outros-utensilios-do-cotidiano|titulo=A garrafa térmica e outros utensílios do cotidiano (artigo)|acessodata=2022-01-25|website=Khan Academy|lingua=pt}}</ref>{{referências}}
 
{{Esboço-objeto}}
119 898

edições