Camelauco: diferenças entre revisões

sem resumo de edição
{{Sem-Mais fontes|data=setembro de 2013}}
[[Imagem:Kamelaukion.JPG|thumb|right|150px|Camelauco russo]]
O '''camelauco'''<ref>{{Citar web|url=https://www.infopedia.pt/dicionarios/lingua-portuguesa/camelauco|título=Camelauco|publicado=Infopédia}}</ref> (do [[língua latina|latim]] ''camelaucum'' e este do [[língua grega antiga|grego]] καμιλαυκιον, talvez de κάμιλος: corda, ou de κάμηλος: camelo, pelo uso da pele. Alguns autores afirmaram ser corruptela de καλυμμαύχιον, de καλυμμα: véu) é uma espécie de ''[[barrete frígio]]'', cônico, alto, de tecido [[branco]], à moda [[frígia]], que do [[Oriente]] passou a [[Roma]], simbolizando a [[liberdade]]; sendo que, pelo fim do [[século {{séc|IV]]}}, foi adotado pelos [[papa]]s.
 
Não se confirma, historicamente, a tradicional afirmação de que o [[Papa Silvestre I]] recebeu de [[Constantino I]] o [[camelauco]], em sinal da liberdade da [[Igreja Católica|Igreja]]. O certo é que os papas usavam, inicialmente o camelauco, símbolo tradicional de [[soberania]] no Oriente, com a intenção de portarem uma peça distinta da [[mitra]] dos [[bispo]]s.
 
O camelauco deu origem à [[tiara papal]]. Alguns autores julgam que o camelauco tenha originado também o [[camauro]].