Espiritismo: diferenças entre revisões

remanejamento de conteúdo e transferência de seção sobre racismo para o verbete Allan Kardec
(Acrescentei informações sobre o suposto racismo de Kardec)
Etiquetas: Editor Visual Edição via dispositivo móvel Edição feita através do sítio móvel
(remanejamento de conteúdo e transferência de seção sobre racismo para o verbete Allan Kardec)
De acordo com o [[Conselho Espírita Internacional]], o espiritismo está representando em 36 países ao redor do mundo, sendo mais difundido no [[Brasil]], onde conta com cerca de 3,8 milhões de adeptos, segundo dados do [[Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística]] (IBGE), e mais de 30 milhões de simpatizantes, de acordo com a [[Federação Espírita Brasileira]] (FEB).{{Sfn|Schröder|2016}}{{Sfn|Bernardo|2019}} Os espíritas também são conhecidos por influenciar e promover um movimento de [[assistência social]] [[Filantropia|filantrópica]].{{Sfn|Calejo|2018}} O kardecismo teve uma forte influência em várias outras correntes religiosas, como a [[santeria]], a [[umbanda]] e os [[New age|movimentos ''new age'']].<ref name="Encyclopedia of New Religious"/>
 
== Etimologia e usoDefinição ==
{{AP|Espiritismo (termo)}}
 
 
As expressões nasceram da necessidade de alguns em distinguir o "espiritismo" (como originalmente definido por Kardec) dos cultos afro-brasileiros, como a [[Umbanda]]. Estes últimos, discriminados e perseguidos em vários momentos da história recente do Brasil, passaram a se autointitular espíritas (em determinado momento com o apoio da [[Federação Espírita Brasileira]]), num anseio por legitimar e consolidar este movimento religioso, devido à proximidade existente entre certos conceitos e práticas destas doutrinas.<ref>Ver: [http://www.ofrancopaladino.pro.br/mat242.htm ''Triste episódio ocorrido em 1953''] Consultado em 14 de Junho de 2008.</ref>
 
=== Qualificação como ciência ===
[[Alexander Moreira de Almeida]]<ref>[[#tesealmeida|Almeida, 2004]]</ref> ainda tenta essa legitimação,{{Sfn|Almeida|2005|pp=570-95}} chegando a denominar a abordagem de Kardec como "revolucionária".<ref>{{Citar web|título = Spiritism: The Work of Allan Kardec and Its Implications for Spiritual Transformation|URL = http://www.metanexus.net/essay/spiritism-work-allan-kardec-and-its-implications-spiritual-transformation|obra = [http://www.metanexus.net/about-metanexus-institute Metanexus Institute]|acessadoem = 6 de setembro de 2015|autor = Alexander Moreira-Almeida|data = 2 de setembro de 2008|wayb = 20141129163539|língua= inglês|citação = In his revolutionary approach to spirituality}}</ref> No entanto, o [[consenso científico]] atual considera a [[parapsicologia]] uma [[pseudociência]],<ref>[https://stanford.library.sydney.edu.au/archives/fall2014/entries/pseudo-science/#DocCom Stanford Encyclopedia of Philosophy, 2014]</ref> desconsiderando os supostos [[paranormalidade|fenômenos paranormais]] que fundamentam o espiritismo, como [[mediunidade]], [[reencarnação]], [[obsessão (espiritismo)|obsessão]], [[mesas girantes]], [[sessão espírita]], [[psicografia]], [[psicopictografia]], [[tiptologia]], dentre outros. Os críticos das pseudociências chegam a definir a parapsicologia como "perversão", pois os parapsicólogos alegam que a ciência não pode ser a única privilegiada que está fora das explicações que eles defendem.{{Sfn|Pigliucci|2013|pp=145-163}} O magnetismo animal (mesmerismo) também está presente nos ensinos espíritas e há constantes referências a conceitos mesméricos como, por exemplo, fluidos magnéticos.<ref>{{citar livro|título=A Gênese|ultimo=Kardec|primeiro=Allan|editora=Feb|ano=1991|local=Rio de Janeiro|página=|páginas=261-262}}</ref><ref>{{Citar web |url=https://ipeak.net/site/estudo_janela_conteudo.php?origem=694&idioma=1&f=0 |titulo=Revista Espírita 1858 » Outubro » Emprego oficial do magnetismo animal |acessodata=2020-11-12 |website=ipeak.net}}</ref> Segundo essa hipótese, algumas pessoas poderiam operar curas por meio de "fluídos". Porém, a hipótese do [[magnetismo animal]] atualmente é considerada pseudocientífica, pois desde a segunda metade do século XVIII, os cientistas sabem que as supostas curas eram apenas psicossomáticas, por meio de hipnose, sem qualquer a atuação dos "fluídos" ou magnetismo animal.<ref>{{Citar periódico |titulo=Mesmer minus magic: Hypnosis and modern medicine |url=https://doi.org/10.1080/00207140208410113 |jornal=International Journal of Clinical and Experimental Hypnosis |data=2002-10-01 |issn=0020-7144 |paginas=397–406 |pmid=12362955 |numero=4 |acessodata=2020-11-12 |doi=10.1080/00207140208410113 |primeiro=David |ultimo=Spiegel}}</ref><ref>{{Citar web |url=https://www.encyclopedia.com/medicine/psychology/psychology-and-psychiatry/hypnotism#3045000547 |titulo=Hypnotism {{!}} Encyclopedia.com |acessodata=2021-08-01 |website=www.encyclopedia.com}}</ref><ref>{{Citar web |url=https://www.britannica.com/science/hypnosis |titulo=hypnosis {{!}} Definition, History, Techniques, & Facts |acessodata=2020-11-12 |website=Encyclopædia Britannica |lingua=en}}</ref>
 
Segundo [[Joseph McCabe]], citando as alegações de [[Arthur Conan Doyle]] sobre a confirmação por [[cientista]]s dos supostos fenômenos espirituais durante 30 anos, os médiuns enganaram os pesquisadores. Ele considera que tais enganos resultaram na linguagem arrogante da literatura espiritualista.<ref name=mccabe1>{{citar periódico|último=McCabe|primeiro=Joseph|título=Scientific Men and Spiritualism: A Skeptic's Analysis|jornal=The Living Age|data=12 de junho de 1920|páginas=652-657|url=http://www.unz.org/Pub/LivingAge-1920jun12-00652|acessodata=14 de abril de 2015}}</ref>
 
Um artigo publicado na revista cética britânica The Skeptic também critica o Espiritismo por estar associado à [[ufologia]], [[parapsicologia]], [[Magnetismo animal|magnetismo]] e outras pseudociências.<ref>{{Citar web |url=https://www.skeptic.org.uk/2021/01/kardecism-the-fringe-spiritualist-doctrine-which-became-the-soul-of-pseudoscience-in-brazil/ |titulo=Kardecism: the fringe spiritualist doctrine which became the soul of pseudoscience in Brazil |data=2021-01-15 |acessodata=2021-07-31 |website=The Skeptic |lingua=en-GB}}</ref><ref>{{Citar web |url=https://revistaquestaodeciencia.com.br/index.php/apocalipse-now/2021/02/13/pseudociencias-e-tradicao-espirita-no-brasil |titulo=Pseudociências e a tradição espírita no Brasil |acessodata=2021-07-31 |website=QC |lingua=pt-br}}</ref>
 
=== Qualificação como cristão ===
Allan Kardec ensinava que "o ensino dos Espíritos é eminentemente cristão".<ref>{{Citar web|url=https://livrodosespiritos.wordpress.com/mundo-dos-espiritos/cap-5-consideracoes-sobre-a-pluralidade-das-existencias/i-consideracoes-sobre-a-pluralidade-das-existencias/|titulo=I – Considerações sobre a Pluralidade das Existências|data=2007-10-22|acessodata=2021-12-04|website=O Livro dos Espíritos|lingua=pt-BR}}</ref> Em ''Obras Póstumas'', é afirmado que o espiritismo é "a única tradição verdadeiramente cristã". Autores espíritas como José Reis Chaves e Severino Celestino da Silva também afirmam que a reencarnação fazia parte do [[cristianismo primitivo]], até ser condenada pelo [[Segundo Concílio de Constantinopla]].<ref>{{Citar web|ultimo=TEMPO|primeiro=O.|url=https://www.otempo.com.br/opiniao/jose-reis-chaves/tirada-do-cristianismo-a-reencarnacao-foi-deixada-na-biblia-1.1380247|titulo=Tirada do cristianismo, a reencarnação foi deixada na Bíblia|data=2016-10-02|acessodata=2021-12-04|website=Jose Reis Chaves|lingua=pt-BR}}</ref><ref>{{Citar livro|url=https://books.google.com.br/books/about/Analisando_as_Tradu%C3%A7%C3%B5es_B%C3%ADblicas.html?id=V20eQAAACAAJ&source=kp_book_description&redir_esc=y|título=Analisando as Traduções Bíblicas|ultimo=Silva|primeiro=Severino Celestino Da|data=2020-09-11|editora=Ideia Editora Ltda|lingua=pt}}</ref> Essa tese polêmica foi popularizada ainda antes por Leslie Weatherhead, mas também tem sido questionada com base em afirmações dos pais da igreja e na falta de referências à reencarnação durante aquele Concílio.<ref>{{citar periódico |titulo=Reincarnation — Did the Church Suppress It? |data=Verão de 1987 |jornal=Christian Research Journal |ultimo=Gudel |primeiro=Joseph P. |ultimo2=Bowman |primeiro2=Robert M. |paginas=8-12 |ultimo3=Schlesinger |primeiro3=Dan R.}}</ref>
 
A própria qualificação do espiritismo como cristão tem gerado controvérsias. O dr. Antônio Flávio Pierucci, professor do Departamento de Sociologia da [[Universidade de São Paulo]] (USP) e estudioso da religiosidade brasileira, também é um dos que afirmam que o espiritismo "não é uma religião cristã".<ref name=":4">{{Citar web|url=https://super.abril.com.br/historia/espiritismo-que-religiao-e-essa/|titulo=Espiritismo, que religião é essa?|acessodata=2021-12-04|website=Super|lingua=pt-BR}}</ref> Não há no espiritismo doutrinas históricas do cristianismo, presentes em suas principais vertentes, como a [[Trindade (cristianismo)|Trindade]], a [[ressurreição de Jesus|ressurreição física de Jesus]], a inspiração da [[Bíblia]] e a [[redenção]]. Devido a essas diferenças, muitos acadêmicos o tem considerado como um tipo de "neocristianismo".<ref name=":4" /> Autores espíritas, porém, entendem que o espiritismo é cristão, por reproduzir o ensino de que devemos amar ao próximo.<ref name="Encyclopedia of New Religious" /><ref name=":2" />
 
== História ==
Surgida no Brasil, também como uma dissidência do movimento espírita, desde setembro de 2002. Sem deixar de seguir a Doutrina Espírita, afirma fazê-lo com maior seriedade do que o movimento brasileiro em si, argumento usado para o afastamento.<ref>{{citar web|URL=http://www.dhi.uem.br/gtreligiao/rbhr/a_renovacao_crista_e_a_complexidade_do_campo_brasileiro.pdf|título=A renovação cristã e a complexidade do campo religioso brasileiro no último quartel do século xx|autor=Revista Brasileira de História das Religiões – Pedro Paulo Amorim|data=2009|publicado=Revista Brasileira de História das Religiões|acessodata=2 de maio de 2015}}</ref>
 
== ControvérsiasPerseguição ==
Uma série de críticas ao espiritismo contestam a sua caracterização como um [[espiritismo científico|movimento científico]]{{Sfn|Pigliucci|2013|pp=145-163}}{{Sfn|Pracontal|2004|pp=327-332}}<ref>{{Citar periódico|ultimo=Costa|primeiro=Antonio Luiz M. C.|titulo=Errar é científico, insistir no erro é esotérico|url=https://www.cartacapital.com.br/cultura/errar-e-cientifico-insistir-no-erro-e-esoterico|jornal=CartaCapital|lingua=pt-PT}}</ref> ou [[cristão]].{{Sfn|Lewgoy|2006|pp=151-167}}{{Sfn|Kloppenburg|1991|pp=158-162}} No século XIX, o código penal de 1890 chegou a proibir a prática do espiritismo no [[Brasil]] e punia com até 6 meses de prisão quem praticasse o "[[crime]]". Apesar de ser [[Tolerância|tolerada socialmente]], especialmente após a atuação da [[Federação Espírita Brasileira]] nas primeiras décadas do século XX, a prática só deixou de ser proibida oficialmente com a promulgação do [[Código Penal brasileiro de 1940|código penal de 1940]].{{Sfn|Giumbelli|2008}}<ref>{{Citar web|título = Evolução histórica do Direito Penal|URL = https://jus.com.br/artigos/932/evolucao-historica-do-direito-penal/2|acessadoem = 8 de setembro de 2015}}</ref>
 
=== Qualificação como ciência ===
[[Alexander Moreira de Almeida]]<ref>[[#tesealmeida|Almeida, 2004]]</ref> ainda tenta essa legitimação,{{Sfn|Almeida|2005|pp=570-95}} chegando a denominar a abordagem de Kardec como "revolucionária".<ref>{{Citar web|título = Spiritism: The Work of Allan Kardec and Its Implications for Spiritual Transformation|URL = http://www.metanexus.net/essay/spiritism-work-allan-kardec-and-its-implications-spiritual-transformation|obra = [http://www.metanexus.net/about-metanexus-institute Metanexus Institute]|acessadoem = 6 de setembro de 2015|autor = Alexander Moreira-Almeida|data = 2 de setembro de 2008|wayb = 20141129163539|língua= inglês|citação = In his revolutionary approach to spirituality}}</ref> No entanto, o [[consenso científico]] atual considera a [[parapsicologia]] uma [[pseudociência]],<ref>[https://stanford.library.sydney.edu.au/archives/fall2014/entries/pseudo-science/#DocCom Stanford Encyclopedia of Philosophy, 2014]</ref> desconsiderando os supostos [[paranormalidade|fenômenos paranormais]] que fundamentam o espiritismo, como [[mediunidade]], [[reencarnação]], [[obsessão (espiritismo)|obsessão]], [[mesas girantes]], [[sessão espírita]], [[psicografia]], [[psicopictografia]], [[tiptologia]], dentre outros. Os críticos das pseudociências chegam a definir a parapsicologia como "perversão", pois os parapsicólogos alegam que a ciência não pode ser a única privilegiada que está fora das explicações que eles defendem.{{Sfn|Pigliucci|2013|pp=145-163}} O magnetismo animal (mesmerismo) também está presente nos ensinos espíritas e há constantes referências a conceitos mesméricos como, por exemplo, fluidos magnéticos.<ref>{{citar livro|título=A Gênese|ultimo=Kardec|primeiro=Allan|editora=Feb|ano=1991|local=Rio de Janeiro|página=|páginas=261-262}}</ref><ref>{{Citar web |url=https://ipeak.net/site/estudo_janela_conteudo.php?origem=694&idioma=1&f=0 |titulo=Revista Espírita 1858 » Outubro » Emprego oficial do magnetismo animal |acessodata=2020-11-12 |website=ipeak.net}}</ref> Segundo essa hipótese, algumas pessoas poderiam operar curas por meio de "fluídos". Porém, a hipótese do [[magnetismo animal]] atualmente é considerada pseudocientífica, pois desde a segunda metade do século XVIII, os cientistas sabem que as supostas curas eram apenas psicossomáticas, por meio de hipnose, sem qualquer a atuação dos "fluídos" ou magnetismo animal.<ref>{{Citar periódico |titulo=Mesmer minus magic: Hypnosis and modern medicine |url=https://doi.org/10.1080/00207140208410113 |jornal=International Journal of Clinical and Experimental Hypnosis |data=2002-10-01 |issn=0020-7144 |paginas=397–406 |pmid=12362955 |numero=4 |acessodata=2020-11-12 |doi=10.1080/00207140208410113 |primeiro=David |ultimo=Spiegel}}</ref><ref>{{Citar web |url=https://www.encyclopedia.com/medicine/psychology/psychology-and-psychiatry/hypnotism#3045000547 |titulo=Hypnotism {{!}} Encyclopedia.com |acessodata=2021-08-01 |website=www.encyclopedia.com}}</ref><ref>{{Citar web |url=https://www.britannica.com/science/hypnosis |titulo=hypnosis {{!}} Definition, History, Techniques, & Facts |acessodata=2020-11-12 |website=Encyclopædia Britannica |lingua=en}}</ref>
 
Segundo [[Joseph McCabe]], citando as alegações de [[Arthur Conan Doyle]] sobre a confirmação por [[cientista]]s dos supostos fenômenos espirituais durante 30 anos, os médiuns enganaram os pesquisadores. Ele considera que tais enganos resultaram na linguagem arrogante da literatura espiritualista.<ref name=mccabe1>{{citar periódico|último=McCabe|primeiro=Joseph|título=Scientific Men and Spiritualism: A Skeptic's Analysis|jornal=The Living Age|data=12 de junho de 1920|páginas=652-657|url=http://www.unz.org/Pub/LivingAge-1920jun12-00652|acessodata=14 de abril de 2015}}</ref>
 
Um artigo publicado na revista cética britânica The Skeptic também critica o Espiritismo por estar associado à [[ufologia]], [[parapsicologia]], [[Magnetismo animal|magnetismo]] e outras pseudociências.<ref>{{Citar web |url=https://www.skeptic.org.uk/2021/01/kardecism-the-fringe-spiritualist-doctrine-which-became-the-soul-of-pseudoscience-in-brazil/ |titulo=Kardecism: the fringe spiritualist doctrine which became the soul of pseudoscience in Brazil |data=2021-01-15 |acessodata=2021-07-31 |website=The Skeptic |lingua=en-GB}}</ref><ref>{{Citar web |url=https://revistaquestaodeciencia.com.br/index.php/apocalipse-now/2021/02/13/pseudociencias-e-tradicao-espirita-no-brasil |titulo=Pseudociências e a tradição espírita no Brasil |acessodata=2021-07-31 |website=QC |lingua=pt-br}}</ref>
 
=== Qualificação como cristão ===
Allan Kardec ensinava que "o ensino dos Espíritos é eminentemente cristão".<ref>{{Citar web|url=https://livrodosespiritos.wordpress.com/mundo-dos-espiritos/cap-5-consideracoes-sobre-a-pluralidade-das-existencias/i-consideracoes-sobre-a-pluralidade-das-existencias/|titulo=I – Considerações sobre a Pluralidade das Existências|data=2007-10-22|acessodata=2021-12-04|website=O Livro dos Espíritos|lingua=pt-BR}}</ref> Em ''Obras Póstumas'', é afirmado que o espiritismo é "a única tradição verdadeiramente cristã". Autores espíritas como José Reis Chaves e Severino Celestino da Silva também afirmam que a reencarnação fazia parte do [[cristianismo primitivo]], até ser condenada pelo [[Segundo Concílio de Constantinopla]].<ref>{{Citar web|ultimo=TEMPO|primeiro=O.|url=https://www.otempo.com.br/opiniao/jose-reis-chaves/tirada-do-cristianismo-a-reencarnacao-foi-deixada-na-biblia-1.1380247|titulo=Tirada do cristianismo, a reencarnação foi deixada na Bíblia|data=2016-10-02|acessodata=2021-12-04|website=Jose Reis Chaves|lingua=pt-BR}}</ref><ref>{{Citar livro|url=https://books.google.com.br/books/about/Analisando_as_Tradu%C3%A7%C3%B5es_B%C3%ADblicas.html?id=V20eQAAACAAJ&source=kp_book_description&redir_esc=y|título=Analisando as Traduções Bíblicas|ultimo=Silva|primeiro=Severino Celestino Da|data=2020-09-11|editora=Ideia Editora Ltda|lingua=pt}}</ref> Essa tese polêmica foi popularizada ainda antes por Leslie Weatherhead, mas também tem sido questionada com base em afirmações dos pais da igreja e na falta de referências à reencarnação durante aquele Concílio.<ref>{{citar periódico |titulo=Reincarnation — Did the Church Suppress It? |data=Verão de 1987 |jornal=Christian Research Journal |ultimo=Gudel |primeiro=Joseph P. |ultimo2=Bowman |primeiro2=Robert M. |paginas=8-12 |ultimo3=Schlesinger |primeiro3=Dan R.}}</ref>
 
A própria qualificação do espiritismo como cristão tem gerado controvérsias. O dr. Antônio Flávio Pierucci, professor do Departamento de Sociologia da [[Universidade de São Paulo]] (USP) e estudioso da religiosidade brasileira, também é um dos que afirmam que o espiritismo "não é uma religião cristã".<ref name=":4">{{Citar web|url=https://super.abril.com.br/historia/espiritismo-que-religiao-e-essa/|titulo=Espiritismo, que religião é essa?|acessodata=2021-12-04|website=Super|lingua=pt-BR}}</ref> Não há no espiritismo doutrinas históricas do cristianismo, presentes em suas principais vertentes, como a [[Trindade (cristianismo)|Trindade]], a [[ressurreição de Jesus|ressurreição física de Jesus]], a inspiração da [[Bíblia]] e a [[redenção]]. Devido a essas diferenças, muitos acadêmicos o tem considerado como um tipo de "neocristianismo".<ref name=":4" /> Autores espíritas, porém, entendem que o espiritismo é cristão, por reproduzir o ensino de que devemos amar ao próximo.<ref name="Encyclopedia of New Religious" /><ref name=":2" />
 
=== Declarações racistas de Allan Kardec ===
Allan Kardec já fez declarações controversas, que foram tidas como [[Etnocentrismo|etnocêntricas]] e [[Racismo|racistas]] em várias de suas obras ainda no século XIX contra [[Povo chinês|chineses]] e [[africano]]s,{{Sfn|Kardec|1857|pp=188-190}}{{Sfn|Kardec|1859|p=131}}{{Sfn|Kardec|1868|p=195}} sendo amplamente criticado no meio católico mais tradicionalista por conta disso.<ref>{{citar web |url=http://www.montfort.org.br/bra/veritas/religiao/kardec/ |titulo=Allan Kardec, um racista brutal e grosseiro |editor=montfort.org |autor=Orlando Fedeli |acessodata=2 de outubro de 2019}}</ref> Kardec, como um [[Erudição|erudito]] de sua época, acreditava na suposta [[superioridade racial]] dos [[brancos]] europeus e na inferioridade de outros grupos étnico-raciais, tendo como base a [[frenologia]], fundada pelo médico alemão [[Franz Joseph Gall]] (1758-1828) e atualmente considerada uma [[pseudociência]]. Kardec foi, inclusive, membro da Sociedade de Frenologia de Paris.<ref name=":0" /><ref>{{Citar livro|url=https://books.google.com.br/books?id=VS09AAAAYAAJ&pg=PA221|título=The Phrenological Journal, and Magazine of Moral Science|ultimo=|primeiro=|data=1844|editora=MacLachlan, Stewart, and Company|local=|página=211|páginas=|lingua=en|acessodata=}}</ref> No artigo "Perfectibilidade da raça negra", Kardec afirmou que, uma vez que espíritos evoluem, tem que habitar corpos de outra "raça", o que acarretaria o desaparecimento das "raças selvagens". Ao consultar o espírito São Luís, Kardec lhe perguntou se raça negra é inferior, ao que São Luís teria respondido que a "raça negra" desapareceria da face da terra.<ref>{{Citar web|url=https://www.ipeak.net/pt/2702|titulo=Revista Espírita 1859 » Junho » Conversas familiares de além-túmulo » O negro Pai César|acessodata=2022-05-16|website=www.ipeak.net}}</ref>
 
{{quote|Assim, como organização física, os negros serão sempre os mesmos; como Espíritos, trata-se, sem dúvida, de uma raça
inferior, isto é, primitiva; são verdadeiras crianças às quais muito pouco se pode ensinar. Mas, por meio de cuidados inteligentes é sempre possível modificar certos hábitos, certas tendências, o que já constitui um progresso que levarão para outra existência e que lhes permitirá, mais tarde, tomar um envoltório em melhores condições|Allan Kardec - "Perfectibilidade da raça negra", ''[[Revista Espírita]]'', pg. 150-151, abril de 1862<ref name="Perfectibilidade da raça negra">{{citar livro |url=http://www.sistemas.febnet.org.br/gerenciador/pdfRepository/2009-11-20-30.45f1619bf43ffc6b3c4e21170fd9bdf4.pdf |título=Frenologia Espiritualista e Espírita - Perfectibilidade da raça negra|autor=Allan Kardec |página=149 |editor=Revista Espírita |data=abril de 1862 |acessodata=16 de setembro de 2019}}</ref>}}
 
Em 2007, o [[Ministério Público Federal]] definiu um termo de ajustamento de conduta, segundo o qual editoras que publicam as obras de Kardec no Brasil se comprometem a adicionar nelas uma nota explicativa de esclarecimento sobre a ciência de sua época e o suposto conteúdo discriminatório.<ref>Ministério Público Federal; Procuradoria da República no Estado da Bahia (2007). [http://www.mp.go.gov.br/portalweb/hp/41/docs/tac_-_mpf_-_bahia_-_textos_espiritas_-_preconceito_e_discriminacao.pdf TAC de 28/09/2007].</ref> O escritor espírita brasileiro Paulo da Silva Sobrinho Neto, autor do [[e-book]] ''Racismo em Kardec?'', argumenta que classificar as citações de Kardec como racistas de acordo com os valores morais contemporâneos seria [[anacronismo]], visto que Kardec reproduzia aquilo que era dito como "verdade científica" na época em que viveu.{{Sfn|Neto|2010|p=191}} Ademais, Neto também cita vários trechos em que Kardec apoia o conceito de união "sem distinção de raças", como na obra ''[[O Evangelho Segundo o Espiritismo]]'', de 1864.{{Sfn|Kardec|1864|p=233}} Na obra O Livro dos Espíritos, também é afirmado que todos os homens são iguais perante Deus, rumam para o mesmo fim e estão sujeitos às mesmas leis.<ref>{{Citar web|url=https://www.ipeak.net/pt/1593|titulo=O Livro dos Espíritos » Parte Terceira - Das leis morais » Capítulo IX - 8. Lei de igualdade » Igualdade natural » 803|acessodata=2022-05-16|website=www.ipeak.net}}</ref>
 
== Ver também ==
189 383

edições