Virgindade religiosa: diferenças entre revisões

1 byte adicionado ,  05h58min de 28 de julho de 2007
m
sem resumo de edição
m (ajustes)
m
[[Image:Lenepveu, Jeanne d'Arc au siège d'Orléans.jpg|150px|thumb|right|Santa [[Joana d'Arc]], a virgem vitoriosa de [[Orléans]]]]
A ''Virgindade religiosa'', denominada também de ''Virgindade sacra'', ''Sagrada Virgindade'' ou ''Santa Virgindade'' é um conceito importante na tradição cristã, especialmente no que diz respeito à [[Virgem Maria]] que ocupa um lugar central no [[dogma]] cristão [[católico]] e ortodoxo. Votos de [[castidade]] e [[celibato]] são necessários para entrar na vida monástica ou no sacerdócio.
 
A sagrada virgindade e a perfeita [[castidade]], considera a [[Igreja Católica]], quando consagrada ao serviço de Deus, um dos mais "preciosos tesouros" deixados por [[Cristo]] à sua Igreja. Afirma ainda a [[Doutrina Católica]] que a santa virgindade é mais excelente que o [[casamento religioso|matrimônio]], isto no [[Concílio de Trento]].
 
Sobre o tema afrimaafirma [[João Paulo II]] na Exortação Apostólica [[Familiaris consortio]] (n. 16):
;;''Permanecendo no celibato, o homem pode entregar a [[Deus]] um coração indiviso, segundo o modelo do seu Filho, Jesus Cristo, que ao Pai entregou o amor exclusivo e total do seu coração. É então que o homem conquista o supremo cume, o vértice do testemunho cristão: "Tornando livre de um modo singular o coração humano (...) a virgindade testemunha que o Reino de Deus e a sua justiça são aquela pérola que devemos preferir a qualquer outro valor."''
[[Imagem:Maria Goretti.jpg|150px|thumb|left|Santa [[Maria Goretti]], [[virgem]] e [[mártir]]]]
9 505

edições