Abrir menu principal

Alterações

5 050 bytes adicionados ,  23h16min de 26 de agosto de 2005
sem resumo de edição
O '''[[cancro (tumor)|Cancro]] do [[Estômago]]''' é o nome comum da [[neoplasia]] maligna da sua [[mucosa]] denominada melhor como '''carcinoma gástrico''', que constitui quase 95% das neoplasias malignas deste [[orgão]]. Apesar de teoricamente qualquer tipo de célula poder dar origem a um cancro, outras células gástricas raramente são a origem de neoplasias malignas.

== Epidemiologia ==
O Carcinoma gástrico, derivado das células da mucosa, constitui mais de 90% dos cancros do estômago. Mais raramente podem surgir certos tipos de [linfoma]]s (menos de 4% dos casos); tumores [[carcinóide]]s (<3%) ou tumores das células mães de células musculares ou [[fibroblasto]]s (menos de 2%). Estas outras neoplasias não são geralmente denominadas na linguagem comum como ‘’cancros do estômago’’ apesar de terem a sua origem neste orgão.

A incidência do carcinoma gástrico varia muito de acordo com os países, provavelmente devido a diferenças no tipo de alimentação. Nos [[EUA]] (cerca de 3 mortes em 100.000 pessoas por ano), [[Reino Unido]], [[França]] e [[Alemanha]], por exemplo, a incidência é muito menor que no [[Japão]], [[Chile]] ou [[Portugal]], que com 29 mortes por 100.000 pessoas por ano, tem uma das taxas mais elevadas do mundo para este tipo de cancro. É em todo o mundo uma das principais causas de morte por cancro.

A doença afecta duas vezes mais homens que mulheres e tende a surgir após a quinta década de vida.

== Etiologia ==
O principal factor de risco para o surgimento do carcinoma é a infecção [[doença crónica|crónica]] durante décadas com a [[bactéria]] ‘’[[Helicobacter]] pylori’’, que causa uma [[gastrite atrófica]] persistente, muitas vezes com formação de [[úlcera péptica]]. As úlceras pépticas não tratadas podem degenerar devido à grande taxa de multiplicação das células da mucosa, que tentam cicatrizar a lesão, aumentando a sua taxa de [[mutação]] (quanto maior o número de divisões com cópia do [[DNA]] maior probabilidade de alterações genéticas).

Outros factores de risco significativos são o tabagismo e o alcoolismo.

== Progressão e Sintomas ==
Inicialmente os sintomas são os de uma possivel [[úlcera péptica]] gástrica ou de gastrite, contudo a grande maioria das úlceras pépticas não são cancerosas. Mesmo assim, a maior parte dos diagnósticos é efectuada aquando do diagnóstico de uma úlcera gástrica. As úlceras cursam com dor após as refeições e falta de apetite e se não são tratadas podem a longo prazo degenerar em carcinomas. É frequentemente assintomático na fase inicial, o que explica o seu mau prognóstico.

Se o cancro não é detectado na fase inicial, ele dissemina-se, primeiro directamente para a parede do [[duodeno]] ou [[esófago]], e depois via cavidade [[peritoneu|peritoneal]], via sanguinea e linfática para qualquer orgão, formando [[metástase]]s, especialmente no [[fígado]] e [[pulmão]]. Estes estágios avançados têm pior prognóstico.

Sintomas comuns das fases mais avançadas são a dor permanente e intensa na região, central logo abaixo das [[costela]]s, do estômago (região epigástrica), por vezes irradiando para as costas; falta de apetite e emagrecimento rápido ([[caquexia]] típica de qualquer condição maligna). Se o tumor está localizado no [[piloro]] do estômago, pode haver estenose com vómitos após as refeições, que aliviam as dores. A perda continua de pequenas quantidades de sangue pode passar despercebida mas também pode causar [[anemia]] microcítica por défice de [[ferro]]. Por vezes em casos avançados a massa tumoral pode ser sentida directamente pela palpação. Outros sintomas possiveis são a [[ascite]].

== Diagnóstico ==
O diagnóstico do carcinoma do estômago é geralmente feito após queixas semelhantes às de úlcera gástrica. É feita [[endoscopia]] com recolha de amostras por [[biópsia]], cuja análise histológica permite distinguir uma úlcera benigna de uma cancerosa.

A avaliação de grau de metastização hepático é feita através de uma exame [[TAC]].

== Tratamento e Prognóstico ==
O tratamento é cirurgico, mas apenas em casos detectados nos estágios mais iniciais é provavel a cura. Por vezes é efectuada uma gastrectomia parcial, mas frequentemente todo o [[estômago]] é removido ([[gastrectomia]]), sendo feita uma anastomose (comunicação) entre o esófago e o duodeno. O paciente fica limitado a alimentos pastosos e líquidos para toda a vida.

Em casos em que já ocorreu metastização disseminada, o tratamento é com [[quimioterapia]] ou meramente paliativo, com administração de [[opióide]]s.

Dos casos detectados precocemente e tratados por gastrectomia, mais de 90% vivem mais de 5 anos, correpondendo a maioria a curas verdadeiras. Apenas cerca de 15% dos doentes diagnosticados com carcinoma do estômago avançado vivem além de 5 anos após o diagnóstico, mesmo com tratamento.

[[Categoria:Doenças]]
[[Categoria:Gastroenterologia]]
[[en:Stomach cancer]]
1 600

edições