Diferenças entre edições de "Larmanjat"

2 817 bytes adicionados ,  22h38min de 5 de setembro de 2005
sem resumo de edição
A empresa requeria muitos capitais que era dificilmente suportados. Rapidamente o Governo admitiu o trespasse das concessões para uma companhia inglesa, ''The Lisbon Steam Tramways Company, Limited'', vulgarmente conhecida pela ''Companhia de tramways a vapor''.
 
Depressa a nova empresa começou a expandir a rede de linhas de caminho de ferro ''Larmanjat''. Construiram duas linhas importantes ao longo de estradas de ligação: uma de [[Lisboa]] para [[Sintra]] com uma extensão de 26 quilómetros, e outra de [[Lisboa]] para [[Torres Vedras]] com 54 quilómetros de comprimento. A estação de origem para estas duas linhas era comum e ficava no local onde estão as [[Portas do Rego]] em [[São Sebastião da Pedreira]].
Depressa a nova empresa começou a espandir a rede de linhas de caminho de ferro ''Larmanjat''.
 
[[Imagem:Mapa larmanjat.jpg|Thumb|200 px|right|Mapa do caminho de ferro Larmanjat em Portugal]]
 
Na viagem inaugural da [[Linha de Sintra (Larmanjat)|linha de Sintra]] foi na manhã do dia 2 de Julho de [[1873]], pelas nove da manhã. Nas quatro carruagens rebocadas pela locomotiva ''Lumiar'' viajavam, entre outros convidados, o Director Geral das Obras públicas, os construtores ingleses [[William major]] e [[Trevilhick]]. A viagem durou uma hora e cinquenta e cinco minutos, com três paragens, em duas das quais a locomotiva se abasteceu de água. Segundo notícias da época, tornara-se «notável a facilidade e presteza com que o comboio subiu todas as rampas». Três dias depois da inauguração do novo troço do caminho de ferro ''Larmanjat'', o trajecto abriu ao serviço público.
 
O caminho de ferro para [[Linha de Torres Vedras (Larmanjat)|Torres Vedras]] foi inaugurado a 4 de Setembro do mesmo ano sem convidados de grande relevância. O serviço ficou aberto ao público dois dias depois.
 
Mas pouco tempo depois, a espectativa criada à volta dos caminhos de ferro ''Larmanjat'' foi diminuindo. Os descarrilamentos era muito frequentes e o tombos das carruegens provocavam ferimentos nos seus passageiros. O ''Larmanjat'' começou a perder adeptos.
 
A companhia tentava atrair o público com baixas de preços, mas em vão, os tempos do ''Lartmanjat'' estavam contados. Os comboios deixaram de cumprir horários e demorar mais do dobro do tempo para percorrer o mesmo percurso.
 
A 30 de Março de [[1875]] a companhia anunciou um novo hórario que previa, tanto na linha de Sintra como na de Torres Vedras, três circulações diárias em cada sentido. Nove dias depois, no dia 8 de Abril suspenderam o serviço de passageiros e de mercadorias nas duas linhas. algum tempo depois a empresa abriu falência. O caso arrastou-se pelos tribunais londrinos.
 
A linha de Sintra, que se destinava essencialmente ao tráfego dee passageiros, não teve quaisquer efeitos económicos, já a linha de Torres Vedras, cujo principal tráfego eram mercadorias, sobretudo vinho das zonas agrícolas para a cidade, teve um grande impacto no aspecto comercial.
 
Mais tarde veio o bicarril de [[Stephenson]] que bateu o monocarril. As regiões prejudicadas pelo fracasso, exigiam a construção do novo caminho de ferro. Só em [[1887]] as linhas monocarril de Sintra e Torres Vedras, foraqm substituídas pelos nos caminhos de ferro bicarril.
 
 
5 270

edições