Diferenças entre edições de "São José do Vale do Rio Preto"

1 296 bytes adicionados ,  13h12min de 15 de novembro de 2007
<!-- Não copie nada para a Wikipédia, não é permitido. Mesmo de sites oficiais! Leia: Wikipedia:Coisas a não fazer! Não apague este aviso! -->
 
A povoação dos Sertões do Rio Preto se deve em princípio às proximidades com os caminhos para as [[Minas Gerais]] e com o mercado consumidor da então Capital, [[CidadeProvíncia do Rio de Janeiro]]. Estávamos situados entre estes dois pólos de desenvolvimento. Muitas de nossas estradas foram vias de escoamento da produção das fazendas originárias das antigas sesmarias distribuídas na região que remetiam os seus produtos para o [[Rio de Janeiro]] ou para as [[Minas Gerais]]. Algumas estradas serviam como desvios para os carregamentos de ouro que não queriam passar pelos Registros.
 
Com a queda da mineração, aumentou o número de [[sesmarias]] doadas na região. [[D. João VI]] distribuiu [[sesmarias]] e incentivou o plantio de café que veio a se constituir na nova riqueza nacional. Na Província do [[Rio de Janeiro]], a cultura do café produziu os seus primeiros efeitos com a criação das grandes fazendas e o surgimento dos [[Lista de baronatos do Império do Brasil|barões do café]]. Em São José, podemos citar como exemplos dessa nobreza latifundiária os barões de [[Barão de Águas Claras|Águas Claras]] e de [[barão de Bemposta|Bemposta]]. A antiga '''fazenda de Águas Claras''', hoje o nome de um bairro do município, teve a honra de hospedar [[Pedro II do Brasil|D. Pedro II]] e seus familiares, durantepor ummais mêsde uma vez, quando o monarca fez instalar uma linha telefônica entre o palácio da Quinta da Boa Vista e a sede da fazenda, de onde mantinha o controle do governo. O aparelho encontra-se hoje na fazenda Nossa Senhora do Belém, no mesmo município. Essa amizade entre a nobreza latifundiária dos barões do café e a realeza possibilitou a abertura de uma linha de trem serpenteando o rio Preto, até as proximidades da Igraja Matriz, de onde eram embarcadas 150 mil sacas da rubiácea, anualmente, mas com a queda do preço internacional do produto, em 1930, as lavouras foram erradicadas e a ferrovia retirou seus trilhos, em 1946. A máquina Goldfingher subia a Raiz da Serra da Estrela, passava por Petrópolis, Areal e o distante Distrito São José do Rio Preto, com uma estação ferroviária nas terras da Fazenda Águas Claras. O Imperador D. Pedro II viajou nesse trem apenas uma vez, com sua família, partindo de Petrópolis, e passou sete dias hospedado no solar de estilo colonial, ricamente ornado com flores e grinaldas produzidas especialmente para a ocasião.
 
À [[cafeicultura]] deve São José a construção das grandes sedes de fazendas, tais como as das fazendas do Calçado Grande, Nossa Senhora do Belém, Sossego e Águas Claras. A lavoura do café aumentou, consideravelmente, o emprego da mão-de-obra escrava, o que resultou em toda a Província na presença maciça do elemento negro africano que tanto contribuiu, com seu trabalho, para a efetivação de um novo ciclo de desenvolvimento implantado no [[Vale do Paraíba]].
 
Os primeiros povoados da região do Rio Preto foram constituídos pelas famílias mineiras que atravessavam o Paraíba em busca de novas terras para a agricultura, depois da queda da atividade de mineração. Também vieram os plantadores de café, trazendo a experiência do plantio realizado em outras regiões da Província. Completaria este quadro a presença de colonos portugueses e, a seguir, de italianos.
* São José do Vale do Rio Preto – 1987.
 
Como era de se esperar, este imenso território da Freguesia de São José do Rio Preto que já era um desmembramento da antiga freguesia de Inhomirim, sofreu váriosoutros desmembramentos no decurso da História da Província Fluminense. Dela foram desmembradas a freguesia de CebolasSebolas e o Curato de Matosinho, em 1839, a Freguesia de Nossa Senhora Aparecida, em 1842, a Freguesia de São Pedro de Alcântara, em 1846 (origem do Município de [[Petrópolis]]) e finalmente, a Freguesia de Nossa Senhora da Conceição de Bemposta, em 1855.
 
A futura cidade de [[Petrópolis]], bem como a área que formou o seu município na bacia do [[Piabanha]], constituíam um simples Curato daquela freguesia e obedeciam administrativamente às autoridades de São José do Rio Preto.
Com a efetivação da lei nº 961, de 29 de setembro de 1857, foi conferida à Colônia de [[Petrópolis]] os foros de Cidade. Porém, não lhe coube o território de São José do Rio Preto, a fértil bacio do Rio Preto conservou-se dependente da administração de [[Paraíba do Sul]].
 
O Decreto nº 01, de 8 de maio e nº 01A, de 3 de junho de 1892, incorporou a Freguesia de São José do Rio Preto a [[Petrópolis]] como seu 5º Distrito. Sob a administração de [[Petrópolis]], São José do Rio Preto sofreu amputações territoriais. São José do Rio Preto conseguiu sua emancipação, eem surgiu15 de dezembro de 1987, surgindo o Município de São José do Vale do Rio Preto, que faz divisa com os municípios de Petrópolis, Teresópolis, Areal e Sapucaia. (''Do Livro "Causos na História de São José do Vale do Rio Preto", Roberto Perez, 2001'').
 
== {{Ligações externas}} ==
Utilizador anónimo